Longe do laboratório, turma de fundamental 1 pratica ciências na cozinha - PORVIR
Crédito: diane555 / istockphoto

Diário de Inovações

Longe do laboratório, turma de fundamental 1 pratica ciências na cozinha

Professora de Campinas (SP) conta como adaptou aulas e estimulou uma turma do quarto ano do ensino fundamental a colocar a mão na massa

Parceria com CLOE

por Vera Ligia de Campos Henrique ilustração relógio 13 de maio de 2020

Trabalho há mais de vinte anos na educação. No início do ano, o Colégio Genius, em Campinas (SP), onde sou professora, trouxe a proposta de utilizar a plataforma digital para trabalhar conteúdos de ciências com turmas do primeiro ao quinto ano do ensino fundamental.

Para quem tinha experiência com livro didático e apostila, começar a trabalhar com uma plataforma digital foi um desafio novo. No entanto, logo nas primeiras aulas, percebi que as crianças estavam conseguindo se envolver e participar das atividades.

A CLOE é uma plataforma de aprendizagem ativa que coloca o aluno no centro do processo. Por lá, podemos percorrer diferentes expedições que integram projetos, conteúdos e atividades práticas para trabalhar de forma significativa.

Antes do fechamento das escolas, cada uma das minhas turmas estava participando de uma expedição. No quarto ano, por exemplo, estávamos percorrendo uma trilha que apresentava muitas experiências e estimulava momentos de interação entre os estudantes.

A expedição do quarto ano falava um pouco sobre gastronomia molecular, transformações físicas e energia térmica. Além de trabalhar os conteúdos propostos, fizemos muitas atividades em sala de aula que estimulavam a reflexão dos estudantes, como experiência de observação de como a água passa do estado sólido para o estado líquido.

Quando começou a quarentena, apesar de já estar trabalhando com uma plataforma digital, tive que fazer adaptações das aulas porque elas exigiam muitos momentos de interação e trabalho coletivo. Para dar continuidade aos conteúdos, passei a fazer algumas experiências na minha casa e também pedi para que os estudantes tentassem reproduzir com as suas famílias.

Durante as últimas semanas, observamos o que acontecia com o mingau armazenado em potinhos, preparamos chá e até fizemos geladinho de vários sabores. Compartilhamos receitas e tivemos um tempo para descrever como cada um fez na sua casa. Essa parte prática foi muito divertida, e os estudantes se engajaram muito.

Faltam três aulas para concluir essa expedição, mas já consigo perceber que os estudantes estão envolvidos com o conteúdo. As experiências chamaram muito a atenção da turma, que consegue lembrar de diferentes atividades e conteúdos que foram trabalhados.

Quer saber mais sobre aprendizagem ativa?
Clique e acesse

CLOE

Vera Ligia de Campos Henrique

Nasceu em Campinas (SP) no dia 03 de junho de 1961. Cursou o magistério e também pedagogia. Trabalhou na rede pública, rede municipal e atualmente trabalha na rede particular de ensino Colégio Genius, em Campinas.

TAGS

aprendizagem ativa, aprendizagem baseada em projetos, competências para o século 21, coronavírus, tecnologia

Cadastre-se para receber notificações
Tipo de notificação
guest
8 Comentários
Mais antigos
Mais recentes Mais votados
Comentários dentro do conteúdo
Ver todos comentários
PRECISAMOS DE VOCÊ para contar histórias de professores inovadores na exposição "Encontro com Porvir"DOE AGORA
+
8
0
É a sua vez de comentar!x
()
x
X