Bem-vindo (a) ao site do Porvir

Aqui, mapeamos, difundimos e promovemos a troca de práticas educacionais inovadoras

Boas inspirações!

Crédito: sugariie / Fotolia.com

Diário de Inovações

Alunos compartilham suas produções e ganham leitores reais com projeto de revista escolar

Professor do Instituto Federal de Sergipe relata como a criação de uma publicação impressa e online estimulou a autoria dos estudantes

por Vinicius Valença Ribeiro 29 de novembro de 2017

Sou professor de português, produção de textos e literatura do IFS (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe). Desde 2012, desenvolvo o projeto Entretemas, que consiste na elaboração de uma revista escolar em duas versões: impressa e online. O objetivo principal é compartilhar a produção de textos dos alunos.

Como uma forma de estimular a autoria, Entretemas surge com a necessidade de ter uma situação real de interlocução para o texto escolar. Os gêneros textuais são um tema bastante estudado por minhas turmas, mas isso também envolve a autoria dos textos. Foi preciso fazer o material circular, com possibilidade de ter outros leitores além do professor.

Além de atender a demanda de publicação do Instituto Federal, a revista recebe textos de estudantes de outras escolas. Ela é dividida em seções conforme o gênero textual. São elas: Sobretudo – destinada aos textos informativos; Na Memória – reservada aos relatos pessoais; Penso Logo Existo – espaço para os artigos de opinião; 5 Sentidos – acomoda resenhas de filmes, livros, álbuns musicais entre outros; Literária Mente – traz contos e poemas; Ao Meu Redor – comporta crônicas; Galeria da Galera – expõe fotografias, desenhos e pinturas; Entrevista – apresenta troca de ideias com pessoas diferentes. A versão online também tem uma seção chamada Mão Na Massa, que é um espaço para todo tipo de trabalho escolar, inclusive em vídeo.

Conheça a versão impressa da revista

A versão impressa tem o apoio da Propex (Pró-Reitoria de Pesquisa e Extensão), que deu o aval para a utilização da gráfica e cedeu um designer do próprio Instituto para diagramar a revista, o que possibilitou uma alta qualidade gráfica. A quantidade de exemplares varia entre 200 e 500 unidades. As revistas são distribuídas, gratuitamente, entre os alunos do IFS e, eventualmente, em outras escolas.

Durante a produção, a edição e revisão dos textos ficam sob a minha responsabilidade, mas a capa é feita com artes dos alunos. Nas minhas turmas, também incluí a revista nas práticas de leitura. Lemos e debatemos alguns textos publicados. São os estudantes lendo seus colegas.

A versão online de Entretemas surgiu, basicamente, por dois motivos: primeiramente, é uma forma de manter constante o fluxo de textos escolares em situação real de interlocução. A revista impressa requer tempo de produção, utilização de papel e disponibilidade da gráfica. São fatores que impedem a publicação em qualquer momento, e os estudantes produzem textos com muita frequência, o que requer um suporte de publicação imediata. O segundo motivo foi a necessidade de usar tecnologia nas aulas de português e de texto, o que sempre atrai muito os estudantes.

A versão online da revista permite postagens constantes. Não é preciso fechar edições. Assim que os textos chegam, são revisados e vão para a seção que lhes cabe. A página foi construída com a participação do aluno Daniel Silva, do ensino médio integrado em informática, que cuidou da parte técnica, do design e funcionamento na web. As alunas Beatriz Augusta F. Santos e Cláudia Martins, do ensino médio integrado em edificações, também ajudaram com sugestões de design e ideias para o perfil da revista.

Acesse a versão online da revista 

Na versão online, também queríamos qualidade. Não poderia ser só um blog onde os textos fossem postados, sem organização. Por isso, também existe a divisão em seções. Ademais, pensamos em como manter um fluxo de leitura dos textos publicados. A forma encontrada foi criar uma página de Entretemas no Facebook. Divulgamos isso entre as turmas, e quando um texto sai na revista online, o link é postado no Face, com o nome do autor e com enunciados de estímulo à sua leitura, a comentários, à visita à página e ao compartilhamento.

Na revista online, é possível baixar o PDF da versão impressa, ou ler o material na plataforma youblisher.com. A versão online não acabou com a revista de papel. As duas se mantêm, cada uma com seu ritmo. São duas facetas de um projeto permanente e voluntário.

Saber que o texto terá um interlocutor real desperta, no aluno, a vontade de ser lido. Portanto, estar ciente disso acende o desejo de escrever. A preocupação com a ortografia, com a norma culta, com a coesão e com a coerência textuais não é mais determinada apenas pela nota da unidade. O texto da revista não é para ser apenas corrigido e avaliado pelo professor, que assume o papel de revisor.

O aluno que escreve para um leitor real e passa a se preocupar, de verdade, com os aspectos textuais porque quer ser entendido pelo leitor. Ele deseja que seu texto seja apreciado, ao invés de preocupar-se somente com uma nota final. O gênero textual deixa de ser uma simulação de sala de aula e ganha funcionalidade real.

Vinicius Valença Ribeiro

Professor de língua portuguesa do IFS (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe); graduado em comunicação social (2002/Unit-SE) e em letras (2005/Unit-SE); mestre em ciências da linguagem (2008/Unisul-SC); atualmente, doutorando em ciências da linguagem /Unisul-SC).

TAGS

educomunicação, ensino médio, tecnologia