Bem-vindo (a) ao site do Porvir

Aqui, mapeamos, difundimos e promovemos a troca de práticas educacionais inovadoras

Boas inspirações!

Inovações em Educação

Geekie e Estadão fazem simulado para Enem

Inscrições são gratuitas; as prova acontecem em 6 e 7 de outubro e o resultado será divulgado em 5 dias, com um relatório individual

por Redação 17 de setembro de 2012

O jornal O Estado de S. Paulo e a empresa de tecnologias educacionais Geekie estão organizando, nos dias 6 e 7 de outubro, um simulado adaptativo e gratuito de preparação para o Enem. As inscrições estão abertas e podem ser feitas pelo site www.geekie-estadao.com.br. As vagas são limitadas.

As provas, realizadas em dois dias, terão os moldes do Enem. Mas, além de contar com a já temida TRI, que pontua cada questão de acordo com o padrão de resposta do aluno, o simulado foi elaborado também a partir de um “sistema inteligente” que vai gerar relatórios individuais para cada participante.

Cinco dias depois das provas, os estudantes terão acesso ao seu resultado em cada uma das quatro áreas examinadas. Vão receber também um relatório com indicação de quais temas, dentro de cada disciplina, ele precisa estudar mais e em quais ele mostrou um conhecimento consolidado. Além disso, o aluno vai poder ainda comparar a sua nota com a nota de corte do curso que pretende fazer.

As questões, todas inéditas, foram desenvolvidas por professores de pré-vestibulares e testadas por alunos. Como no Enem, as provas ocorrerão no sábado e no domingo pelo mesmo site onde foram feitas as inscrições. No primeiro dia, serão 90 questões, sendo 45 de ciências da natureza e 45 de ciências humanas. No segundo, é a vez das 45 questões de linguagens e códigos e matemática. O aluno terá quatro horas e meia para resolver às questões ininterruptamente. Ele poderá escolher qualquer hora, entre 6h e 23h59 dos dois dias, para começar a prova.

Eduardo Bontempo, cofundador da Geekie, explica por que o simulado que estão organizando pode ser uma ferramenta muito útil na reta final de preparação para o Enem. “Num simulado tradicional, como a correção é pelo método clássico, o aluno só sabe quantas questões ele acertou em relação ao total de questões da prova. Nosso simulado vai ser corrigido pela TRI, o que permite que o aluno receba a nota numa escala próxima do Enem. Mas o mais interessante é que ele vai saber exatamente quais são seus pontos fracos e que tópicos precisa focar o estudo nas quatro semanas anteriores ao Enem”, diz o empreendedor, que tem 29 anos, jovem como toda a sua equipe.

Confira o infográfico publicado hoje e cedido ao Porvir pelo O Estado de S.Paulo (para melhor visualização use a ferramenta de zoom do seu navegador) :

 

crédito O Estado de S.Paulo

TAGS

avaliação, enem, personalização, plataformas adaptativas, vestibular