Dicas para usar um quiz na sua próxima aula - PORVIR
Crédito: dmitryelagin/iStockPhoto

Coronavírus

Dicas para usar um quiz na sua próxima aula

No presencial ou durante as aulas remotas, ferramenta é útil para entender conhecimentos prévios e avaliar o que foi aprendido – desde que o professor pense em um roteiro e escolha o modelo certo de perguntas

Parceria com iSpring

por Vinícius de Oliveira ilustração relógio 15 de abril de 2021

Os primeiros contatos de alunos com novos conteúdos podem gerar muitas dúvidas na cabeça do professor: a compreensão dos alunos foi realmente correta? Deixei passar algum trecho da explicação? Sei aplicar esses conceitos? Uma estratégia que pode ajudar os professores e os próprios estudantes a ter mais clareza se realmente aprenderam determinado assunto e onde ainda têm dúvidas é o quiz.

A estratégia consiste na elaboração de testes cujas questões devem se basear no que o professor ensinou durante a aula ou sequência de aulas. No contexto de pandemia, o uso dessa ferramenta pode ser ainda mais útil, seja antes de iniciar um conteúdo para verificar os conhecimentos prévios, durante as aulas para ter um retrato real sobre as maiores dúvidas e depois do processo, como uma forma de apoiar os alunos na identificação dos pontos que ainda precisam ser revisitados.

Considerando o potencial do uso dos quizzes com um fim pedagógico, o Porvir elaborou uma lista de dicas e orientações práticas que podem facilitar a elaboração das perguntas. Confira abaixo.

Faça um roteiro
Grande parte das listas de dicas começam da mesma forma: pense, planeje, faça um roteiro. A ideia é que, antes de montar o teste, o professor anote em um pedaço de papel todos os conteúdos que deseja abordar e os possíveis cruzamentos entre eles. Dessa forma, ficará mais fácil de elaborar as perguntas.

A ordem das perguntas importa
Uma dica é elaborar um teste que siga o desenrolar das aulas. Importante notar que a ordem das perguntas também merece bastante atenção: uma ideia é começar o quiz com uma pergunta envolvente para despertar o interesse dos alunos, concentrar as que requerem mais empenho no meio do teste e terminar com outro desafio.

Fuja de questões óbvias
Perguntas com respostas óbvias podem, sim, ajudar o estudante a entender o que ele já sabe sobre determinado conteúdo. Mas um teste inteiro feito desse tipo de questionamento não prende a atenção por não trazer nenhum desafio. É possível usar perguntas mais complexas sobre o conteúdo ou até mesmo sobre outros temas que, de alguma forma, se relacionam com os tópicos que estão sendo estudados.

Invista no feedback (retorno avaliativo)
A ideia aqui não é analisar a resposta de cada estudante. Mas, ao elaborar o quiz, o professor pode criar um documento explicando, em cada questão, o motivo da alternativa correta – com exemplos práticos, se for o caso –, e porque as outras opções estão incorretas. Essa estratégia pode sanar inúmeras dúvidas de uma vez só. Outra opção é, além da explicação, direcionar o estudante ao livro, trecho ou aula onde o conteúdo específico de cada questão é abordado.

Promova a colaboração
Enquanto muitos educadores ficam preocupados quando os estudantes façam os testes em duplas ou grupos, outros já perceberam que também existe um potencial de aprendizagem nesses casos. Mais do que avaliar entre certo e errado, os quizzes podem servir para incentivar que os estudantes aprendam e colaborem entre si para fazer novas descobertas. Nesse modelo, é possível propor questões mais complexas, por exemplo, para que mesmo em contato com os colegas e com materiais de consulta, os alunos tenham certo grau de desafio.

Use diferentes tipos de perguntas
Diversificar o modelo de questões utilizadas é uma forma de propor aos estudantes diferentes situações-problema, fazendo com que precisem se adaptar e apliquem o conhecimento de acordo com as propostas, além de manter o engajamento por não ser algo previsível e “mais do mesmo”. O formato de múltipla escolha é o mais comum, mas entre as outras possibilidades estão: propor que os estudantes façam um ranking das alternativas, como, por exemplo, organizar determinados eventos em uma linha do tempo; preencher espaços em branco nas frases com palavras-chave relacionadas ao conteúdo; associação do conteúdo da alternativa a uma única palavra, entre outras.

Faça quizzes frequentemente com diferentes estratégias
Como dito no começo da lista, os quizzes são ferramentas que podem ser utilizadas com frequência e em diferentes momentos do processo de aprendizagem. Os professores podem aplicar os testes antes de iniciar um conteúdo, com objetivo de verificar o que estudantes já sabem sobre determinado tema ou até mesmo concepções erradas. Durante o aprendizado, ou seja, no meio de uma sequência de aulas sobre um conteúdo, o uso de quizzes pode ajudar o docente a visualizar com mais clareza quais conceitos ainda não foram compreendidos totalmente. E no final das aulas ou da apresentação de um tema, o quiz é uma forma de o aluno verificar o que realmente aprendeu e se resta alguma dúvida.

Inclua espaço para autoavaliação
A ideia dessa dica é possibilitar que o aluno responda a pergunta do teste e diga se está confiante em sua resposta ou nem tanto. Isso pode ajudá-lo a identificar com mais facilidade em quais conteúdos têm mais dúvidas e, consequentemente, o que estudar no futuro.

Incluir perguntas extras
Se um quiz conta com seis perguntas, essa dica sugere disponibilizar oito questões aos alunos, dando a chance de pularem ou optarem por não responder duas delas. É claro que aqueles que quiserem, podem tentar responder todas. Mas incluir duas chances de pular questões é uma forma de os alunos se sentirem em maior controle e identificarem em qual parte do conteúdo têm mais dificuldade e precisam de maior dedicação nos estudos.

Quer saber mais sobre como criar apresentações, testes e vídeos?
Clique e acesse

iSpring

TAGS

avaliação, tecnologia

Deixe um comentário

avatar
500
  Acompanhar a discussão  
Tipo de notificação