MIT e Khan Academy se unem para fazer videoaulas - PORVIR

Inovações em Educação

MIT e Khan Academy se unem para fazer videoaulas

Universitários elaboram miniaulas de 5 a 10 minutos para ensinar conceitos básicos das ciências a crianças e jovens

por Patrícia Gomes ilustração relógio 2 de maio de 2012

O MIT resolveu unir esforços à Khan Academy e está incentivando seus alunos a produzirem vídeos curtos, de 5 a 10 minutos, para ensinar conceitos básicos de ciências e engenharia a estudantes da educação infantil ao ensino médio.

O projeto, chamado MIT+K12, vai disponibilizar essas miniaulas em seu site e em um canal específico do YouTube. Algumas vão fazer parte da Khan Academy, projeto lançado por um ex-aluno do MIT que começou dando aulas despretenciosamente para os sobrinhos pelo YouTube e se tornou um sucesso mundial.

“Nós queremos ajudar a inspirar jovens a mudar o mundo pela engenharia e pela ciência e percebemos que temos 10 mil estudantes no MIT que estão excepcionalmente bem preparados para fazer isso”, disse Ian A. Waitz, professor da Escola de Engenharia e responsável pelo programa, ao MIT News.

O projeto vinha sendo testado desde o segundo semestre do ano passado e, no fim de abril, o site da iniciativa foi lançado já com dezenas de vídeos disponíveis sobre assuntos que incluem astronomia, biologia, química, engenharia, física.

Em um deles, um aluno de química ensina o conceito de ácido e base para alunos de seis anos. Para atrair a atençao dos pequenos, a explicação começa com uma espécie de mágica: o jovem enche copos aparentemente vazios e o líquido que cai nos copos toma a cor que ele ordena. Em seguida, o estudante do MIT vai ao laboratório e explica o que fez o líquido mudar de cor.

Assista ao video (em inglês)

 

Além desse vídeo, pela plataforma é possível também aprender como ocorre a transferência de calor entre os corpos, como os aviões voam, assistir a uma representação de guerra entre fungos e bactérias e uma série de outros temas, sempre apresentados de forma lúdica. Para assistir às aulas pelo site, basta clicar no assunto ou na série desejada.

“Nosso objetivo é desenvolver e hospedar uma plataforma aberta, com curadoria de conteúdo de ciência, tecnologia, matemática e engenharia, que seja relevante para a educação de todas as séries da escola”, afirma o site do projeto.

Para participar, os alunos do MIT tanto podem escolher o assunto que gostariam de explicar, quanto tratar de temas sugeridos pelos professores. Uma vez que sua proposta tenha sido aceita, os universitários se tornam roteiristas, atores, produtores e diretores. Eles terão uma aula sobre como fazer e editar vídeos, receberão ajuda de custo para desenvolvê-lo, orientação dos professores e terão à disposição todo o aparato do MIT para transformar a ideia em uma aula interessante.


TAGS

educação online, mit, videoaulas

2
Deixe um comentário

avatar
500
2 Comentários ao conteúdo
0 Respostas a comentários
0 Seguidores
 
Comentário com mais reações
Comentário em alta
2 Autores
Cristianocyro patarra Quem acabou de comentar
  Acompanhar a discussão  
Mais recentes Mais antigos Mais votados
Tipo de notificação
cyro patarra
Visitante
cyro patarra

Estou entre as ideias transmitidas por Norman Doidge, “O cérebro que se transforma”, defendendo, em parte, a memorização, a noção básica de que é importante que se entenda o conceito e depois decorar, como usar no ensino uma realidade – o computador, entre algumas outras dúvidas menores.

Cristiano
Visitante
Cristiano

A solução para as crises mundiais, mesmo a pobreza, violência e confrontos étnicos e religiosos tem a resolução na educação. Projetos que desenvolva e treine alunos é merecedor de créditos.

X