Bem-vindo (a) ao site do Porvir

Aqui, mapeamos, difundimos e promovemos a troca de práticas educacionais inovadoras

Boas inspirações!

Crédito: pyrozenko13 / Fotolia.com

Diário de Inovações

Professoras criam caixa de brincadeiras para valorizar cultura brasileira

No Rio Grande do Norte, projeto aproxima crianças de diferentes povos por meio de atividades lúdicas

por Aurelyana Oliveira de Freitas Morais / Suzana Rodrigues Moraes 14 de junho de 2017

O projeto “Brincadeiras e seus povos (cultura brasileira)” surgiu a partir do olhar atento e da escuta sensível do desejo dos alunos de realizarem e vivenciarem brincadeiras em sala de aula. Reconhecendo a importância da educação infantil para a construção da cidadania e comprometidas com a nossa função social, buscamos desenvolver nossa prática pedagógica de maneira que os resultados incidam numa aprendizagem significativa para os nossos alunos, que são compreendidos como sujeitos ativos no contexto da prática educativa.

Para tanto, lançamos mão da ludicidade, através das brincadeiras, que direcionadas contribuem significativamente para o desenvolvimento pessoal e social dos educandos. Percebemos que o brincar precisa ser um elemento integrante das atividades permanentes das salas da educação infantil. As crianças precisam vivenciar isso dentro dos espaços escolares.

Tivemos então a ideia de juntar o útil ao agradável: criamos um projeto que une brincadeiras e cultura brasileira. O objetivo é possibilitar que os alunos tenham a oportunidade de ampliar seu repertório de experiências e conhecimentos acerca dos fenômenos sociais, além de interpretar a sociedade nas diferentes culturas por meio das brincadeiras.

Como projeto interdisciplinar, construímos uma caixa de brincadeiras brasileiras para valorizar e vivenciar diferentes atividades lúdicas. Ela foi montada com a participação dos alunos, contendo as informações sobre as brincadeiras que aprendemos e também os materiais necessários para que os alunos possam realizar essas brincadeiras sempre que desejarem. Conforme a turma estudava as brincadeiras de uma região do país, a caixa recebia novos objetos, como bolinhas de gude e bandeirinhas. Os alunos também enfeiraram a caixa com os nomes e regras das brincadeiras que tínhamos aprendido.

A troca de conhecimento entre professores e alunos durante as nossas rodas de conversa e a realização das brincadeiras foi maravilhosa. Ela nos proporcionou vivências e recordações do nosso tempo de infância, realizando com os alunos as brincadeiras de passa-anel, trem maluco, pipa, pião, etc. Assim como o conhecimento e a realização de brincadeiras tradicionais de outras regiões, como peteca e amarelinha caracol.

Em uma roda de conversa, também surgiu uma grande ideia. Ao questionarem se o projeto de brincadeiras tinha terminado, uma das crianças sugeriu ensinar as brincadeiras pesquisadas para outras turmas. Conversamos com a professora Maria Jaqueline da Silva sobre a ideia e realizamos uma aula com as duas salas. Foi maravilho trocar experiências, já que os alunos dela estavam desenvolvendo um outro projeto sobre brinquedos antigos.

Os alunos ampliaram seus conhecimentos e aumentaram seu repertório. Concluímos que a realização do projeto proporcionou uma aprendizagem significativa e prazerosa para todos.

Aurelyana Oliveira de Freitas Morais

Graduada em Pedagogia pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – UERN, no ano de 2017, Professora da Educação Infantil em uma instituição privada da cidade de Mossoró/RN.

Suzana Rodrigues Moraes

Graduada em Pedagogia pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – UERN, no ano de 2014, possui Especialização em educação: Práticas de ensino, recursos didáticos e aprendizagens pela UERN, no ano de 2016, Professora da Educação Infantil em uma instituição privada da cidade de Mossoró/RN desde 2015.

TAGS

brincadeiras, educação infantil