Bem-vindo (a) ao site do Porvir

Aqui, mapeamos, difundimos e promovemos a troca de práticas educacionais inovadoras

Boas inspirações!

Inovações em Educação

Google e edX trabalham juntos em novo site de Moocs

Plataforma Mooc.org, que entra no ar no ano que vem, permitirá que universidades, organizações e pessoas físicas ofereçam aulas

por Patrícia Gomes 10 de setembro de 2013

O Google e o edX, plataforma lançada por iniciativa de Harvard e MIT em 2012 para oferecer cursos gratuitos e que hoje já conta com mais de 28 universidades no mundo, anunciaram hoje que estão trabalhando juntos em uma nova plataforma a ser lançada no primeiro semestre do ano que vem. A Mooc.org permitirá que universidades que não fazem parte do xConsortium (grupo de universidades parceiras no edX), empresas, professores e até governos ofereçam suas aulas pela web para alunos de todo o mundo.

A gigante de serviços on-line vai trabalhar no desenvolvimento dessa plataforma em parceria com profissionais de universidades do xConsortium, inclusive MIT, Harvard, UC Berkeley e Stanford. Além disso, o Google vai ajudar também com pesquisas sobre como os estudantes aprendem e como a tecnologia pode transformar os processos de ensino e aprendizagem dentro e fora do campus. “O Google e o edX compartilham a missão de aumentar o acesso à educação. Trabalhando juntos podemos chegar mais longe muito mais rápido”, disse Dan Clancy, diretor de pesquisa do Google hoje, no Research Blog.

crédito style.photography.de/Fotolia.com

 

De acordo com Anant Agarwal, presidente do edX, durante a parceria as instituições vão moldar a próxima geração da educação aberta e livre. “Com o Google, os melhores engenheiros e as melhores tecnologias vão nos permitir avançar tanto no ensino on-line, quanto no ensino tradicional e nas experiências de ensino híbrido com uma efetividade nunca antes vista”, disse o professor por ocasião do anúncio. A intenção é que a Mooc.org compartilhe os avanços da plataforma do edX, que se tornou aberta e livre em meados deste ano.

“Esperamos que o site se transforme na maneira ideal de desenvolver e refinar experiências de ensino on-line. Professores, por exemplo, podem se arriscar e estudantes que não queiram fazer um curso inteiro podem ir lá ter um gostinho. Além disso, aprenderemos a melhorar nossa plataforma ao ter mais pessoas criando e usando conteúdos nela”, completa Agarwal. Por ser uma plataforma aberta, qualquer desenvolvedor tem acesso aos códigos de programação e pode sugerir melhorias. “Um ecossistema aberto, com múltiplos atores, estimula a experimentação rápida e a inovação”, concorda Clancy.

Já é possível acessar a página mooc.org. Nela, estão as três categorias dos que poderão inserir cursos na plataforma: instituições educacionais, professores, empresas e organizações sem fins lucrativos. Também é possível conferir as funcionalidades que estarão disponíveis, entre elas a facilidade de criar cursos e construir um ambiente de aprendizagem e o acesso a ferramentas interativas.

TAGS

ensino híbrido, mooc, plataformas adaptativas