Centro Anne Frank Educação disponibiliza conteúdos gratuitos para professores - PORVIR
Crédito: Photo Collection Anne Frank House

Inovações em Educação

Centro Anne Frank Educação disponibiliza conteúdos gratuitos para professores

Recém-lançada no Brasil, plataforma oferece trilhas educativas inspiradas na vida de Anne Frank para debater preconceitos e construção de valores

por Maria Victória Oliveira ilustração relógio 20 de junho de 2022

Preconceito, discriminação, igualdade de direitos, diversidade, democracia e cultura de paz são temas que, a cada dia, tornam-se ainda mais urgentes diante de situações de violências e violações de direitos, sejam elas vividas no Brasil ou no mundo. Pensando nesse debate e inspirados no legado de Anne Frank (jovem judia alemã mais conhecida por seu Diário publicado postumamente, uma das obras mais lidas sobre o Holocausto), o IPB (Instituto Plataforma Brasil) acaba de lançar, via Programa Educativo Anne Frank, o Centro Anne Frank Educação

Para promover uma compreensão de fatos históricos e reflexões sobre ações futuras, a estratégia adotada pela plataforma educacional é a oferta de conteúdos online e gratuitos para educadores e jovens multiplicadores de conhecimento de todo o Brasil. 

Recordar, Refletir, Reagir

A plataforma educacional, que conta com apoio do Consulado Geral dos Países Baixos em São Paulo, se baseia no tripé dos três R: Recordar, Refletir, Reagir a partir da história de vida de Anne Frank, como explica Joëlke Offringa, presidente do IPB. Em recordar, a ideia é colocar todas as pessoas – sejam professores ou alunos – na mesma página quando o assunto é história, ou seja, promover uma compreensão aprofundada sobre o tema do Holocausto e o genocídio de milhões de pessoas. 

Em refletir, parte-se do conhecimento adquirido na fase anterior para a realização de processos reflexivos sobre como a sociedade pôde chegar a um nível de barbárie como aquele, quais papéis as pessoas assumiram naquele contexto e o que cada um de nós poderia ter feito nessa situação. 

“Quando passamos para o terceiro pilar, o reagir, trabalhamos no jovem justamente esse potencial de ser o ajudante de hoje, assumir esse papel de alguém que estica a mão para quem mais precisa”, explica Joëlke. “O objetivo principal da Casa Anne Frank é transformar um número cada vez maior de jovens em ajudantes que trabalham para as questões mais urgentes de hoje e em prol das pessoas mais vulneráveis. Nós, como humanidade, temos que cuidar desse planeta e criar condições de vida para as próximas gerações.” 

Temáticas e contextualização 

Debater os principais temas abordados pela plataforma ganha ainda mais importância se as discussões foram embasadas e acontecerem na escola com o objetivo de promover conhecimento e a construção de valores. 

“O que aconteceu no passado nos mostra claramente a necessidade de investir todos os dias na construção de valores importantes para uma sociedade que valoriza a diversidade e boas relações: com você mesmo, com o outro, com o seu meio e com os espaços de decisão”, reforça Joëlke. 

A presidente cita ainda a frase do orador irlandês John Philpot Curran – “O preço da liberdade é a eterna vigilância” – para explicar que compreender o passado e o passo a passo de como os eventos se deram ajuda a sociedade atual a reconhecer quando se deparar com movimentos semelhantes de violações de direitos humanos, por exemplo, possibilitando ações antes que ganhem força como aconteceu à época do Holocausto. 

Relacionadas

20 livros e atividades para falar sobre guerras com crianças e jovens

ACESSAR

No ensino médio, leitura precisa encontrar o protagonismo do aluno

ACESSAR

🎧 Ouça agora o podcast do Porvir sobre migração, refúgio e educação

ACESSAR

Inspiração 

Todos os materiais pensados pela plataforma partem do mesmo ponto: a vida de Anne Frank e o fato de ser inspiração para os jovens brasileiros, como comenta Joëlke. Apesar de ter vivido situações complexas e muito difíceis, chegando a ter que se esconder para sobreviver, a menina alemã de origem judaica realizou reflexões profundas em seu Diário e continuou a acreditar na bondade humana. 

Para Joëlke, todo esse contexto pode ajudar os adolescentes e jovens brasileiros a superar seus próprios contextos desafiadores. “A partir desse legado de Anne Frank, os jovens são colocados em ação. Eles se despertam, conectando-se a esse conteúdo e saem para o mundo para trabalhar em prol de uma sociedade mais justa.” 

A conexão não fica restrita aos tempos do Holocausto, entretanto. Os conteúdos buscam inspiração histórica, mas discutem temas urgentes do mundo de hoje, como racismo, genocídio de jovens negros, homofobia, feminicídio, crimes contra ativistas ambientais, entre outros. 

Canal Anne Frank House no YouTube – Legendas em português disponíveis

Conteúdos educativos 

Os materiais oferecidos pela plataforma estão divididos em duas categorias, de acordo com o tipo de atividades que oferecem: presenciais ou online. “O Centro Anne Frank vê o uso das ferramentas online como uma forma de utilização eficiente e criativa de uma tecnologia disponível para que aconteçam processos educativos bem como um modo de atingir públicos que, de outra forma, não teriam acesso a nossos conteúdos e formações”, explica a presidente do Instituto Plataforma Brasil.

Os percursos educativos livres contam com três conteúdos: Quem foi Anne Frank – com mais detalhes em textos, fotos e um vídeo sobre a história de vida da menina –, uma linha do tempo com os principais acontecimentos da vida de Anne em paralelo à ascensão do nazismo, e o vídeo Diário Anne Frank, uma série composta por quinze episódios que acompanha os acontecimentos da vida da adolescente a partir de 1944.

Por sua vez, os conteúdos presenciais desenvolvidos pela Casa Anne Frank são adaptados para o contexto educacional brasileiro pelo IPB. Nesta seção, estão as exposições itinerantes, que viajam o mundo espalhando o legado de Anne Frank, as oficinas nas quais os participantes são convidados a dialogar e apresentar suas ideias sobre temas relevantes aos dias de hoje e a experiência de visitar o Anexo Secreto, onde Anne Frank viveu, com óculos de realidade virtual. 

A esses pilares, soma-se o Campus Anne Frank, um espaço no Centro Anne Frank Educação que, a partir de um cadastro, possibilita a professores ou jovens disseminadores conhecer os materiais de forma guiada por especialistas e educadores parceiros do IPB. Atualmente, dois cursos estão disponíveis: o Metodologia IPB e o Diário em Vídeo Anne Frank. Em breve será lançada a formação Anne Frank e seu Tempo. 

Todos os cursos são gratuitos. A ideia é possibilitar que professores de qualquer parte do país possam acompanhar as formações e utilizar os materiais, que, em sua maioria, são mais indicados para os anos finais do ensino fundamental e para o ensino médio, mas com possibilidade de adaptação para os anos iniciais do fundamental. 


TAGS

educação online, pesquisas

Cadastre-se para receber notificações
Tipo de notificação
guest
0 Comentários
Comentários dentro do conteúdo
Ver todos comentários
0
É a sua vez de comentar!x
()
x
X