Bem-vindo (a) ao site do Porvir

Aqui, mapeamos, difundimos e promovemos a troca de práticas educacionais inovadoras

Boas inspirações!

Crédito: Divulgação/Microsoft

Inovações em Educação

Da realidade mista ao Minecraft e o Windows 10S, Microsoft anuncia uma enxurrada de novidades

Veja tudo o que a gigante da tecnologia deve lançar dentro de pouco tempo para professores e estudantes

por Jenny Abamu, do EdSurge 3 de maio de 2017

Durante várias semanas, a Microsoft impiedosamente bateu bumbo para seu evento #MicrosoftEDU, que aconteceu nesta terça-feira (2), em Nova York, nos Estados Unidos. A empresa enviou prévias para a maioria dos sites de notícias norte-americanos, sem entregar muitos detalhes, o que levou a infindáveis especulações sobre a tecnologia em qual estava trabalhando. Seria a apresentação de um novo dispositivo? Seriam atualizações para os serviços em nuvem?

Apesar de toda a energia, as cores e a música animada que inundaram a sala antes do evento começar, havia um toque de ironia fina – um formulário e um lápis número 2 em cada mesa –, que desapontaria muito jornalistas, especialistas em tecnologia e educadores.

Ainda bem que era só uma piada. Quando a sala escureceu e o presidente-executivo da Microsoft Satya Nadella apareceu no palco, não restava dúvida de que a Microsoft reassumiu um compromisso com o mercado de educação.

Guia Tecnologia na Educação:
– Veja como aliar tecnologia e metodologias inovadoras

“Como a tecnologia pode criar mais oportunidades, não para poucos mas para todos?”, perguntou Nadella, mencionando como seu avô não pôde ir à escola por causa dos poucos recursos que a família tinha. “Democratizar a educação deve ser algo que é para todos e não para alguns poucos escolhidos, e isso falo de maneira muito pessoal”.

Seu apelo apaixonado e intimista definiu o tom da enxurrada de anúncios e atualizações que se seguiram. Ao final da maratona, os educadores demonstravam cansaço, mas ficaram animados com as possibilidades futuras.

cienciasCrédito: Jenny Abamu

Windows 10S comprometido com segurança e ciências

Terry Myerson, vice-presidente da divisão de Windows e dispositivos, anunciou o Windows 10S, uma atualização do Windows 10 que busca oferecer um ambiente mais seguro para os estudantes. Seu ponto forte é impedir que sejam baixados aplicativos que não fazem parte da loja oficial do Windows, onde cada oferta é analisada segundo critérios de compatibilidade e segurança. Em uma demonstração, Myerson simulou o que acontece quando um estudante tenta fazer o download de um app e vê uma janela de alerta que o impede de fazer isso e sugere programas alternativos aprovados pela Microsoft.

Myerson também enfatizou como é possível configurar o sistema em 15 segundos, escolher as preferências pessoais e conectar o laptop a um cabo USB. “Isso significa que em sala de aula o professor pode começar a ensinar mais rápido”, anunciou. Ele também mencionou como o Windows 10 terá a mesma rapidez desde o primeiro até o último dia de aula, algo que faz o sistema atual da Microsoft receber muitas críticas.

Dois outros aplicativos adicionados ao Windows 10 foram um plug-in para planos de aulas de ciências e uma atualização para o navegador Microsoft Edge, que permite aos educadores e estudantes fazerem anotações diretamente de um site.

microsoftteamsCrédito: Divulgação/Microsoft

Colaboração e equipes

Catherine Boeger, diretora geral para o Microsoft Office e o Office 365, anunciou a nova ferramenta colaborativa para bate-papo, o Microsoft Teams. “Ela permite uma interação rica e consistente entre professores e alunos”, explicou Boeger.

Com o recurso, professores podem criar tarefas, vídeos e mensagens de textos (cheios de emojis e gifs) e fazer enquetes com os estudantes. Para alívio de muitos educadores, Anthony Newbold, que é diretor da escola de ensino fundamental 2 Bear Creek, da Geórgia, ressaltou que é possível silenciar grupos e sala quando necessário.

“Desenvolver e aperfeiçoar habilidades de colaboração é algo que podemos modelar”, disse Newbold de uma maneira ensaiada enquanto mostrava o vídeo da ferramenta para o público.

Outros educadores na plateia demonstraram entusiasmo pela atualização. Marianthe Williams, diretora de tecnologia do distrito de River Dell, em Nova Jersey, se disse animada com a nova ferramenta colaborativa para grupos, mas esperava ver como ela iria se integrar à plataforma Microsoft Classroom. (Representantes da empresa confirmaram que isso acontecerá de maneira plena.)

codebuilderminecraftCrédito: Divulgação/Microsoft

Minecraft faz uma imersão em ciências da computação

“Hoje estou orgulhoso de anunciar o Code Builder para o Minecraft Education”, disse Deirdre Quarnstrom, diretor do Minecraft Education, continuando a sequência de novidades.

