Bem-vindo (a) ao site do Porvir

Aqui, mapeamos, difundimos e promovemos a troca de práticas educacionais inovadoras

Boas inspirações!

crédito Uros Petrovic / Fotolia.com

Inovações em Educação

Estudar faz pessoas serem mais felizes e viverem mais

Estudo faz parte de série composta por 10 pesquisas sobre educação; nível de felicidade é 18% maior entre mais escolarizados

por Redação 8 de fevereiro de 2013

Um estudo recente sobre aspectos da educação mostra que quem estuda mais tende a ser mais feliz e ter uma expectativa de vida maior. O levantamento What are the social benefits of education? (Quais são os benefícios sociais da educação?, em tradução livre) foi produzido pela OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) e realizado em 15 países membros da organização – do qual o Brasil não faz parte. “A educação ajuda as pessoas a desenvolver habilidades, melhorar a sua condição social e ter acesso a redes que podem ajudá-las a terem mais conquistas sociais”, dizem os autores da pesquisa.

Segundo o estudo, as pessoas que estudam mais são mais felizes porque tem maior satisfação em diferentes esferas de sua vida. Esse nível de satisfação pessoal é de, em média, 18% a mais para que têm nível superior em relação àquelas que pararam no ensino médio.

Em relação ao aumento da expectativa de vida, o estudo mostra que um homem de 30 anos, por exemplo, pode viver mais 51 anos, caso tenha formação superior, enquanto aquele que cursou apenas o ensino médio viveria mais 43, ou seja, oito anos menos. Essa disparidade é mais acentuada na República Tcheca, onde os graduados podem viver 17 anos a mais. Já os portugueses, asseguraram a diferença mais baixa, apenas 3.

O estudo, divulgado no fim do mês passado, encerra a Education Indicators in Focus, série composta por 10 estudos, apresentados ao longo de janeiro de 2012 a janeiro de 2013, que destacam diferentes aspectos educacionais avaliados da educação básica ao ensino superior. Entre eles, como a crise global afeta as pessoas com diferentes níveis de escolarização, quais países estão dando suporte ao acesso ao ensino superior e qual a variação no número de alunos ao redor do mundo. Os interessados em acompanhar as pesquisas podem acessá-las gratuitamente on-line em três versões: inglês, espanhol e francês.No caso das mulheres, a diferença não é tão acentuada: a expectativa média de vida é de quatro anos a mais para as universitárias. À frente desta tabela estão as nascidas na Letônia, que vivem quase nove anos mais do que as compatriotas que interromperam os estudos no antigo segundo grau.

Os políticos devem ter em conta que a educação pode gerar benefícios sociais mais amplos desde que haja mais investindo em políticas públicas.

Em outro capítulo desse mesmo levantamento, realizado com um grupo de 27 países, a OCDE chegou à conclusão de que 80% dos jovens com ensino superior vão às urnas, enquanto o número cai para 54% entre aqueles que não têm formação superior. Os adultos mais escolarizados também são mais engajados quando o assunto é voluntariado, interesse político e confiança interpessoal. “A educação tem o potencial de trazer benefícios para as pessoas e para as sociedades, e isso vai muito além da contribuição para a empregabilidade dos indivíduos ou de renda”, afirma os autores da pesquisa, que enfatiza ainda a importância do Estado. “Os políticos devem ter em conta que a educação pode gerar benefícios sociais mais amplos desde que haja mais investindo em políticas públicas”.

Sala de aula

Nos países da OCDE, a quantidade média de alunos em sala de aula é de 23, embora o número varie de acordo com cada país. Na Coreia e no Japão chega a 32; enquanto na Eslovênia e Reino Unido não passa de 19 por classe, segundo mostra o estudo How Does Class Size Vary Around the World? (Como a sala de aula varia ao redor do mundo?, em tradução livre), divulgado em novembro de 2012. A pesquisa mostra que entre 2000 e 2009 muitos países investiram recursos adicionais para diminuir o número de estudantes em sala de aula, no entanto, o desempenho melhorou em apenas alguns deles. “Reduzir o tamanho da turma não é, por si só, uma alavanca política suficiente para melhorar o rendimento dos sistemas de ensino, mas, sobretudo, priorizar a qualidade dos professores em relação ao tamanho da classe”, aponta a pesquisa.

