Dois projetos brasileiros ganham destaque em estudo internacional sobre desenvolvimento de competências - PORVIR
Crédito: GDArts/iStockPhoto

Inovações em Educação

Dois projetos brasileiros ganham destaque em estudo internacional sobre desenvolvimento de competências

Mapeamento realizado por Hundred e BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) destaca 15 projetos inovadores na América Latina

por Vinícius de Oliveira ilustração relógio 28 de junho de 2021

Em um momento crítico para a educação no qual gestores escolares e formuladores de políticas públicas se perguntam como reinventar a escola após a pandemia de Covid-19, um novo estudo realizado pelo site Hundred e pelo BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) destaca projetos inovadores que podem inspirar e ajudar na busca por respostas. Dois deles foram identificados aqui mesmo no Brasil. Caixa de Ferramentas Jovem e também o De Criança para Criança ganharam destaque como inovadores para o desenvolvimento de habilidades para o século 21.

Ao longo dos últimos meses, um mapeamento foi realizado em toda a América Latina e em países do Caribe para buscar 15 iniciativas que direcionam suas ações para criatividade, colaboração, pensamento, resolução de problemas, entre outras. A partir de agora, equipes desses programas terão acesso a formações, uma rede de contatos e oportunidades para multiplicar suas ações.

⬇️  Baixe o estudo completo em inglês ou espanhol

Projetos brasileiros selecionados
De Criança Para Criança é um projeto desenhado para crianças de 5 a 12 anos que inverte a ordem de produção de conteúdos educacionais infantis, sejam livros, aplicativos ou desenhos animados ao tirá-las de consumidoras passivas e colocá-las como autoras e protagonistas das histórias.

O programa desenvolve habilidades do século 21, como liderança, cooperação e comunicação por meio do trabalho em equipe e da divisão de responsabilidades. Além disso, promove a autonomia, criatividade e responsabilidade social dos alunos ao mesmo tempo em que aumentam o interesse pela produção oral, escrita e artística.

“O Andreas Schleicher, diretor da educação da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), ficou fascinado com o De Criança para Criança e escreveu um artigo em que diz que o que a gente faz é tão simples que saberia dizer por que não foi feita antes”, conta Gilberto Barroso, presidente-executivo da plataforma.

A ideia é que os alunos imaginem uma narrativa sobre o conteúdo. Uma vez pronta, é hora de expressar o conhecimento em forma de arte, e os alunos são convidados a ilustrar o que foi aprendido. Por fim, esses materiais e a narrativa gravada em áudio são enviadas pelo educador para a plataforma, que se encarrega de transformá-la em uma animação. Ao fim do processo, o trabalho da criança também pode virar um livro.

Hundred e BID justificam a escolha do projeto pelo fato de requerer baixa conectividade e por estar baseado no interesse universal pela contação de histórias. Com isso, tem grande potencial de ganhar escala, o que de certa forma já está acontecendo no Brasil e no exterior.

Atualmente, o programa chega a mais de 40 escolas e 8 mil crianças brasileiras. Além do Brasil, o De Criança para Criança está presente na Dinamarca e deve chegar a outros países da Europa ainda em 2021. Para dar conta dessa expansão, De Criança para Criança oferece um curso de técnica de animação em vídeo para escolas, educadores e estudantes, que podem aprender a animar os desenhos e serem remunerados por isso.

O projeto Caixa de Ferramentas Jovem foi criado em 2017 pela ASEC Brasil (Associação pela Saúde Emocional de Crianças) para oferecer apoio a alunos de uma escola em que houve três casos de suicídio, mais de 30 casos de comportamento de automutilação, e dificuldade de se engajar na aprendizagem.

Para contornar a situação, rodas de conversa estruturadas com foco no desenvolvimento de habilidades para que os estudantes pudessem saber lidar consigo mesmo, com os outros e com os desafios, florescer e ajudar seus amigos. A partir dessa experiência, o projeto ganhou escala.

