Professora transforma sala de aula em pizzaria da inovação - PORVIR
Crédito: grafvision / iStockPhoto

Diário de Inovações

Professora transforma sala de aula em pizzaria da inovação

Para aprender conceitos de empreendedorismo, a turma colocou na mão na massa, usou ferramentas de design thinking, canvas e apresentação de pitch

por Elaine Cristina de Andrade ilustração relógio 31 de julho de 2019

Sempre acreditei no ensino com aplicação prática e algo que trouxesse emoção ao conteúdo. Depois de estudar vários formatos lúdicos de capacitação de adultos, resolvi testar um método que acelerasse a oportunidade da vivência empreendedora com uma pitada saborosa de inovação. Foi assim que surgiu a pizzaria da inovação, no Senai Paraná, em Curitiba.

É uma aula bastante dinâmica, que também pode ser feita com crepes e lanches. Conduzi essa atividade com várias turmas distintas da educação profissional do ensino médio, com o propósito de ensinar sobre empreendedorismo e inovação, utilizando as ferramentas de design thinking, canvas – business model generation (quadro de modelo de negócios) e apresentação em formato de pitch.

Na primeira aula, contextualizei que até o final da semana abriríamos um novo negócio na área de alimentos, e o trabalho foi realizado em equipes. Eles começaram uma nova pizzaria, mas cada time trabalharia com um cliente específico.

Levei então cartazes com 5 personas previamente elaboradas, que eram: o romântico, o esportista, o sensual, o irreverente e o nerd. Solicitei aos alunos que visualizassem as características de cada persona e colocassem um post-it com o nome deles ao lado dos cartazes que melhor se identificavam, para mais tarde resgatarmos isso.

E assim começamos um negócio do zero, trabalhando o mapa da empatia, se colocando no lugar das personas e entrevistando os colegas de sala sobre seus gostos e preferências conforme haviam apontado nos post-its.

Na segunda aula, já haviam estruturado o mapa da empatia e elaborado um canvas, indicando neste último como seriam suas abordagens de negócios, canais de comunicação, relacionamento com o cliente, receita, parceiros-chave, recursos e atividades necessárias para tirar tudo do papel de fato.

Na aula seguinte, eles construíram uma forma de se comunicar mais com seu potencial cliente e criaram páginas nas redes sociais, fizeram entrevistas estruturadas de forma online, além da presencial (análise de mercado).

O terceiro encontro discutiu como seria a abordagem no formato de pitch, apresentando todo o modelo de negócios como se estivessem num fórum de investimentos para pedir dinheiro para montarem esse negócio de verdade.

Na aula seguinte, que durou um período inteiro, os times se dividiram e enquanto uns ensaiavam para vender, outros foram para a cozinha da escola preparar as pizzas de verdade. E teve de tudo: pizza em formato de símbolos de Pokémon, super-homem, outra cortada em formato de coração, e os sabores também muito diferentes, receitas da massa com elaboração diferenciada e farinhas com baixo carboidrato, além de misturas inusitadas antes nunca testadas e assim concluíram a pizza.

Fizemos um intervalo para as apresentações dos negócios e comemos pizza. As equipes levaram até os cenários, fizeram panfletos, caixas personalizadas com cards, foram muito criativos e profissionais. Sempre que aplico essa aula eu me surpreendo com o resultado, os alunos dão um show, são muito criativos.

No final da aula, para fechar os conteúdos fiz um Kahoot (questionário interativo) para jogar com eles os conceitos aprendidos. Foi unânime: os alunos perceberam que estavam com muitas sinapses novas, relataram que foi prazeroso e divertido, e assim conseguimos fazer uma realidade diferente para um contexto empreendedor. Eles demonstravam felicidade com o resultado do negócio e muitos tocaram em frente e abriram mesmo uma pizzaria!


Elaine Cristina de Andrade

Há 10 anos no Sistema Fiep (PR), atualmente conduz o programa Trilha da Inovação na Educação para as casas Sesi e Senai. Organiza e realiza capacitações em conteúdos e ferramentas que facilitam o aprendizado dos alunos do novo tempo, nos temas: Inspirar, transformar e aprender - a Neurociência como facilitadora no ensino e aprendizagem criativa; Educação Empreendedora; Ensino Híbrido; Metodologia Senai de Educação Profissional. Participa como avaliadora de prêmios estaduais e nacionais voltados à inovação, assim como de comitês técnicos para implantação de temas como o Indústria 4.0 nas salas de aula da rede. Apaixonada por empreendedorismo, acredita que esse é o perfil para melhorar o mundo. Gosta de estudar espiritualidade, física quântica, gastronomia funcional, organizar viagens, e escrever poesias. 

TAGS

educação mão na massa, empreendedorismo, ensino médio, ensino técnico

2
Deixe um comentário

avatar
500
2 Comentários ao conteúdo
0 Respostas a comentários
0 Seguidores
 
Comentário com mais reações
Comentário em alta
2 Autores
Karina MatosMarcio Ferreira Quem acabou de comentar
  Acompanhar a discussão  
Mais recentes Mais antigos Mais votados
Tipo de notificação
Marcio Ferreira
Visitante
Marcio Ferreira

E o trabalho ficou muito bem feito,vão ser grandes empreendedores!
Para Mulheres Especiais Lingerie, Juruaia – MG

Karina Matos
Visitante
Karina Matos

Quando gostamos do que fazemos, tornamos qualquer ideia em forma de estudo e criatividade.
Procurando Casa de Entretenimento Adulto Americana, Americana – SP