TAGS

pesquisas

  • Pingback: Estudar faz pessoas serem mais felizes e viverem mais | Portal Aprendiz()

  • Achei essa pesquisa o máximo! Pois quero retornar meus estudos que havia abondonado a alguns anos. Hoje sinto na pele o insucesso profissional por não ter concluido ao menos o ensino médio. Na tentativa de recuperar o tempo perdido, vou me matricular para o segundo semestre desse ano. Aos 39 anos, cursar a 1a série do Ensino Médio e fazer um curso técnico para aprender uma profissão. Por motivo de trabalho não pude me matricular agora no início do ano, mas em abril serei dispensado do meu atual emprego, só assim terei o caminho livre para estudar. Em suma quero dizer que o estudo somado a uma qualificação profissional, com certeza faz toda a diferença na nossa vida. Traduz em sucesso e satisfação. Obrigado pela oportunidade de expressar minha opinião com conhecimento de causa. Tenhamos todos uma ótima semana. Abraço!

  • Pingback: Estudar faz pessoas serem mais felizes e viverem mais | Envolverde()

  • Pingback: EdUNEB – Editora da UNEB » Blog Archive » Estudar faz pessoas serem mais felizes e viverem mais()

  • Karla Silva

    Isso é mais do que obvio. Se você estuda, você consegue um emprego, se estudar mais, aumento de salário, se o salário aumenta, a qualidade de vida aumenta. Será que precisaria de uma pesquisa pra detectar isso ? aff

    • Juli_RJ

      Não foi bem isso que os pesquisadores colocaram, se referiam as pessoas se sentirem realizadas com o investimento do estudo e não em ganhar melhor por isso. Um bom salário não é garantia de satisfação e felicidade, apenas representa que ganha mais dinheiro. Mas você sentir que está buscando o melhor, investindo em si mesmo, é garantia de felicidade. Os lucros são consequencia disto.

  • achei tambem um maximo pois ajuda todos estudantes a serem alguem na vida.
    e ajuda quem quer ser alguem na vida,e arrumar um bom trabalho para poder subir mais alto,e para sustentar sua familia

  • se voce quiser ser alguem nao deixe os outros te atrapalharem,porque quem te atrapalhar nao quer o seu bem mas sim o seu mal,nao de ouvidos para quem quer ver voce no chao
    na minha opiniao temos que estudar bastante para ser alguem na vida

  • Adriana rosa de oliveira

    Eu acho que as pessoas com estudo e muito mais valorizadas do que as que não possuem estudos ,e concordo com o que foi citado acima que si vive mais,pq tem a mente ocupada,e que pessoas com estudos são os mais empregados,e que o seu curriculum conta muito,o empregador e bem visto.

    • Adriana rosa de oliveira

      Eu acho que as pessoas com estudo e muito mais valorizadas do que as que não possuem estudos ,e concordo com o que foi citado acima que si vive mais,pq tem a mente ocupada,e que pessoas com estudos são os mais procurados no mercado de trabalho ,e que o seu curriculum conta muito,o trabalhador e bem visto pelo empregador.

  • Juli_RJ

    A vida é uma contradição. Se valoriza socialmente a falta de cultura e estudos, mas no trabalho valoriza o estudo. Por isso, que há tanto desemprego, o que as pessoas buscam baseados nesses valores não se correspondem. Mas estudo é importante não só para a própria satisfação, mas para as pessoas conseguirem conviverem melhor.

  • Souza

    Eu por exemplo estou cursando o ensino superior e estou mais feliz do que quando ainda estava no ensino regular.