Mobilização do Scratch Day no Brasil é a maior do mundo - PORVIR
Crédito: Centro Juvenil de Ciência e Cultura de Vitória da Conquista

Inovações em Educação

Mobilização do Scratch Day no Brasil é a maior do mundo

Cerca de 450 ações espalhadas por diferentes regiões aproximaram o público da linguagem de programação que já introduziu milhares de crianças ao universo dos códigos

por Marina Lopes ilustração relógio 7 de junho de 2019

Com a proposta de disseminar o uso do Scratch, linguagem de programação que já introduziu milhares de estudantes ao universo dos códigos, e reforçar a importância da fluência computacional e da computação criativa, no último mês mais de 1.500 eventos espalhados pelo mundo reuniram crianças e adultos em torno de brincadeiras, oficinas e experiências criativas. Neste ano, com cerca de 450 ações, o Brasil se destacou como o país que mais organizou atividades para celebrar o Scratch Day, evento mundial incentivado pelo MIT Media Lab, laboratório de pesquisa do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts).

Em diferentes espaços, como salas de aula, laboratórios de tecnologia ou até mesmo dentro da programação de grandes festivais, as atividades permitiram que os participantes tivessem contato com o Scratch e que também pudessem experimentar a ferramenta para desenvolver histórias interativas, jogos e animações.“A ideia do Scratch Day é ser um momento de celebração”, destaca Guilherme Sandler, articulador da Rede Brasileira de Aprendizagem Criativa (RBAC), ao mencionar que a atividade pode ser um ponto de partida para mobilização ou para o fortalecimento de comunidades locais.

Atividade realizada pelo Centro Juvenil de Ciência e Cultura de Vitória da Conquista / Crédito: Centro Juvenil de Ciência e Cultura de Vitória da Conquista

Atividade realizada pelo Centro Juvenil de Ciência e Cultura de Vitória da Conquista / Crédito: Centro Juvenil de Ciência e Cultura de Vitória da Conquista

Nos últimos quatro anos, o Brasil aumentou de forma considerável a sua participação no Scratch Day. De apenas 60 eventos promovidos em 2016, a estimativa da RBAC é que até o final do ano sejam contabilizadas pelo menos 500 atividades nas cinco regiões do país. “Os países que têm mais eventos normalmente têm o apoio de uma organização por trás”, avalia Sandler.

A ideia do Scratch Day é ser um momento de celebração

No caso do Paquistão, por exemplo, que conta com 257 ações registradas na plataforma, uma iniciativa governamental estimulou que atividades fossem desenvolvidas em diferentes escolas do país. Já na Espanha, com mais de 100 atividades, centros culturais localizados no sul do país ajudaram a fortalecer a mobilização. “Acho que o caso brasileiro é o mais orgânico porque nós temos a Rede Brasileira de Aprendizagem Criativa. Nós trabalhamos com organizações e núcleos regionais que promovem o Scratch Day”, reflete.

Scratch Day movimenta diferentes cidades no país
Em Vitória da Conquista, no sul da Bahia, neste ano a celebração ocupou espaço público. “Esse é o terceiro ano que a gente faz Scratch Day. Os primeiros aconteceram dentro da escola, mas como a gente já tinha experiência, esse ano deu vontade de fazer diferente”, compartilhou Elmara Souza, vice-diretora do Centro Juvenil de Ciência e Cultura de Vitória da Conquista. Para isso, no dia 11 de maio, véspera do dia das mães, os 20 Chromebooks utilizados em atividades da escola foram levados para a praça 9 de Novembro, um dos principais pontos de comércio da cidade. A mesma ação também aconteceu na praça Castro Alves, em Barreiras.

Com apoio da comunidade e um link de internet cedido por uma empresa de telecomunicação, toldos e mesas foram espalhados pela praça com atividades organizadas em diferentes estações: demonstrações de jogos produzidos pelos alunos, atividades com Arduino e Micro:bit, além de experiências com o kit de eletrônica Makey Makey. “Nossa equipe era pequena, mas os nossos alunos que fizeram curso de Scratch também se dispuseram a ser monitores. Foi uma manhã super intensa, tinham desde crianças até pessoas idosas”, contou Elmara. De acordo com ela, a estimativa é que o evento tenha recebido público de 600 pessoas.

