Instituição educa crianças para a felicidade - PORVIR
crédito racamani / Fotolia

Inovações em Educação

Instituição educa crianças para a felicidade

Escola Caminho do Meio, no RS, tem educação gratuita e currículo baseado em ensinamentos budistas e na cultura de paz

por Vagner de Alencar ilustração relógio 20 de junho de 2013

Um parquinho em torno de um extenso bosque, horta e composteira, centro comunitário, refeitório e até mesmo um templo. As refeições têm cardápio vegetariano e a comunidade é convidada para participar ativamente do processo de aprendizado de seus filhos. Baseada nos eixos dos ensinamentos budistas e da cultura de paz, a escola de educação Caminho do Meio, no município de Viamão, próximo a Porto Alegre (RS), oferece educação comunitária sem fins econômicos para estudantes a partir de um ano de idade. Com uma estrutura curricular chamada de “pedagogia das cinco sabedorias”, os alunos estudam a partir de práticas de uma educação para a felicidade, onde aprendem a conviver com equilíbrio, respeito e amor.

A escola conta com 40 alunos de primeira infância – e atualmente está em expansão para atender também a estudantes do primeiro, segundo e terceiro ano do ensino fundamental – funciona por meio de doações de todo o país. Sua grade segue os parâmetros curriculares estabelecidos pelo MEC, integrada à educação budista. “Ela foi pensada como um espaço de desenvolvimento humano, que possibilite os meios hábeis para desenvolver crianças, famílias, educadores e comunidade em geral, auxiliando-os na busca pela felicidade”, afirma o fundador da instituição e mestre budista, Lama Padma Samten.

A escola funciona em três turnos distintos (manhã, tarde ou período integral) e não há quaisquer critérios, religiosos ou não, para a seleção dos alunos – basta apenas se atentar ao período de matrícula a cada início de ano.

Na escola, os conteúdos tradicionais do currículo – como matemática, linguagem oral e escrita, artes, música e natureza e sociedade – são ensinados de modo transversal a partir dos ensinamentos budistas e de uma série de outras práticas, como brincadeira livres, roda de acolhimento, hora do conto, psicomotricidade, yoga infantil, culinária e agroecologia.

A Escola Caminho do Meio, inclusive, segue um modelo de ensino próprio, construído a partir de um eixo sustentador de cinco sabedorias: a sabedoria do espelho, da igualdade, discriminativa, da causalidade e da darmata. “Assim, os adultos aprendem sobre as cinco sabedorias, para ensinar “pelas costas” ou através de nossos exemplos, às crianças a se relacionarem positivamente e harmoniosamente consigo mesmas, com os outros, com o meio ambiente, com o mundo”, afirma Juliana Corullón, diretora da escola.

A sabedoria do espelho, por exemplo, é representada pela cor azul e está baseada no acolhimento, o que significa que levar aos pequenos a compreensão de que o mundo que vemos ao nosso redor é o mundo que reflete nossa mente. Já a sabedoria da igualdade, identificada pela cor amarela, busca estimular nos alunos a compaixão, a alegria, a generosidade e a moralidade. “Alegrar-se e apoiar a o que de bom acontece com o outro é a sabedoria da igualdade”, diz Samten. Já a sabedoria discriminativa, na cor vermelha,  trabalha com os estudantes a lucidez, ou seja, os fazem diagnosticar desde cedo quais são seus obstáculos, orientando-os como procurar respostas para resolvê-los.

Enquanto isso, a quarta sabedoria, a causalidade, é representada pela cor verde e se dedica a levar ao convívio escolar o que e como se dão as sensações de perda e ganho ou vantagem e desvantagem. Por fim, na sabedoria de darmata, identificada pela cor branca, as crianças aprendem a se tornarem mais estáveis, criativas e seguras internamente.

crédito divulgação

“Buscamos realizar os jogos e brincadeiras dentro daquela sabedoria específica e aquilo vai tomando conta do espaço. Os pais nos dizem o que aconteceu em casa e com isso vamos nos fortalecendo”

Os estudantes são divididos normalmente em grupos distintos, separados de acordo com a faixa etária, para a realização de atividades específicas. No entanto, para trabalhar especialmente o respeito com o próximo, as crianças se reúnem em momentos coletivos, diariamente, para aulas de culinária, de circo ou até mesmo a tradicional educação física.

Os pais são convidados a participar das atividades na escola e até a almoçar os alimentos do cardápio vegetariano, menu que recebem semanalmente por e-mail. “Essas cinco sabedorias reforçam o contato familiar e com os amigos, a ligação com a natureza e os próprios limites de cada criança”, afirma a coordenadora  Josiane Fontana. “As famílias também ficam sabendo e assim vão entrando na mandala. Buscamos realizar os jogos e brincadeiras dentro daquela sabedoria específica e aquilo vai tomando conta do espaço. Os pais nos dizem o que aconteceu em casa e com isso vamos nos fortalecendo”, afirma.

