Bem-vindo (a) ao site do Porvir

Aqui, mapeamos, difundimos e promovemos a troca de práticas educacionais inovadoras

Boas inspirações!

Crédito: Reprodução

Inovações em Educação

Plataforma incentiva desenvolvimento linguístico desde o nascimento

O projeto Aprender Linguagem capacita adultos a estimularem crianças de até cinco anos a adquirir linguagem

por Maria Victória Oliveira 20 de janeiro de 2016

Você sabia que as crianças já estão aprendendo comunicação antes mesmo do nascimento? Pensando em uma forma de promover o desenvolvimento da linguagem durante a primeira infância, o Laboratório de Educação, ONG que propõe reflexão e criação de conteúdo que incentiva o pensamento crítico sobre educação, desenvolveu o projeto Aprender Linguagem.

Trata-se de uma plataforma gratuita, disponível em português e espanhol, que serve como guia sobre os processos de aquisição da linguagem. O conteúdo é direcionado a pais, mães, responsáveis, professores ou qualquer pessoa que conviva com crianças de até cinco anos. Segundo Beatriz Cardoso, diretora executiva do Laboratório de Educação, a ideia com a criação do guia é produzir conhecimento aplicado e mudar as práticas dos adultos que lidam com os pequenos. “É muito difícil entender o processo de aquisição da linguagem de uma criança porque esse é muito complexo e sofisticado. Com o guia Aprender Linguagem, nós procuramos trazer o conhecimento científico de forma acessível para influenciar a prática dessas pessoas que cuidam das crianças”.

A equipe por trás do projeto, liderada pela professora doutora Ana Teberosky, da Universidade de Barcelona, começou a montar, em 2013, um banco de dados com pesquisas de diversos países sobre aquisição de linguagem. Depois, cruzaram as informações obtidas com levantamentos da linguística, psicologia e da educação, uma vez que, segundo Beatriz, o processo de aquisição da fala é conectado a inúmeras áreas do conhecimento.

Dentro da plataforma, o conteúdo foi dividido em quatro personagens, que representam diferentes idades de desenvolvimento das crianças. Pedro foi escolhido para retratar os pequenos de até um ano e meio de idade. Clenice representa crianças de um ano e meio a três anos. O responsável pelo intervalo de 3 a 4 anos é Nelson. E finalmente Ruth, a mais velha, representa crianças de 4 a 5 anos. Segundo Beatriz, essa configuração foi escolhida para tornar a narrativa possível para os responsáveis. “Quem tem um bebê precisa entrar aos poucos no assunto, não vai querer saber tudo de uma vez. É preciso organizar a narrativa para que a pessoa se localize”.

Ao clicar na janela de cada personagem, estão quatro itens que variam entre: interação, fonética e fonologia, vocabulário, gramática, discurso e língua escrita. A partir daí, os interessados podem escolher por qual tema se interessam mais. Em cada subdivisão, o guia traz as dúvidas mais comuns dos responsáveis e logo em seguida traz a opinião dos especialistas, esclarecendo os questionamentos. Por exemplo, dentro da janela do Pedro, na parte interação entre mãe e filho, está a colocação hipotética: “Eu li que o bebê deve estar tranquilo enquanto come”, seguida da opinião do especialista: “É verdade, mas é sempre bom que o bebê escute a voz da mãe e que ela se comunique com ele nesse momento”.

Os exemplos práticos foram pensados justamente para influenciar a rotina das pessoas que lidam com as crianças. “A aquisição da linguagem, principalmente nessa faixa etária, acontece todo dia, a todo momento, no mais básico ato do cotidiano. Se eu como adulto que me relaciono com a criança entendo isso, tenho mais oportunidade de influenciar no desenvolvimento da linguagem”, defende Beatriz.

Além do site, a equipe do Laboratório de Educação está estudando a possibilidade de lançar um livro com toda a teoria utilizada na montagem do guia Aprender Linguagem. Caso seja publicado, esse material será destinado exclusivamente àqueles que desenvolvem estudos na área, servindo como um manual.

Série de TV

A proposta do guia foi  tema central da série “O mundo Secreto dos Bebês – aprendendo a falar”, exibida no começo do ano no programa Fantástico, da TV Globo. Durante três episódios, é possível acompanhar famílias que procuram incentivar o desenvolvimento da linguagem de seus filhos. Assista aos programas aqui.

 

TAGS

educação infantil, engajamento familiar, tecnologia