Site que forma refugiado para dar aula de idiomas vence prêmio em Dubai - PORVIR
Crédito: Jakub Krechowicz/Fotolia.com

Inovações em Educação

Site que forma refugiado para dar aula de idiomas vence prêmio em Dubai

Primeira edição da premiação de startups lançada no Global Education & Skills Forum reconhece empresas por impacto na educação

por Vinícius de Oliveira ilustração relógio 20 de março de 2018

De um lado, apoia a inclusão de refugiados com qualificação profissional ao oferecê-los a chance de trabalhar como professores. De outro, atende à necessidade de quem quer aprender um novo idioma. E os dois acabam transformados pela experiência. Essa é a proposta da Chatterbox, plataforma de idiomas que neste domingo venceu a primeira edição do concurso de startups Next Billion Edtech Prize, parte do Global Education & Skills Forum, evento realizado neste final de semana em Dubai (Emirados Árabes Unidos) pela Varkey Foundation.

Para levar para casa o prêmio de US$ 25 mil, a empresa criada por Mursal Hedayat, ela própria uma refugiada afegã que vive no Reino Unido, teve que passar por pitches (sessões curtas para jurados) e superar outras 41 startups. Na etapa final, que incluiu a dot Learn e a Teachmenow (veja mais a respeito delas abaixo), a plataforma de idiomas foi a mais votada pelo público presente no salão principal do hotel Atlantis, The Palm.

Leia mais:
No Brasil, refugiados ensinam idiomas a partir de experiências
– ONG leva espaço interativo a campos de refugiados
– Projeto transforma mulheres refugiadas em professoras de pré-escola
Afegã que criou escolas secretas para meninas vence Prêmio WISE

“Eu tinha três anos de idado quando cheguei ao Reino Unido como refugiada com minha mãe Patuni. Ela era uma engenheira civil que falava inglês e outras três línguas fluentemente. Depois que ela deixou o Afeganistão por conta da guerra civil, ficou desempregada no Reino Unido por mais de uma década”, afirma Mursal. “Refugiados com qualificação acadêmica e habilidade reconhecida ainda sofrem muito com o subemprego. Uma ideia como a Chatterbox nunca foi tão necessária”, disse durante sua apresentação final que culminou com a vitória.

Segundo a Chatterbox, as taxas cobradas de alunos individuais, grupos ou professores atendem às recomendações da Living Wage Foundation, que faz estimativa de valores de acordo com o custo de vida na Inglaterra.

Como funciona

Na Chatterbox, estão disponíveis aulas de árabe, bengali, chinês, coreano, espanhol, francês, hindi, mandarim, persa, suaíli, turco e urdu. Após selecionar o idioma, o usuário é convidado a escolher o estilo de aprendizagem que deseja ter: conversação ou foco em escrita, leitura e escuta. Em seguida, o site envia um email com o calendário a disponibilidade do professor para uma sessão online ou presencial. Caso a aula fique aquém das expectativas, é oferecida a devolução do dinheiro.

Dot Learn e Teachmenow

As outras duas empresas que avançaram à etapa final com voto do público presente ao evento também vão receber US$ 25 mil de investimento. A dot Learn tem como missão tornar o ensino online mais prático e acessível financeiramente para regiões pobres. Para isso, está construindo uma tecnologia que vai reduzir para 1/100, que garante que um aluno no Quênia ou na Nigéria possa acessar cinco horas de vídeos pelo preço de uma mensagem de texto SMS.

A Teachmenow conecta professores, especialistas e mentores a estudantes. Assim como a Chatterbox, combina agendamento, pagamento e sessões virtuais. Sua rede de professores possui 10.000 integrantes e movimenta US$ 100.000 por ano. Tais números já chamaram a atenção de empresas como a Microsoft, que já adota a tecnologia em suas comunidades de educadores.

* Jornalista viajou a Dubai a convite da Varkey Foundation


TAGS

cursos

Deixe um comentário

avatar
500
  Acompanhar a discussão  
Tipo de notificação
X