Escola dentro da escola pública ensina a empreender - PORVIR
Divulgação / Convexo

Inovações em Educação

Escola dentro da escola pública ensina a empreender

Projeto usa comunicação, empreendedorismo e lógica para estimular lideranças comunitárias na periferia de Porto Alegre

por Marina Lopes ilustração relógio 8 de maio de 2015

Em um bairro da periferia da zona sul de Porto Alegre, pesquisadores saíram às ruas de terra da Comunidade Chapéu do Sol para realizar um censo com quase cem mulheres. O motivo? Entender o perfil das entrevistadas e levantar dados que ajudariam na constituição de uma cooperativa feminina para produção de azeite de oliva. Daria até para imaginar que a ação foi organizada por uma universidade ou programa de empreendedorismo social. Mas, não. A iniciativa partiu de alunos da Escola Estadual Ensino Fundamental Nehyta Martins Ramos.

Trabalhando com foco na resolução de problemas reais da comunidade, desde 2013 esses alunos vivenciam uma nova experiência. Enquanto no período regular eles assistem a aulas “tradicionais”, com divisão por séries e conteúdos curriculares acadêmicos, no contraturno se misturam com colegas de diversas idades para participar da Escola Convexo, uma ação que incentiva o protagonismo infantil e o surgimento de lideranças a partir de metodologias sustentadas por comunicação, lógica e empreendedorismo.

Apadrinhado pelo educador português José Pacheco, o projeto tem bases na metodologia da Escola da Ponte, além de também trazer referências da John Perry Primary School, em Londres, e a Junior Achievement, uma organização social sem fins lucrativos que desenvolve programas educativos para despertar o espírito empreendedor na escola.

A ideia de criar uma “escola dentro da escola” surgiu do administrador Bruno Bittencourt e a consultora contábil Onília Araújo, que se conheceram em um programa de empreendedorismo da UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul). Após as manifestações de junho de 2013, decidiram que gostariam de fazer algo além de ir para as ruas levantar cartazes. “A gente pensou que a educação era justamente a resposta para grande parte dos problemas sociais que vivenciávamos. A gente sempre tenta achar um culpado pela educação, mas na realidade não existem culpados. Todos precisam participar”, contou Bruno Bittencourt, que é mestrando em inovação, tecnologia e sustentabilidade.

‘Se o aluno souber se comunicar, desenvolver o raciocínio lógico e ter visão empreendedora, independente da área que seguir, ele vai se dar bem’

Com um projeto piloto na mão e a vontade de levar a cultura do empreendedorismo para dentro do ambiente escolar, bateram na porta de diversas escolas públicas da cidade até chegarem na Nehyta Martins Ramos, que abraçou a ideia e cedeu espaço na instituição. Em um grupo de dez alunos, no turno inverso passaram a trabalhar com as crianças os conteúdos curriculares com foco metodologia de resolução de problemas. “A gente começou adaptar os conteúdos do ensino fundamental para a lógica do empreendedorismo, pensando que se o aluno souber se comunicar, desenvolver o raciocínio lógico e ter visão empreendedora, independente da área que seguir, ele vai se dar bem.”

Hoje a Convexo trabalha com 50 alunos da escola, com idades entre 7 e 17 anos. Como em uma empresa, eles se dividem em funções de marketing, finanças, recursos humanos, operacional e vendas. Todo o ciclo educacional é composto por quatro movimentos, que são: 1) identificar uma necessidade da comunidade; 2) transformar essa oportunidade em um projeto; 3) pensar em um negócio; 4) transformar em uma empresa. Em cada etapa são trabalhados conteúdos de português e matemática em situações reais, como usar pontuação para redigir um contrato ou aprender estatística com pesquisas de opinião.

Projetos protagonizados pelos alunos

Quando o projeto começou, a primeira tarefa realizada pela turma envolvia pensar em estratégias para transformar a horta da escola, que estava praticamente abandonada. Os alunos que participavam da atividade foram para o pátio da escola e convocaram os outros colegas para ajudarem na revitalização do espaço, elaborando um plano de ação com diversas estratégias.