Scratch Day em São Bernardo do Campo / Crédito: Secretaria de Educação de São Bernardo do Campo

Scratch Day em São Bernardo do Campo / Crédito: Secretaria de Educação de São Bernardo do Campo

Já em São Bernardo do Campo, na região metropolitana de São Paulo, a ação contou com o apoio da secretaria municipal de educação. A rede, que já trabalha tecnologia e aprendizagem criativa de forma integrada ao currículo, reuniu quase 1.200 estudantes, educadores e famílias no Cenforpe (Centro de Formação de Profissionais de Educação) para celebrar o Scratch Day no dia 25 de maio.

“O Scratch Day para nós representa uma porta de entrada para a aprendizagem criativa”, avalia Verônica Gomes dos Santos, encarregada da divisão de tecnologia da Secretaria Municipal de Educação de São Bernardo do Campo. Segundo ela, o evento serve como um momento de sensibilização para que educadores e parceiros possam enxergar o potencial da integração curricular dessas atividades. Do outro lado, as famílias também são envolvidas nos processos de construção dos estudantes. “Os pais percebem que os filhos têm potencial de criar e de serem autores.”

Além do evento que reuniu diversos profissionais e estudantes da rede, a secretaria também incentivou que escolas se envolvessem na organização de suas próprias atividades. Inspirada por essas ações, a professora de apoio aos projetos pedagógicos de tecnologias na educação Daniela Veihl decidiu organizar um Scratch Day na Escola Municipal de Educação Básica Professor Geraldo Hypolito. Além de envolver 500 alunos com atividades durante o dia, no período noturno os professores também colocaram a mão na massa em experiências com o Scratch.

Scratch Day na Escola Municipal de Educação Básica Professor Geraldo Hypolito / Crédito: Daniela Veihl decidiu organizar um

Scratch Day na Escola Municipal de Educação Básica Professor Geraldo Hypolito / Crédito: Daniela Veihl

“Foi a primeira experiência e, ao mesmo tempo, um desafio enorme. Estamos atuando com o Scratch e promovendo a aprendizagem criativa há mais ou menos dois anos, mas decidimos mobilizar a escola inteira para criar um evento”, contou a professora. Com a participação dos alunos do 5º ano do ensino fundamental, que foram envolvidos na organização do Scratch Day, a escola montou um circuito com quatro atividades diferentes: no laboratório de informática as crianças interagiram com o Scratch; no atelier de artes foram criados cenários de fundo para animações com o mascote da plataforma; a sala de aprendizagem criativa foi espaço para o desenvolvimento de atividades desplugadas; e a biblioteca integrou o Scratch ao uso de câmera e Makey Makey.

Apesar de boa parte dos eventos serem celebrados em maio, o Scratch Day não tem uma data específica para ser realizado. Em Campo Grande (MS), a professora de física Ellen Regina Barbosa está organizando uma ação na Escola Estadual Marçal de Souza Tupã-y. No dia 24 de junho, com o apoio de um grupo de alunos do ensino médio, será promovido o primeiro evento da instituição. “A ideia é dar espaço para os alunos jogarem, conhecerem a ferramenta e participarem do projeto na escola”, compartilhou a educadora.

Com atividades organizadas pelos jovens, a ideia é que o evento conte com a presença de cerca de 200 estudantes do ensino médio. De acordo com a professora, a proposta é que a ação apresente novas ferramentas e motive as turmas.

Atividade na Escola Estadual Marçal de Souza Tupã-y / Crédito: Ellen Regina Barbosa

Atividade na Escola Estadual Marçal de Souza Tupã-y / Crédito: Ellen Regina Barbosa

Próximos passos
Para discutir os próximos passos após a realização do Scratch Day, a Rede Brasileira de Aprendizagem Criativa irá promover na próxima quinta-feira (13), às 19h30, uma transmissão ao vivo em sua página do Facebook. Os interessados em ainda promover um Scratch Day em sua escola ou comunidade também podem acessar mais informações no site da ação e baixar o material de orientação produzido pela rede.


TAGS

aprendizagem criativa, educação mão na massa, tecnologia

1
Deixe um comentário

avatar
500
1 Comentários ao conteúdo
0 Respostas a comentários
0 Seguidores
 
Comentário com mais reações
Comentário em alta
1 Autores
Alex Veihl Quem acabou de comentar
  Acompanhar a discussão  
Mais recentes Mais antigos Mais votados
Tipo de notificação
Alex Veihl
Visitante
Alex Veihl

Parabéns a esses professores que ainda acreditam num futuro melhor, acreditam nas crianças.
Fazem o que é possível e as vezes o que parecia ser impossível para desenvolve-los e incluí-los na tecnologia, incentivando-os e os desafiando irem além de suas realidades.
Que as autoridades reconheçam nossos professores e salvem a professorinha!