Bem-vindo (a) ao site do Porvir

Aqui, mapeamos, difundimos e promovemos a troca de práticas educacionais inovadoras

Boas inspirações!

Crédito: chalabala/Fotolia.com

Inovações em Educação

“Sr. criatividade” quer levar escolas do país ao século 21

Projeto EdgeMakers integra disciplinas de criatividade, design thinking, empreendedorismo e fluência digital em novo currículo

por Vinícius de Oliveira 26 de agosto de 2014

Dentro de alguns anos você vai ouvir falar de carreiras como piloto de drone civil (avião não-tripulado), especialista em sustentabilidade, consultor genético e diretor de cyberseguranca com muita frequência. São os chamados empregos do século 21, que vão demandar novas habilidades, como criatividade e empreendedorismo por parte dos profissionais.

Como você viu no especial sobre especial sobre Personalização do Ensino feito pelo Porvir, escolas ainda mantém um sistema típico do século 20, enquanto o mundo já pede novas habilidades dos alunos. Não há receita de bolo, mas não falta quem queira trazer para o país um novo olhar para a educação. Um dos últimos a chegar é o norte-americano John Kao, também conhecido como “senhor criatividade”, que promete despertar o estudante brasileiro para a inovação.

Com experiência de quem já foi tecladista de Frank Zappa, mas também construiu base sólida com formação em medicina e filosofia pela Universidade de Yale e MBA em Harvard (onde também lecionou por 14 anos e lançou o currículo de criatividade e inovação), Kao se considera um “ativista de inovação”. Seu mais novo projeto, EdgeMakers, se propõe a tratar do tema desde cedo, a partir do sexto ano do ensino fundamental, numa idade em que, segundo ele, adolescentes estão começando a se distanciar da escola. O sistema integra disciplinas de criatividade, design thinking, empreendedorismo e fluência digital em um novo currículo.  “O conteúdo digital que eles recebem fora da escola é tão maior que o aprendizado que os prepara para a vida acontece com o time de esporte, com amigos e na internet”, disse Kao, em evento realizado pela Fundação iFHC e pela Fundação Lemman nesta segunda-feira (25), em São Paulo.

A educação tradicional enfrenta problemas em muitos países, com alta evasão. Nos Estados Unidos, mais de 20% alunos não terminam o ensino médio. No Brasil, estes números atingem 52%, segundo o IBGE. “Educação é um serviço que é detestado por seus clientes”, diz Kao. Para ele, atualmente um jovem pode fazer tudo certo, estudar certo, ter boas notas, obedecer as regras do sistema e não se dar bem. Mas qual o motivo? “Empregos de hoje estão desalinhados com o sistema de ensino. Estou certo de que existe um espaço entre o que a crianças estão recebendo e o que elas precisam”, explica.

“Pense em plantar muitas e muitas sementes e imaginar o impacto que isso terá no futuro”

Segundo o pesquisador, a criatividade das crianças e dos jovens é um dos recursos mais subutilizados do planeta. “Pense em plantar muitas e muitas sementes e imaginar o impacto que isso terá no futuro”, explica. Nos EUA, três quartos das crianças estão interessadas em abrir uma empresa. Mais de 80% estão incomodadas com o estado das coisas no mundo e outros 30% fazem trabalho voluntário. “Os sinais estão dados sobre o desejo de aprender, como ser empreendedor”, afirma.

No Brasil, o projeto EdgeMakers já realizou pilotos com 500 alunos nos colégios particulares Pueri Domus, COC e Dom Bosco, localizados em São Paulo. Dentre outras atividades, alunos participaram de programas colaborativos para desenvolver “a mochila ideal” e de sustentabilidade envolvendo o próprio ambiente escolar. A intenção de Kao é iniciar uma imersão no mercado brasileiro em janeiro, mas para isso precisa estabelecer parcerias com escolas, governos e fundações.

"Sr. criatividade" quer levar escolas do país ao século 21Crédito: Divulgação

“Escolas são o parceiro ideal porque o ambiente da sala de aula permite o desenvolvimento do trabalho colaborativo que planejamos quando você pensa em uma aula por semana durante cinco anos. Teremos materiais que pais poderão trabalhar com seus filhos e também analisamos boot camp (intensivo) para proporcionar uma versão resumida”, explica.

Apesar disso, o “ativista de inovação” diz não querer ser inimigo do sistema. Para ele, a plataforma EdgeMakers funciona como uma vitamina para a vida escolar balanceada. “Não quero discutir currículo básico, aulas de geometria, história do Brasil, mas há muita coisa que não é tratada”.

Manifesto da inovação
Abaixo, você encontra algumas dicas de Kao encontradas no livro de bolso “Manifesto da inovação”:

1)   Inovação requer lógica
2)   Para se tornar real, uma inovação precisa de argumentos e estrutura conceitual
3)   A inovação é intimamente ligada a outras estruturas organizacionais
4)   Uma ideia inovadora demanda um sistema organizacional para sua expressão
5)   Inovação e estratégia devem caminhar juntas
6)   Inovação é uma expressão da cultura organizacional
7)   Inovação deve estar ligada a uma história importante, contada de maneira persuasiva
8)   Inovação está ligada à maneira com que você trata as pessoas
9)   Inovação pode surgir a partir de processos pré-existentes
10) Inovação requer apropriada transformação de processos
11) Inovação vem da pluralidade
12) Inovação é resultado de um ecossistema vibrante
13) Formação de ideias instiga inovação
14) Inovação se desenvolve com design
15) Inovação precisa de um lugar
16) Tecnologia possibilita inovação
17) Experiências com design motivam inovação
18) A prática de inovação envolve uso disciplinado e pragmático de novas ferramentas
19) Liderança é um fator decisivo
20) Inovação demanda uma abordagem abrangente: espaços físicos, espaços virtuais, diversos processos, diversas habilidades, diversas ferramentas e tecnologia.

TAGS

competências para o século 21, empreendedorismo, sustentabilidade, tecnologia