No ano seguinte, já olhando além do perímetro da escola, o desemprego foi identificado como um problema que afetava a comunidade. Ao mesmo tempo, notaram que não existiam brechós na região e faltavam espaços para moradores venderem lanches e produtos caseiros. Dessa necessidade, surgiu a ideia de organizar brechós mensais na escola, trazendo os pais e vizinhos para ajudarem. Segundo Bittencourt, o mais interessante da ação é conseguir envolver a comunidade nos projetos. “A gente acredita muito na visão de espiral, que começa pela criança, envolve os outros alunos, os professores, a direção, os pais, a comunidade e a sociedade como um todo”, defendeu o administrador.

‘Os alunos estão conseguindo se colocar no lugar do outro e percebem que podem agir para melhorar a sua escola e sua comunidade’

Para Mara Regina Romeira, diretora da Nehyta Martins Ramos, a ação tem ampliado o diálogo da escola com a comunidade. “Os alunos estão conseguindo se colocar no lugar do outro e percebem que podem agir para melhorar a sua escola e sua comunidade. Eles estão identificando necessidades e transformando em empreendedorismo”, contou. De acordo com ela, essas noções fizeram com que eles percebessem que podem tirar suas ideias do papel. “Como eles vão fazer para ganhar dinheiro? Eles podem criar uma cooperativa, montar projetos e correr atrás das suas metas.”

No projeto da cooperativa de mulheres que começou este ano, por exemplo, após debates sobre questões de gênero em conjunto com as mães e outras pessoas da comunidade, os alunos identificaram que a ação ajudaria a gerar renda para as famílias do local. Eles são responsáveis por pensar na estrutura da organização, convocar mulheres da comunidade, estabelecer parcerias e envolver os pais. Até o momento, já conseguiram apoio de uma agência de publicidade para pensar na identidade visual da marca e fecharam uma parceria com uma rede de restaurantes veganos e vegetarianos da cidade para comercializar o azeite.

De acordo com Bruno Bittencourt, ao se sentirem responsáveis por essas ações, os alunos conseguem se ver capazes de gerar transformação. “A gente tenta trabalhar muito a questão da autoestima. Eles estão muito acostumados a ouvir ‘tu não podes’ ou ‘tu não consegues’. A educação é responsável por uma transformação social.”


TAGS

aprendizagem baseada em projetos, empreendedorismo

70
Deixe um comentário

avatar
500
56 Comentários ao conteúdo
14 Respostas a comentários
0 Seguidores
 
Comentário com mais reações
Comentário em alta
63 Autores
AparecidaÉrica Maria NunesJOSE ILENO FERREIRA DOS SANTOSCirila Santos GonçalvesSimone Passos Neres Quem acabou de comentar
  Acompanhar a discussão  
Mais recentes Mais antigos Mais votados
Tipo de notificação
IODÊNES GUEDES Z.MAGALHÃES
Visitante
IODÊNES GUEDES Z.MAGALHÃES

O conteúdo em pauta foi de grande valia,pois veio de encontro com a necessidade que tenho para possa colocar em prática os projetos de intervenções da escola que estou coordenadora pedagógica.

Geny Teresa Guimarães Vieira
Visitante
Geny Teresa Guimarães Vieira

Essa escola trouxe à tona o conceito de escola que se relaciona com as práticas sociais, no sentido de trazer a comunidade para ser parceira, promover a cidadania e a relação interpessoal com o outro, pois a escola como espaço social deve dialogar com o contexto do qual os alunos fazem parte, valorizando a sua cultura e colocando em prática os pilares da educação preconizado pela UNESCO, no que se refere ao aprender a conviver… Ler mais »

maria de fátima alves de lima campos
Visitante
maria de fátima alves de lima campos

concordo plenamente

Érica Maria Nunes
Visitante
Érica Maria Nunes

Verdade! Entender a realidade da sociedade em que está inserido é essencial para iniciar um projeto de vida. E a escola é um lugar ideal para que isso acontece, uma vez que adentrando a vida social do educando valorizando suas origens e contribuir para que possa fazer as coisas acontecerem no seu propósito e espaço. Tais parcerias são muito importantes, para que os alunos possam empreender e ter uma opinião e visão de mundo diferenciada… Ler mais »

Andressa Pereira Oliozi Aguilar
Visitante
Andressa Pereira Oliozi Aguilar

Eu também achei esse conteúdo de grande valia, gostei muito das idéias.