Em 2020, o projeto foi ampliado para seis outros grupos de jovens que fizeram parte da rede UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância) na Amazônia. Com a pandemia, as reuniões passaram a ser virtuais. Já estão marcadas 40 reuniões, com o apoio da UNICEF, para beneficiar 1.000 jovens de territórios vulneráveis ​​da Região Sudeste do Brasil.

Como justificativa pela escolha do projeto, o conselho Hundred/BID, que teve 67 jurados, ressaltou que o programa pode ser facilmente replicado em contextos semelhantes e também a importância do olhar para a saúde mental do jovem.

Outros selecionados (página de destino Hundred em espanhol)

– Chile

Academias Ciencia Joven – Programa de intervenção via abordagem multidisciplinar STEM (Science, Technology, Engineering and Math ou Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática, em português).

Fundação Cámara Mágica – Programa que cria histórias infantis com identidade cultural que são transformadas em livros e doados a crianças.

Fundación Mustakis – Um programa que projeta, cria e implementa experiências de aprendizagem inovadoras e não-formais nas áreas de ciência e tecnologia, arte e cultura, corpo e expressão e natureza.

Nube Lab – Artistas trabalham com alunos para proporcionar uma experiência educacional transformadora baseada na arte contemporânea, com soluções concretas para desenvolver uma educação sustentável, interdisciplinar e contextualizada.

Puentes Educativos – Projeto cujo objetivo é fortalecer a escola como eixo de transformação educacional e social das comunidades rurais, promovendo a igualdade de oportunidades, a aprendizagem profunda e o desenvolvimento local, por meio da promoção de práticas pedagógicas colaborativas e metodologias que promovam o desenvolvimento das competências do 21 e participação da comunidade.

– Colômbia

aeioTU – Colômbia – Currículo pedagógico para crianças desenvolvido para promover criatividade e competências.

La Aldea: historias para estar en casa – Currículo multiplataforma que, por meio de fábulas, trabalha com as crianças o conceito de cidadania e fortalece suas habilidades socioemocionais, enquanto elas se divertem e refletem sobre a realidade que as cerca.

Ser Líder – Acompanha jovens em situação social vulnerável durante um processo de desenvolvimento humano por três ou quatro anos, para capacitá-los a tomar decisões conscientes e construtivas que conduzam à liderança e a um projeto de vida com propósito e sentido.

– Guatemala

Colegio Impacto de MAIA – A escola foi projetada para conectar os talentos de mulheres jovens indígenas nas áreas rurais com as oportunidades do século 21.

– Haiti

APA.png Anseye Pou Ayiti (APA) – Movimento para formar uma rede de jovens líderes cívicos haitianos para promover a equidade educacional.

– México

Educación para Compartir – O programa tem modelo educacional voltado para o desenvolvimento integral de meninas, meninos, famílias e professores por meio de uma metodologia lúdica.

– Guatemala

Seres – Programa cuja missão é cultivar líderes jovens para construir comunidades mais justas e sustentáveis ​​na Guatemala e em El Salvador. Ao fornecer recursos e apoio, incentivamos a participação ativa para melhoria da educação e da saúde, construção de resiliência, redução da desigualdade e estímulo ao crescimento econômico.

– Paraguai

Modelo de Escuela Autosostenible – Paraguai – O modelo de escola autossustentável conecta jovens a uma educação de qualidade, que segue a filosofia de “aprender fazendo”. Isso permite que eles quebrem o ciclo da pobreza, orientando-os a seguir trabalhos mais complexos, buscar o ensino superior ou iniciar seu próprio negócio.


TAGS

aprendizagem baseada em projetos, aprendizagem colaborativa, autonomia, competências para o século 21, educação infantil, educação integral, educação mão na massa, empreendedorismo social, socioemocionais, tecnologia

Deixe um comentário

avatar
500
  Acompanhar a discussão  
Tipo de notificação
X