Bem-vindo (a) ao site do Porvir

Aqui, mapeamos, difundimos e promovemos a troca de práticas educacionais inovadoras

Boas inspirações!

Crédito: psdesign1/Fotolia.com

Inovações em Educação

Desafio de Aprendizagem Criativa anuncia a seleção de 8 projetos brasileiros

Iniciativa busca apoiar o desenvolvimento de novas tecnologias, produtos e serviços para tornar a educação mais significativa

por Redação 2 de março de 2017

Após a avaliação de 189 propostas, a Fundação Lemann e o MIT Media Lab, dos Estados Unidos, anunciam nesta quinta-feira (2) que 10 brasileiros ligados a oito projetos vão receber a Creative Learning Fellowship, uma bolsa oferecida pelo Desafio Aprendizagem Criativa Brasil 2017. A iniciativa busca fomentar novas tecnologias, produtos e serviços que tornem a educação brasileira mais significativa para o aluno, fazendo com que ele aprenda com a mão na massa, como mostrou o Especial Educação Mão na Massa desenvolvido pelo Porvir.

O processo de seleção envolveu 20 avaliadores independentes e mais uma equipe da Lemann e do MIT. As propostas foram avaliadas a partir de critérios de relevância, viabilidade, potencial de impacto, diversidade geográfica, e inovação. Também buscou-se um equilíbrio nas temáticas abordadas e no gênero.

Veja abaixo um resumo dos projetos selecionados:

Região Centro-Oeste
1) Mattics – Matemática e Games? Eis a questão!

Descrição: O Mattics ensina estrutura computacional por meio do Scratch e estimula o desenvolvimento do pensamento matemático dos alunos ao construir um game de forma problematizada. Em 2017, o projeto sediado em Goiás quer ampliar as suas ações para mais escolas públicas e pretende auxiliar no tratamento de Mal de Parkinson, para uma formação mais humana e corresponsável.
Estado: Goiás
Público alvo: Alunos do fundamental 2, professores, coordenadores pedagógicos, pacientes idosos em tratamento com Mal de Parkinson
Responsáveis: Greiton Toledo de Azevedo e Silmara Epifânia de Castro de Carvalho

Região Nordeste
2) MCAT – Metodologia Científica ao Alcance de Todos

Descrição: A MCAT é uma tecnologia social que desperta a curiosidade científica dos alunos e prepara o professor para orientá-los no desenvolvimento de trabalhos e estimular sua criatividade. Há seis anos ela é aplicada em escolas públicas do semiárido e sua eficácia tem sido reconhecida pelos prêmios recebidos
Estado: Rio Grande do Norte
Público alvo: Alunos do fundamental 2 e do ensino médio, professores, coordenadores pedagógicos
Responsáveis: Felipe de Azevedo Silva Ribeiro e Celicina Maria da Silveira Borges Azevedo
Região Norte

3) CRIAR – Criatividade e Inovação para uma Aprendizagem Revolucionária

Descrição: Voltado aos alunos de licenciatura dos cursos de Ciências da UFAM, o projeto apoia o uso de metodologias ativas de ensino-aprendizagem, em especial aquelas baseadas na investigação e na solução de problemas e no desenvolvimento de projetos, com o intuito de integrar e contextualizar o ensino das escolas de Manaus.
Estado: Amazonas
Público alvo: Alunos do fundamental 2 e do ensino médio, professores e alunos de graduação dos cursos de licenciatura
Responsável: Elio Molisani Ferreira Santos

Região Sudeste
4) ELABORANDO – Laboratórios de inovação, criatividade e inclusão

Descrição: O Elaborando é um laboratório de estudo, pesquisa e produção de recursos e estratégias educativas inclusivas, ancoradas nos princípios do desenho universal aplicado à aprendizagem.
Estado: Rio de Janeiro
Público alvo: Professores e coordenadores pedagógicos
Responsável: Maria Antonia Goulart da Silva

5) MUNDO MEU – Formas animadas a partir de materiais reciclados, sucatas e dispositivos elétricos e eletrônicos

Descrição: O projeto do Instituto Francisca de Souza Peixoto contempla a realização de oficinas de cidadania, tecnologia para educação e cultura, para professores e alunos das escolas públicas de Cataguases, em Minas Gerais. As oficinas articulam o lúdico, o tecnológico e as técnicas do teatro de formas animadas, promovendo experiências criativas e experimentos robóticos no ambiente escolar e potencializam formas de interação com a cidade, para que o projeto transponha e se desdobre além dos muros da escola.
Estado: Minas Gerais
Público alvo: Alunos do fundamental 2, professores
Responsável: Liliane de Paula Mendonça

6) SCOPA BITS

Descrição: O Scopa Bits é um kit de baixo custo para ensinar circuitos e possibilitar a criação de projetos com LEDs, motor DC, buzzer e interruptores. A ideia é capacitar professores para produzirem os kits e utilizá-los em aulas para desenvolver nos alunos o raciocínio de projeto, a vivência de conceitos de eletricidade e a oportunidade de se expressar e testar ideias.
Estado: São Paulo
Público alvo: Alunos do fundamental 2, professores
Responsável: Nara Brandão Schenkel

Região Sul
7) ROBOX (Powered by One Dollar Board)

Descrição: A plataforma de aprendizagem criativa de programação utilizando um robô de baixo custo, onde a caixa de transporte do Kit se transforma na estrutura do Robô, de onde provém seu nome: Box Robô = Robox. A estrutura é customizável e fica em pé, deitada em formato de automóvel, ou como o professor e a criatividade da criança preferirem.
Estado: Paraná
Público alvo: Alunos do fundamental 1, 2 e ensino médio, além de professores
Responsável: Cláudio Olmedo

8) SEED LAB – Implantação de Laboratórios de Produção Digital na Secretaria de Estado da Educação do Paraná

Descrição: A intenção do Projeto Seedlab é o fortalecimento do movimento maker no Estado do Paraná por meio de arranjos entre diversos setores da sociedade. Com ele, a rede estadual terá iniciativas para o uso de tecnologias que possibilitam a resolução colaborativa de problemas, a experimentação, o desenvolvimento tecnológico e o compartilhamento de conhecimentos, estimulando uma cultura de inovação e criatividade.
Estado: Paraná
Público alvo: Alunos do fundamental 2 e ensino médio, professores, coordenadores pedagógicos, diretores de escola, parceiros locais
Responsável: Eziquiel Menta

TAGS

aprendizagem baseada em projetos, ciências, ensino fundamental, ensino médio, experimentação, formação continuada, fundação lemann, programação, robótica