ELISANGELA OLIVEIRA VIEIRA FERREIRA VIEIRA
Visitante
ELISANGELA OLIVEIRA VIEIRA FERREIRA VIEIRA

O objetivo do Projeto de Vida é definido na BNCC como: “Valorizar a diversidade de saberes e vivências culturais e apropriar-se de conhecimentos e experiências que lhe possibilitem entender as relações próprias do mundo do trabalho e fazer escolhas alinhadas ao exercício da cidadania e ao seu projeto de vida, com liberdade, autonomia, consciência crítica e responsabilidade”

CARLA
Visitante
CARLA

muito bacana ver os alunos empreendendo, tendo a noção do valor do trabalho, do ganhar, batalhar para isso. aprendendo e valorizando.

ELAINE LOPES DE AMORIM GOMES
Visitante
ELAINE LOPES DE AMORIM GOMES

Muito bom ver os alunos desenvolvendo projeto e empreedendo criando novas estratégias para um mundo melhor e valorizado.

Érica Maria Nunes
Visitante
Érica Maria Nunes

Com certeza o aluno que tem um direcionamento para sua vida pessoal e projetos que possam traçar um percurso para seus objetivos, facilitando sua vida, propõem mudanças edificantes para a aprendizagem e vida dos mesmos.

Érica Maria Nunes
Visitante
Érica Maria Nunes

Sempre bom levar em consideração a realidade e também possíveis mudanças para o outro

Cirila Santos Gonçalves
Visitante
Cirila Santos Gonçalves

É com o desempenho, querer e força de vontade dos estudantes que juntos faz a diferença.

DULHA  FELIZARDO DOJA
Visitante
DULHA FELIZARDO DOJA

Quando as crianças protagonizam suas idéias tem mais detalhes, a dimensão é maior, há empolgação envolvimento e companheirismo com todas; mas é claro que dependendo da atividade proposta é necessário uma auxiliar. Na escola trabalhamos com 33 crianças e surgem vários assuntos de que poderiam ser explorados com mais frequência, mas diante a dinâmica isso não é possível.

Nilma Bressan
Visitante
Nilma Bressan

Que riqueza de projeto! Dar voz ao nosso alunos e investir no potencial deles aproveitando as ideias e orientando-os eles alicancaçarào o sucesso, è preciso acreditar e oportunizar os nossos alunos, a escola publica tem muito a oferecer.

José Lourenço de Souza Junior
Visitante
José Lourenço de Souza Junior

Com certeza Nilma, como egresso de escola pública sei o quanto ela pode oferecer e fazer diferença na vida de muitas pessoas.

Laildo A. Moreira
Visitante
Laildo A. Moreira

Participar do orçamento doméstico é uma demanda que estes alunos trazem das necessidades vivenciadas em casa.
Neste projeto, eles podem ver esta demanda familiar preenchida junto com suas expectativas de futuro e, tudo isto, vivenciado coletivamente. Muito bom e gratificante!

Cintia Pereira Paschoa Lorenceti
Visitante
Cintia Pereira Paschoa Lorenceti

Concordo com você Nilma é preciso acreditar sempre e dar oportunidade a estes alunos.Eles tem muito a oferecer também aprendemos com eles.

Dilma Cardoso Lima
Visitante
Dilma Cardoso Lima

Que exemplo de escola ,apesar de ser uma escola pública serve de referencia para outras escolas.

