Bem-vindo (a) ao site do Porvir

Aqui, mapeamos, difundimos e promovemos a troca de práticas educacionais inovadoras

Boas inspirações!

Crédito denisismagilov / Fotolia.com

Inovações em Educação

Como desenvolver recursos digitais mais eficazes?

Plataforma da Bill & Melinda Gates Foundation mostra o que professores e estudantes querem para ajudar empreendedores

por Fernanda Kalena 15 de maio de 2015

Empresas e empreendedores de educação já podem contar com um novo recurso para entender quais recursos digitais mais chamam a atenção de educadores e de professores. A Bill & Melinda Gates Foundation lançou no começo deste mês o site Teachers Know Best, que consolida um levantamento realizado ano passado pela instituição, com mais de 3.000 professores e 1.200 alunos, para entender o que eles querem dos recursos tecnológicos.

Ao transformar a pesquisa em plataforma, o objetivo é ampliar e embasar a visão dos profissionais dessa indústria e fomentar a criação de produtos digitais mais eficazes a partir da perspectiva de quem está dentro da sala de aula, ou seja, professores e alunos. Por enquanto, o conteúdo está disponível apenas em inglês.

O site é organizado por categorias como: oportunidades, relatórios e preferências de produtos. Mais de 500 recursos digitais estão listados com informações sobre sua função, sua colocação na pesquisa, benefícios para o aprendizado identificados por professores e a avaliação dos alunos sobre o produto.

Há um destaque para os Top 10 produtos preferidos por professores e por estudantes. Essas listas mostram as diferenças de gostos e a interpretação de cada segmento do site. Para educadores, na ordem de preferência: Khan Academy, BrainPOP, Accelerated Reader, Edmodo, YouTube, DescoveryED Website, Google Docs, Google Search, Academy of Math e #D GameLab. Para alunos, também em ordem de preferência: Google Search, Khan Academy, Google Docs, YouTube, Edmodo, Microsoft Word, Wikipedia, Google Drive, Google Apps for Education e Microsoft Powerpoint.

Sobre a pesquisa
Quando a pesquisa foi divulgada, em maio de 2014, o Porvir mostrou suas principais conclusões (leia aqui a íntegra), que apontavam uma visão praticamente consensual dos docentes: a busca por ferramentas que os ajudem a ensinar os conteúdos curriculares obrigatórios por meio de aulas mais atraentes e interessantes para os estudantes. A maioria dos professores disse acreditar que as ferramentas digitais facilitam a entrega de conteúdos de formas diferentes, como jogos e vídeos, por exemplo, estimulam os alunos a aprender mais.

Já em relação aos estudantes, o levantamento surpreendeu ao mostrar que eles não estão preocupados com o potencial de diversão das ferramentas digitais. Cerca de 60% disseram que, ao escolher uma ferramenta educacional, avaliam se ela irá facilitar os estudos. Diversão apareceu como um fator secundário, sendo apontada por 37% dos estudantes como importante.

TAGS

aplicativos, bill and melinda gates foundation, objetos digitais de apredizagem, tecnologia

  • Impressionante saber que a maioria dos estudantes não está preocupada com o nível de “diversão” envolvido no estudo em plataformas digitais. Vejo, em alguns casos, uma preocupação excessiva com o aspecto lúdico da aprendizagem, o que nem sempre redunda no aumento de sua eficácia.

    Achei excelente a iniciativa de avaliar as mídias digitais a partir do ponto de vista dos usuários do sistema.