Bem-vindo (a) ao site do Porvir

Aqui, mapeamos, difundimos e promovemos a troca de práticas educacionais inovadoras

Boas inspirações!

Crédito: Budimir Jevtic / Fotolia.com

Inovações em Educação

Desafio seleciona projetos de transformação social protagonizados por jovens

Criativos da Escola premia 11 iniciativas feitas por crianças e adolescentes de todo o país para mudar suas comunidades

por Marina Lopes 7 de dezembro de 2016

Protagonismo, empatia, criatividade e muito trabalho em equipe. Durante a cerimônia de premiação do Desafio Criativos da Escola 2016, realizada pelo Instituto Alana nesta terça-feira (6), em Salvador, crianças e adolescentes de várias partes do país subiram ao palco do Teatro Diplomata para mostrar como soluções criativas podem gerar transformações sociais.

Dentro do movimento global Design for Change, idealizado pela designer indiana Kiran Bir Sethin, neste ano a edição brasileira do concurso selecionou 11 projetos desenvolvidos por estudantes de 7 estados diferentes. Entre as inciativas, estão propostas para preservar o meio ambiente, fortalecer direitos humanos e estimular a participação política.

Os projetos foram avaliados conforme o seu potencial de transformação social e capacidade de contribuir para o desenvolvimento de valores associados aos quatro pilares fundamentais do movimento: protagonismo, empatia, criatividade e trabalho em equipe. Para a coordenadora do projeto e diretora de comunicação do Instituto Alana, Carolina Pasquali, as iniciativas selecionadas refletem temas e preocupações que estão presentes no dia a dia dos jovens. “Os projetos são genuínos e de fato saem de um lugar de incômodo deles”, analisa.

Entre 4 de abril e 15 de outubro deste ano, a competição recebeu 1.014 projetos. Além de dobrar o número de inscrições do ano anterior, Carolina destaca que a segunda edição do desafio também traz um crescente aumento de interesse dos estudantes em ações de participação política. “Tivemos vários projetos olhando para o fazer político, como são criadas as regras, quem fala por nós e o que perdemos ao não falar”, comenta.

A exemplo dos recentes movimentos de ocupações que se espalharam por escolas de todos país, a coordenadora do Criativos da Escola menciona que o envolvimento dos jovens no desafio deixa claro o desejo deles de participarem de iniciativas de transformação social e de terem voz dentro da escola. “Eles já fazem isso, mas nós não estamos acostumados a ouvir.”

Os projetos vencedores receberam prêmios em dinheiro (R$ 2 mil para a escola e R$ 500 para os educadores representantes) e viajaram para participar de atividades em Salvador (BA).

Após a cerimônia de premiação, o Porvir conversou com alguns estudantes de diferentes regiões do país para saber o que é ser um jovem transformador e como eles podem mudar suas escolas e comunidades. Na próxima segunda-feira (12), você acompanha esses relatos em um podcast que será publicado no site.

Conheça os selecionados:

Cruzando os sertões da Mata Branca: educação e sustentabilidade na caatinga – Escola Estadual de Ensino Profissional Lucas Emmanuel Lima Pinheiro / Iguatu (CE)
Após descobrirem que os livros didáticos traziam poucas informações sobre Caatinga, único bioma exclusivamente brasileiro, estudantes da Escola Estadual de Ensino Profissional Lucas Emmanuel Lima Pinheiro, em Iguatu (CE), decidiram buscar mais informações e investigar como poderiam conscientizar as pessoas a lutarem pela sua preservação. A inquietação e mobilização dos adolescentes deu origem ao projeto de Lei 2.404/16, que obriga o município a fornecer materiais adequados para os professores trabalharem esse bioma na escola.

Urupet – Escola do Sesi de Campo Grande / Campo Grande (MS)
Desafiados a fazer um projeto que pudesse ajudar a natureza, estudantes da Escola do Sesi de Campo Grande, em Campo Grande (MS), desenvolveram uma solução para auxiliar o trabalho dos catadores de materiais reutilizáveis e recicláveis. Trata-se de um equipamento para amassar garrafas PET e diminuir o seu volume.