O Minecraft, jogo popular entre crianças dentro e fora da escola, agora traz um recurso dedicado à programação. A atualização agora integra MakeCode, Scratch e Tynker para permitir que estudantes programem as cidades virtuais e objetos que foram construídos na plataforma do Minecraft. Usuários vão poder alternar facilmente entre a visualização de blocos e as linhas de código JavaScript durante o trabalho criativo.

“Isso permite aos estudantes acessar um ponto de entrada para o pensamento computacional e a ciência da computação”, afirmou Neal Manegold, um diretor sênior da divisão de Minecraft que também é um ex-professor. “Eu não era um professor de ciência da computação, mas consigo pensar em tarefas como professor em que posso usar isso (a nova funcionalidade) em conjunto com o currículo”.

Manegold também mostrou que ao mesmo tempo em que os estudantes programam, um avatar digital personifica o que está sendo comandado. Por exemplo, se um estudante cria uma rotina para construir pilares de um coliseu, o avatar começa o trabalho no mundo virtual do Minecraft para que o estudante consiga ver o impacto do que ele está escrevendo em código – um avanço que Manegold reconhece ser importante para programadores iniciantes.

demohololensCrédito: Jenny Abamu

Apresentações 3D no PowerPoint e realidade mista

Quando Marianthe Williams viu o que a Microsoft estava fazendo no campo da realidade mista (adição de mundos virtuais sobre o mundo real), demonstrou entusiasmo. “É um divisor de águas que dá aos estudantes mais oportunidades para trabalhar de maneiras que nunca puderam antes”, disse Williams, salientando as possibilidades para os estudantes desenharem e interagiram em 3D. Entretanto, ela também expressou o desejo de ver as demonstrações em ação dentro de sala de aula antes de se animar além da conta.

Os novos recursos da plataforma de visualização de realidade mista da Microsoft permitem que estudantes criem conteúdos em 3D e assistam em suas telas. Uma desenvolvedora da Microsoft demonstrou o produto projetando o jipe Curiosity da NASA, que participou de uma missão em Marte, perto de sua colega Megan Saunders, diretora da iniciativa Windows 3D. “Podemos trazer o jipe que estava a 402 milhões de quilômetros de distância direto para a sala de aula”, disse Saunders.

As atualizações de produtos que combinam realidade virtual e aumentada continuaram quando a desenvolvedora demonstrou como seria uma aula com os óculos Hololens que possibilitam a interação com sistema solar. Saunders explicou ao público que o tema de ciências era apenas um dos muitos disponíveis graças a uma parceria com o grupo educacional Pearson, que formulou cursos específicos para ensino médio e superior sobre comércio, saúde, história e ciências.

surfacelaptopCrédito: Divulgação/Microsoft

Laptop Surface para universitários

Apesar de muitos anúncios serem voltados à educação básica, Panos Panay, vice-presidente corporativo para o Surface, impressionou especialistas em tecnologia ao apresentar o laptop Microsoft Surface, que tem como público alvo os universitários. O dispositivo agrada na aparência, possui teclado coberto com tecido e tela de vidro transparente.

“Você não vai encontrar parafusos e não vai saber como ele é montado”, disse Panay, destacando a superfície suave e a leveza do dispositivo. Em um desafio a Apple, comparou a autonomia da bateria (14,5 horas), velocidade e peso com as registradas pelos rivais MacBook Pro e Air.

“Cada um desses produtos é feito para quem é criador”, continuou, mostrando também a capacidade do dispositivo para detectar até os mais leves toques no teclado ou na tela.

Como educadora, Marianthe Williams se mostra satisfeita em ver que empresas como a Microsoft têm colocado a educação no topo de sua lista de prioridades. Segundo ela, suas visões são mais importantes que os produtos. “Eu gosto do que eles fazem em termos de hardware, mas é mais importante que continuem seu compromisso com a educação”, disse Williams. “Essa é a coisa mais importante que ouvi hoje. Eles disseram estar comprometidos em ajudar professores a trabalhar de maneira mais fácil e desenvolver a criatividade em seus estudantes”.

* Publicado originalmente no EdSurge e traduzido mediante autorização

TAGS

aplicativos, ciências, dispositivos móveis, ensino fundamental, ensino médio, ensino superior, microsoft, programação, realidade aumentada, realidade virtual, tecnologia