Bem-vindo (a) ao site do Porvir

Aqui, mapeamos, difundimos e promovemos a troca de práticas educacionais inovadoras

Boas inspirações!

Inovações em Educação

Curso forma brincadores profissionais

Reconhecido na Inglaterra desde a década de 1970, o playworker desenvolve metodologias criativas envolvendo a arte do brincar

por Redação 15 de agosto de 2012

Em uma comunidade perto de Bristol, na Inglaterra, Cristina Imaguire – brasileira radicada na Grã-Bretanha –, atua como playworker ou brincadora profissional. Todos os dias ela sai de casa para trabalhar em parques de regiões vulneráveis da Inglaterra, desenvolvendo com as crianças atividades que vão desde a reciclagem de materiais até a criação de bolhas de sabão gigantes

No país europeu, como ela conta, esses profissionais são reconhecidos – desde a década de 1970 – e valorizados por desenvolver metodologias criativas envolvendo a arte do brincar de crianças e adolescentes. Por lá, existe uma formação técnica e inclusive pós-graduação nessa área. “Na Inglaterra, esta é uma profissão, recebemos nosso salário, pagamos imposto”, afirma Imaguire. No Brasil, o profissional do brincar ainda é pouco divulgado e algumas iniciativas vêm surgindo para tentar enfatizar a importância dessa profissão.

crédito HP_Photo/ Fotolia.com

Entre elas o curso para formar brincadores profissionais organizado pelo IPA Brasil (International Play Association), o Instituto Brasil Leitor e a Universidade do Livro – Fundação Editora Unesp, e que está com inscrições abertas, em São Paulo. A IPA surgiu há 50 anos na Dinamarca, como forma de reconstruir os espaços de brincar destruídos na guerra. Nesse período, os cidadãos se reuniram para reconstruir os parquinhos das cidades devassadas. A ideia se espalhou pela Europa, Estados Unidos e América Latina, até chegar ao Brasil.

De 16 e 18 de agosto, três worshops, ministrados por Imaguire, vão abordar os fundamentos básicos da profissão, serviço e metodologia, mostrando a atuações no Brasil e na Europa. Segundo a professora, os especialistas em playwork estão aptos a atuar não apenas nas escolas, mas em programas comunitários, projetos de governos, hospitais, parques ou praças. Os interessados no curso podem se inscrever on-line, as aulas custam entre R$ 80 e R$ 120.

TAGS

brincadeiras, carreira