Bem-vindo (a) ao site do Porvir

Aqui, mapeamos, difundimos e promovemos a troca de práticas educacionais inovadoras

Boas inspirações!

crédito: wittayayut / Fotolia.com

Inovações em Educação

Laboratório prepara professor para usar tecnologia e metodologias inovadoras

Criado pelo CIEB (Centro para Inovação da Educação Brasileira), EfeX vai formar docentes para adoção de tecnologias educacionais; primeira unidade fica em Blumenau (SC)

por Vinícius de Oliveira 23 de outubro de 2017

Um espaço para o professor compartilhar ideias, aprender na prática e sair pronto para mudar a dinâmica de sua própria sala de aula. Assim é o EfeX (sigla para Espaços de Formação e Experimentação em Tecnologias para Professores), o laboratório de criatividade voltado à formação continuada que teve sua primeira unidade inaugurada na última segunda-feira, 16, na FURB (Universidade Regional de Blumenau), em Santa Catarina (SC). A iniciativa é resultado de uma parceria entre o CIEB (Centro para Inovação da Educação Brasileira), a Secretaria de Estado da Educação de Santa Catarina e a universidade.

Com investimento de R$ 250 mil, cada unidade EfeX combina itens para fabricação digital e de programação, como cortadora a laser e de vinil, kits de eletrônica, de invenção e de robótica. Também estão disponíveis computadores, tablets e ferramentas para criação de mídias, filmagens de videoaulas, câmera fotográfica e kits de iluminação. “O CIEB fez uma ampla pesquisa com centros ao redor do mundo que são referência na formação de professores até chegar a esse conceito. Todos os conceitos que estruturam o EfeX dispõem de propostas de referência (plantas arquitetônicas, metodologias, guia de orientações, listas e especificações de equipamentos, diretrizes de formação, entre outros) que garantem um padrão de excelência para este conceito que o CIEB desenvolveu”, diz Lucia Dellagnelo, diretora-presidente do Centro de Inovação para Educação Brasileira.

O modelo do EfeX não é fechado. Segundo Lucia, as instituições de ensino ou secretarias que queiram implantar um EfeX podem se apropriar desses conceitos e fazer as adaptações para as suas realidades locais e atender às necessidades de formação dos professores da rede. Além disso, todas as unidades estarão conectadas em rede de forma a compartilhar as melhores práticas e planos de aula desenvolvidos nas formações.

Crédito: Furbefex-oficina-4p

O laboratório, no entanto, não busca ser uma vitrine de tecnologia. Para que os professores ganhem confiança para aproveitar os benefícios dos equipamentos para suas aulas, o CIEB desenvolveu dez módulos iniciais divididos em três grandes áreas de atuação (conceitos, processos e recursos), sendo eles: ensino híbrido, cultura maker, gamificação, curadoria de recursos digitais, colaboração, avaliação por meio de recursos digitais, educomunicação, programação e robótica, plataformas adaptativas. aprendizagem baseada em projetos. “A ideia das formações do EfeX é mostrar caminhos possíveis para o uso concreto de tecnologias no cotidiano escolar, através de atividades teóricas e práticas com os professores das redes públicas de ensino onde possam estar à vontade para experimentar estas tecnologias e cocriar planos de aula que contemplem o uso das mesmas para aprimorar suas práticas pedagógicas”, diz.

Em Blumenau, a chegada do EfeX está em linha com os objetivos do plano de formação e tecnologias educacionais traçado pela secretaria estadual. “A ideia é oferecer cursos em todos os períodos. Os professores receberão um certificado atestando as horas de formação e isso, claro, traz benefícios para a carreira”, afirma Francisco Reis Von Hertwig, diretor de tecnologia e inovação da secretaria estadual.

Na universidade, a expectativa é que o trabalho no EfeX comece em novembro, após reunião com diretores escolares. Segundo Rita Buzzi Rausch, diretora do Centro de Ciências da Educação, Artes e Letras da instituição, as atividades começam com professores da rede estadual e logo devem se expandir para docentes municipais. “Vamos fazer uma seleção de dois ou três professores de cada escola para começar esse processo. Depois, eles poderão compartilhar o que aprenderam com seus colegas”, diz.

A parceria entre o CIEB e as secretarias de educação deve se repetir em outras regiões. Nos próximos meses, Joinville (SC), Maceió e Arapiraca (AL) devem inaugurar novas unidades que colocam o professor para aprender na prática e inovar em sala de aula.

TAGS

competências para o século 21, ensino fundamental, ensino médio, experimentação, formação continuada, programação, robótica, tecnologia