Minha filha não se conformava de não ir à escola, diz afegã refugiada no Brasil - PORVIR

Saiu na Mídia

Minha filha não se conformava de não ir à escola, diz afegã refugiada no Brasil

por Redação ilustração relógio 16 de agosto de 2022

Ativista pelos direitos femininos em um dos países com maior desigualdade de gênero no mundo, a afegã Khatera Mohmand, 38, enfrentou muitas batalhas para combater a violência contra a mulher no serviço público que chefiava.

Mas poucos momentos foram tão difíceis quanto ter que explicar à própria filha, Lema, 8, que ela não poderia mais ir à escola. “Ela me perguntou: ‘o quê? Por quê? Eu adoro a escola, eu quero ir’”, conta. “Como eu iria explicar isso para ela? Como dizer que ela não pode estudar, mas os meninos, sim?”.

Chefe do departamento de equidade de gênero de uma organização do governo, Khatera deixou seu escritório às pressas no dia 15 de agosto do ano passado, quando o Talibã entrou em Cabul e, em um ofensiva relâmpago, assumiu o poder central.


Leia a matéria original em Folha de S. Paulo

TAGS

ensino fundamental, ensino médio

Cadastre-se para receber notificações
Tipo de notificação
guest
0 Comentários
Comentários dentro do conteúdo
Ver todos comentários
0
É a sua vez de comentar!x
()
x
X