Elba Silveira Chagas Silva
Visitante
Elba Silveira Chagas Silva

Muito interessante a execução de ações voltadas para o bem comum no Projeto de Vida. Percebemos que boas ações não são aquelas que priorizam apenas uma realização pessoal ou individual. As boas ações são centralizadas em melhorias para a comunidade, como vemos nos exemplos das escolas postados aqui. Além disso, o PV atua para a resolução de situações , por vezes, de risco.

Ocimar
Visitante
Ocimar

Parabéns pelas iniciativas que realmente valorizam o estudante.

Adailza Ramos
Visitante
Adailza Ramos

Nunca devemos deixar de sonhar. Tem um provérbio muito certo. “Querer é poder”.

Renata
Visitante
Renata

A ideia do diagnostico inicial levantando as necessidades da comunidade, foi muito interessante

Maria Damiana
Visitante
Maria Damiana

Legal ver o aluno trabalhando a empatia para melhor o ambiente escolar e ser o protagonista de sua historia.

JOSE LUIZ PEREIRA
Visitante
JOSE LUIZ PEREIRA

Sem a interação dentro da escola o aprendizado fica disperso. O olhar social dos alunos traduzem vivacidade e desejo de ver o novo.

Lúcia Freitas
Visitante
Lúcia Freitas

Muitas vezes, por deixarmos de trabalhar a autoestima do aluno, deixamos de conhecer o que o aluno tem de melhor.

Maria dos Prazeres Tavares
Visitante
Maria dos Prazeres Tavares

O protagonismo do aluno é o compromisso mais importante que uma escola tem, pois é através das ações desenvolvidas por eles é que a escola ganha significado.

Iolanda Migueis
Visitante
Iolanda Migueis

Muito interessante este projeto voltado para o bem da comunidade e da escola.

Silvana Assis Vaillant
Visitante
Silvana Assis Vaillant

Importante trazer para a vida do jovem a iniciativa e a busca por parcerias.

Laildo A. Moreira
Visitante
Laildo A. Moreira

Participar do orçamento doméstico é uma demanda que estes alunos trazem das necessidades vivenciadas em casa.
Neste projeto, eles podem ver esta demanda familiar preenchida junto com suas expectativas de futuro e, tudo isto, vivenciado coletivamente. Muito bom e gratificante!

claudinéa
Visitante
claudinéa

Colocar o aluno como pesquisador fazer com que ele entenda como começa um trabalho científico, estatístico e etc e tendo como resposta a geração de renda é muito importante.

Andressa Pereira Oliozi Aguilar
Visitante
Andressa Pereira Oliozi Aguilar

Achei muito interessante o projeto de empreendedorismo , seria muito interessante que as escolas abrace essa ideia , levar os nossos alunos aprenderem o que é e aprender a colocar em prática,

Greicemeiri Marques
Visitante
Greicemeiri Marques

É perceptível nessa visão de empreendedorismo, a escola apresenta resultado positivo, quando ela trabalha de forma planejado com o conteúdo trabalhado com a comunidade escolar, com isso o aluno observa a importância de ser o ser responsável pelo seu próprio desenvolvimento intelectual e social.

Dores M. A de Sousa
Visitante
Dores M. A de Sousa

Experiência interessante esta da Escola Nehita Martins Ramos ,no RS, de criar esse Projeto para desenvolver o espírito empreendedor dos alunos,inspirado na Escola da Ponte, do educador José Pacheco.A aprendizagem baseada em projetos , quando bem estruturada com esse caso, traz respostas importantes para a comunidade envolvida.

José Sebastião de Souza Júnior
Visitante
José Sebastião de Souza Júnior

Boa tarde! Essas experiências vividas por essa unidade escolar em parceria com seguimentos da comunidade são espetaculares. Essas ações precisam estar presentes em nossas escolas. Alimentar a sensibilidade dos estudantes para colocar-se no lugar da outra pessoa é muito boa.

Núria Silva Lyra
Visitante
Núria Silva Lyra

Muito valido o material disponibilizado, vou aproveitar para inserir como sugestão no projeto de intervenção.

