Memes abrem espaço para discutir história da arte em aulas remotas - PORVIR
Crédito: Arquivo pessoal

Diário de Inovações

Memes abrem espaço para discutir história da arte em aulas remotas

Professora fala da adaptação para aulas remotas e como contou com a ajuda das redes sociais para ensinar arte barroca de um jeito diferente

por Sabrine Schoenell Evangelista ilustração relógio 19 de agosto de 2020

Estamos todos vivendo um momento de renovação nas práticas pedagógicas em função da pandemia. Aulas remotas e online. O modo como devemos conquistar a atenção do aluno, tão debatida há vários anos, teve que sofrer uma adesão prática na “marra”.

Foi necessário se reinventar.  Inspirada pelo perfil “artesdepressão”, que usa imagens de obras de arte para a criação de memes e, entendendo a aproximação desta popular linguagem digital contemporânea com os alunos do 1º ano do ensino médio, utilizei o meme sobre arte barroca para introduzir o conteúdo na aula, no início de maio.

💡 Aprendendo Sempre: Ferramentas e orientações para suas aulas remotas

Percebendo que após isso os alunos demonstraram um grande interesse no conteúdo abordado, pensei em lançar um desafio de criar memes a partir de imagens de obras de Arte. Após estudar conceitos, obras e artistas do Renascimento e Barroco Europeu, os alunos foram instigados a pesquisar imagens de obras destes períodos que pudessem compor uma imagem para criação de um meme.

Para isso, foi solicitado que eles utilizassem como temática principal a pandemia e a escola online. Desta forma, o objetivo principal passou a ser um enfoque maior nas questões socioemocionais. Por meio da pesquisa de obras de arte e a utilização de uma linguagem humorística e satírica, eles passaram a ter a possibilidade de comunicar algo que estavam sentindo também neste momento.

Como todos sabem, não está sendo tarefa fácil conseguir alcançar a todos os alunos. Mas, para minha surpresa, esta atividade teve uma grande envolvimento. Até mesmo alunos que não haviam assistido a aula, começaram a enviar a tarefa.

A princípio, os memes tiveram compartilhamento entre os alunos, eles não acharam que teria um grande impacto se fosse realmente publicado. Sugeri que eles usassem em seus perfis nas redes sociais, mas aí sim, não tive retorno. Foi quando decidi postar no formato de stories no meu próprio perfil. Foi impressionante o alcance e o número de comentários.

Após a realização desta atividade, os alunos passaram a estar mais presentes e participativos na aula e eu, passei a cada vez mais buscar soluções para as aulas de arte neste contexto online.

Leia mais: Memes são ferramentas para iniciar qualquer discussão em sala de aula

 


Sabrine Schoenell Evangelista

Professora de arte, atua na rede pública e privada de Pelotas desde 2007, ano em que se formou. Leciona em três escolas (1 da rede municipal e 2 da rede privada), com turmas de primeiro ao 1º ao º ano do ensino fundamental, além do primeiro ano do ensino médio. É professora de didática do ensino da arte no Curso Normal - habilitação anos iniciais.

TAGS

aprendizagem colaborativa, coronavírus, ensino fundamental, redes sociais, tecnologia

2
Deixe um comentário

avatar
500
2 Comentários ao conteúdo
0 Respostas a comentários
1 Seguidores
 
Comentário com mais reações
Comentário em alta
2 Autores
Débora MiguelFlávia Quem acabou de comentar
  Acompanhar a discussão  
Mais recentes Mais antigos Mais votados
Tipo de notificação
Flávia
Visitante
Flávia

Que legal, fiz a mesma coisa, porém em Maio.

Débora Miguel
Visitante
Débora Miguel

Muito criativo! Bem interessante mesmo. Só vou fazer uma consideração: acredito que utilizar imagens que são santas para muitos, como a imagem de Cristo (na obra O Sepultamento de Cristo), fora de contexto, seja arriscado. E talvez até desrespeitoso para alguns grupos. Eu particularmente acho importante fazer esse tipo de reflexão com os alunos. Mas de forma geral muito bom!