Bem-vindo (a) ao site do Porvir

Aqui, mapeamos, difundimos e promovemos a troca de práticas educacionais inovadoras

Boas inspirações!

nanuvision / Fotolia.com

Inovações em Educação

Plataforma transforma leitura em um jogo para crianças

Elefante Letrado oferece biblioteca digital com 400 livros animados e atividades pedagógicas para crianças até o quinto ano do ensino fundamental

por Anna Luiza Guimarães 18 de outubro de 2016

Uma biblioteca digital e interativa com cerca de 400 livros direcionados a crianças e jovens até o quinto ano do ensino fundamental. Essa é a ideia central do Elefante Letrado, a plataforma que começou suas atividades em 2015 e pretende atingir 500 mil estudantes nos próximos cinco anos.

“Não podemos ignorar que a linguagem digital é a linguagem da nova geração. E também sabemos a importância de se colocar o jovem em contato com a literatura desde cedo. Nós juntamos as duas coisas”, explica Mônica Carvalho, CEO do Elefante Letrado. “Não somos concorrente dos livros físicos. O nosso propósito é ampliar a interação das crianças com o mundo letrado. Ajudamos a desenvolver o hábito pela leitura, o que potencializa, também, o interesse pelos livros em papel”.

A curadoria dos livros é feita por pedagogos e educadores, levando em consideração a faixa etária das crianças. O sistema está organizado com base em cinco níveis de proficiência em compreensão leitora, que possuem sub níveis nomeados por letras de A a Z.

“Nós temos 15 descritores sobre compreensão leitora que seguimos para elaborar as atividades pedagógicas e avaliar. Entre eles estão a identificação, o estabelecimento de relação entre partes de textos e a realização de interferências”, esclarece Mônica.

Ao acessar a plataforma, o exercício da leitura vira um grande jogo. O estudante pode optar por escutar o livro, ler ou realizar uma das atividades pedagógicas, que pode ser um jogo de perguntas, jogo da memória, múltipla escolha, entre outras. Ao completar 75% dos livros e atividades disponíveis, o jovem pode ter acesso aos títulos do nível seguinte. Em média, cada prateleira – como são chamadas a disponibilidade de livros por nível – tem 14 títulos.

Segundo Mônica, os livros não são apenas digitalizados, mas ganham uma nova diagramação e também animação.

“Esse trabalho é feito com todo o cuidado para que jamais o livro vire um videoclipe. O texto não é um pretexto, mas é o centro do nosso trabalho”, afirma. “Nós somos uma ferramenta de educação e não de entretenimento. O nosso trabalho é entender como podemos potencializar um lado obscuro do texto para auxiliar o aluno na compreensão da história”.

A plataforma também permite que os pontos adquiridos possam ser trocados por alguns minutos de bate-papo entre os alunos. Mas, segundo Mônica, essa é uma ferramenta opcional.

“Muitas escolas preferem não ter, já que precisam gerenciar possíveis conflitos que fazem parte do uso de qualquer rede social”.

A plataforma está em 27 escolas e atinge mais de 3.500 alunos, sendo parte fora do Brasil, em instituições onde o português é a segunda língua.

“Estamos no Brasil, Holanda e Estados Unidos. Temos desde os livros para essa alfabetização em português de crianças estrangeiras até para os estudantes brasileiros, que entram em contato com diferentes gêneros da literatura, formando um senso crítico”, garante Mônica.

Completando o primeiro ano de existência, o Elefante Letrado começa a fazer pesquisas de avaliação do uso da plataforma e percebe dificuldades entre os educadores brasileiros para o uso das tecnologias.

“Aqui no Brasil, infelizmente, vemos que as escolas parecem não ter acordado para fazer uma formação ao ambiente digital de seus profissionais”, lamenta a CEO.

Apesar disso, Mônica garante que o resultado vem surpreendendo.

“Uma escola nos relatou que seus alunos de primeiro e segundo ano tinham lido 60 livros em dois meses. Estive lá para conversar com essas crianças e pude comprovar o quanto eles estavam mesmo por dentro das histórias e empolgados com o uso da plataforma”.

Ao serem contratados pela escola, a equipe do Elefante Letrado oferece um treinamento e também um suporte técnico disponível 24 horas.

Ensino Personalizado

Um dos principais objetivos é, também, auxiliar as escolas a trabalharem um ensino personalizado, já que o professor tem acesso a um painel de relatórios que indica o desempenho de cada aluno.

“Através da própria leitura e dos exercícios realizados, os professores podem perceber onde aquele aluno precisa de reforço. Podemos perceber que muitos alunos da mesma idade estão em diferentes níveis. Isso só comprova a necessidade de um uma educação mais personalizada”, conclui Mônica.

O educador também tem autonomia para, se achar necessário, interferir na evolução e no plano de leitura do estudante. Caso contrário, o próprio sistema avalia os resultados.

A ideia

A fundadora do Elefante Letrado, Sheila Vontobel, formada em administração e marketing, resolveu investir na plataforma depois que viu o desempenho em inglês de seus dois filhos melhorar muito ao utilizarem uma plataforma de leitura e exercícios. A mãe resolveu procurar, então, algum programa que também se utilizasse da tecnologia para exercitar o português dos filhos.

“Fiquei impressionada que não existia nada parecido que trabalhasse o português. Comecei a conversar com educadores e a fazer uma grande pesquisa”, conta ela, que ficou dois anos elaborando o projeto para iniciar as atividades em 2015.

No início, a plataforma tinha um acervo próprio, com histórias e ilustrações criadas por encomenda.

“Imaginei que assim seria mais fácil para trabalharmos os temas necessários de acordo com as faixas etárias. Porém, as escolas começaram a demandar títulos conhecidos de autores consagrados”, lembra Sheila.

Depois de uma parceria com algumas editoras, como Editora Globo, Iluminuras e Editora Projeto, a biblioteca digital do Elefante Letrado passou a contar com autores como Ziraldo e Monteiro Lobato.

Escolas Públicas

O Elefante Letrado oferece para cada escola particular que compra a plataforma a possibilidade de fazer uma doação da ferramenta para uma escola pública. A fundadora Sheila Vontobel sonha em impactar mais na educação do país.

“Nós sabemos do potencial dessa ferramenta e o quanto ela pode colaborar para melhorar a formação dos jovens”.

No site www.elefanteletrado.com.br é possível agendar uma demonstração para conhecer melhor a plataforma.

TAGS

educação infantil, ensino fundamental, jogos, negócios de impacto social, personalização, tecnologia