Na fase ênfase 1, com pequenos de um a dois anos, por exemplo, os professores formam rodas de cantigas para contar histórias aos pequenos. Enquanto na ênfase 2, com meninos e meninas de dois a três, um pai se incumbe de trazer musicalidade às aulas, por meio de cantigas em seu violão. Já na ênfase 3, com estudantes de quatro a seis, eles percorrem o parque que contorna a escola para recolher lixo como atividade da disciplina de ecologia. Entretanto, quando chegam ao primeiro ano do ensino fundamental, no entanto, passam a ser acompanhadas de modo individual e de acordo com seu desenvolvimento.

Desde sua fundação, há cinco anos, a escola, vem sendo, inclusive case de estudo da UFP (Universidade Federal de Pernambuco), por meio do Núcleo de Pesquisas em Educação e Espiritualidade. Pesquisadores do Programa de Pós-graduação em Educação da UFP começaram a investigar as diferentes formas de abordagem da espiritualidade e suas respectivas implicações no contexto da educação.

Atualizado às 16h24 do dia 21 de junho de 2013


TAGS

educação infantil, educação integral, escolas inovadoras

7
Deixe um comentário

avatar
500
7 Comentários ao conteúdo
0 Respostas a comentários
0 Seguidores
 
Comentário com mais reações
Comentário em alta
7 Autores
TaniaJesianeEdnéia de Sampaio Marquesmarcelo lobato soaresEdnéia de Sampaio Marques Quem acabou de comentar
  Acompanhar a discussão  
Mais recentes Mais antigos Mais votados
Tipo de notificação
Jesiane
Visitante
Jesiane

Pessoal, é tudo isso mesmo e é um trabalho lindo. Uma correção: Viamão é um município, ao lado de Porto Alegre, e não uma comunidade ou bairro de Porto Alegre. Um trabalho igualmente baseado nos princípios budistas e considerado “filho” do Caminho do Meio, é o CEDIN, centro infantil que atende crianças da educação infantil, nos mesmos moldes pedagógicos da escola budista, localizado na comunidade Jardim Castelo, ao lado do Instituto Caminho do Meio, também… Ler mais »

ALESSANDRA PAULA DINIZ
Visitante
ALESSANDRA PAULA DINIZ

SENHORES, SOU PSICÓLOGA DO CENTRO DE REFERÊNCIA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL DE BOM JARDIM DE MINAS, E AO LER O SITE, ME LANCEI EM UMA EXCELENTE IDÉIA, POIS PRECISAMOS NOS CAPACITAR PARA TRABALHAR COM CRIANÇAS E IDOSOS, EM UM PROGRAMA NOVO QUE O GOVERNO FEDERAL ESTÁ LANÇANDO. CONTUDO, MEU PENSAMENTO ME LEVOU A QUESTIONAR SE NÃO SERIA INTERESSANTE SE PASSASSE UMA TEMPORADA DE UMAS DUAS SEMANAS, PARA QUE PUDESSE ASSIMILAR A IDÉIA E REPRODUZIR EM NOSSO… Ler mais »

Jesiane
Visitante
Jesiane

Pessoal, é tudo isso mesmo e é um trabalho lindo. Uma correção: Viamão é um município, ao lado de Porto Alegre, e não uma comunidade ou bairro de Porto Alegre. Um trabalho igualmente baseado nos princípios budistas e considerado “filho” do Caminho do Meio, é o CEDIN, centro infantil que atende crianças da educação infantil, nos mesmos moldes pedagógicos da escola budista, localizado na comunidade Jardim Castelo, ao lado do Instituto Caminho do Meio, também… Ler mais »

Ednéia de Sampaio Marques
Visitante
Ednéia de Sampaio Marques

Parabéns, esse é o caminho para um mundo melhor e garantir um planeta saudável para as geraçoes futuras.

Ednéia Marques

Ednéia de Sampaio Marques
Visitante
Ednéia de Sampaio Marques

Parabéns, esse é o caminho para um mundo melhor e garantir um planeta saudável para as geraçoes futuras.

Ednéia Marques

marcelo lobato soares
Visitante
marcelo lobato soares

lindo demais o trabalho da escola parabêns!

Tania
Visitante
Tania

Eu fui até esta escola e a mensalidade e500,00 reais, queria muito colocar meu filho lá.
Mas não posso pagar este valor, agora vejo aqui que é gratuita?
Gostaria de mais informações pois ela.nao é gratuita.