O uso do papel reciclado para a produção de embalagem para mudas – Escola Estadual Técnica Agrícola Desidério Finamor / Lagoa Vermelha (RS)
Durante um momento de descontração na escola, quando brincavam de jogar bolinhas de papel molhado, os estudantes da Escola Estadual Técnica Agrícola Desidério Finamor, no município de Lagoa Vermelha (RS), perceberam que esse material se degradava com facilidade. A partir dessa observação, eles criaram uma embalagem para mudas que substitui os tradicionais sacos plásticos e ainda contribuir com o desenvolvimento da planta.

Solta esse Black – Escola Municipal Levy Miranda / Rio de Janeiro (RJ)
Aceitação, motivação e autoestima. Um grupo de meninas da Escola Municipal Levy Miranda, no Rio de Janeiro (RJ), criou um projeto para incentivar colegas da escola a aceitarem o seu cabelo natural e se sentirem empoderadas. Em poucos dias, elas começaram a notar uma transformação na escola.

Para além dos muros da escola: intervindo no Jardim Maringá – EMEF Assad Abdala / São Paulo (SP)
Os adolescentes da Escola Municipal de Ensino Fundamental Assad Abdala, em São Paulo (SP), colocaram a mão na massa para revitalizar a comunidade ao redor da escola. Entre os espaços transformados, eles trabalharam para melhorar uma praça e uma escadaria do bairro paulistano Jardim Maringá.

Tenda Móvel – Escola de Ensino Médio Professor Milton Façanha Abreu / Mulungu (CE)
O que fazer para diminuir problemas sociais de uma comunidade? Os estudantes da Escola de Ensino Médio Professor Milton Façanha Abreu, no município de Mulungu (CE), tiveram a ideia de criar o projeto Tenda Móvel, que identifica anseios dos moradores e pensa em soluções para esses desafios.

Libras: a voz do silêncio – Escola Municipal Dom Sílvio Maria Dário / Itapeva (SP)
Após a chegada de uma criança com deficiência auditiva na turma, os estudantes da Escola Municipal Dom Sílvio Maria Dário, em Itapeva (SP), criaram um projeto para aprender libras e poder se comunicar com o novo colega sem intermédio da professora.

Ensinando e aprendendo (PVE) – Escola Estadual Carlos Alexandre de Oliveira / Três Marias (MG)
Com intuito de ajudar adultos da comunidade que não sabem ler ou escrever, adolescentes da Escola Estadual Carlos Alexandre de Oliveira, em Três Marias (MG), começaram um projeto para dar aulas voluntárias de alfabetização e matemática.

Entre versos e rimas: História e cultura local – Escola de Ensino Médio Ronaldo Caminha Barbosa / Cascavel (CE)
Como uma forma de preservar a história e a cultura local, os estudantes da Escola de Ensino Médio Ronaldo Caminha Barbosa, em Cascavel (CE), fizeram pesquisas e visitaram diversas escolas do município para falar sobre o sotaque, costumes, lendas e tradições de Cascavel.

Utilização de plantas medicinais no município – Colégio Estadual do Rio do Antônio / Rio do Antônio (BA)
Após notar que o conhecimento sobre plantas medicinais era algo passado de geração para geração, adolescentes do Colégio Estadual do Rio do Antônio, no município de Rio do Antônio (BA), resgataram tradições e criaram um livro sobre funções e contraindicações de cada uma delas.

Descobrindo as riquezas e importância da Gruta do Padre – Escola Estadual Edvaldo Flores / Santana (BA)
Os alunos da Escola Estadual Edvaldo Flores, em Santana (BA), descobriram que o município abrigava a terceira maior gruta do país, mas ela estava abandonada. Para estimular o interesse das pessoas pelo espaço, eles criaram um site com informações sobre a Gruta do Padre.

* Marina Lopes viajou para Salvador a convite do Instituto Alana

TAGS

aprendizagem baseada em projetos, criativos da escola, experimentação, prêmios