Alan Salomão
Visitante
Alan Salomão

Poxa! Esta maneira de envolver todos, desde as crianças, os jovens nas escolas e toda a comunidade é de grande importância para a elevação da capacidade de poder fazer algo a partir do que percebem nas dificuldades. As parcerias sempre formam a potencialização destes.
Parabéns as pessoas e instituições envolvidas.

ieda fátima
Visitante
ieda fátima

Essa experiência vem ratificar a importância do empreendedorismo na educação. revelando a importância da pesquisa e da integração entre Escola e Comunidade

Ricardo Joviniano de Santana Neto
Visitante
Ricardo Joviniano de Santana Neto

O tino empreendedor já existe nas pessoas, e o meio circunstancial aflora com mais intensidade isso. Agregado a um trabalho prévio dos setores específicos, o sucesso é algo iminente.

Elias Fonseca
Visitante
Elias Fonseca

É uma maravilha ver que empreender não é um bicho papão e deve começar mais cedo na vida das pessoas, inclusive na escola, espaço aberto para implementação de diferentes tipos de projetos, basta ter iniciativas como a citada acima.

ERENITA PEREIRA DE NOVAIS
Visitante
ERENITA PEREIRA DE NOVAIS

Pensar no aluno, é deixá-lo agir em sua comunidade.

Lucinéa Alves
Visitante
Lucinéa Alves

Muito rico esse projeto, fez com que os alunos percebessem a importância de interagir com sua comunidade.

Ivanir
Visitante
Ivanir

Gostei muito das experiências e projetos positivos desenvolvidos, onde os alunos encontram um novo sentido na educação para a sua vida e também para transformar a comunidade.

Edison Carvalho
Visitante
Edison Carvalho

Um novo jeito de aprender e ensinar é o que a escola brasileira necessita e os jovens, clamam.

José Ferreira
Visitante
José Ferreira

É linda a atitude desses meninos envolvidos nesse Projeto, com certeza é o diferencial que tanto precisamos.

Gianne
Visitante
Gianne

Que belo projeto! Dar auto estima , protagonismo e oportunidade faz toda a diferença no futuro dessas crianças! Parabéns aos idealizadores e a direção por ter aberto o espaço. Muitas vezes as escolas se fecham ao novo e perdem oportunidades ricas como essa!

gilvan
Visitante
gilvan

Lendo esse texto me lembrei de um ex aluno que me perguntou sobre a iniciativa de uma cooperativa na comunidade dele, agora sei sei que posso incentivar meus alunos com essa iniciativa.

Joaquim
Visitante
Joaquim

Inspiradora essa experiência, ouvir o aluno, dá espaço para que eles tenham voz e se sintam protagonistas do processo é um ponto crucial.

Rosana Pedroso
Visitante
Rosana Pedroso

Achei muito interessante a citação de uma educação “espiral “. Um simples projeto de pequena horta escolar, por exemplo, pode ir além dos muros e transformar a vida de uma comunidade. Viva a educação transformadora!!!

Rosana Pedroso
Visitante
Rosana Pedroso

Não há como pensar escola atual descontextualizada das vivências cotidianas dos alunos. A escola é o meio de interação família e comunidade, e um pilar na construção da visão crítica e transformadora dos jovens. Parabéns aos profissionais que conseguem provocar nos alunos essa visão social, fazendo que os jovens enxerguem seu papel na sociedade. Muito enriquecedor ler sobre essas ações concretas, que buscam a melhoria da vida das pessoas!

Andrea Cristina Soares de Abreu
Visitante
Andrea Cristina Soares de Abreu

Estamos super felizes com implementação da Escola Tempo Integral no Ensino Médio, pois será integrado o Projeto de Vida e as consequências positivas serão de grandes intervenções e inovadoras principalmente para a nossa comunidade escolar.

Nilsa de Jesaus Barbosa Rosa
Visitante
Nilsa de Jesaus Barbosa Rosa

Esse projeto foi de grande valia, pois orienta a levar o aluno a comunicar se, desenvolver o raciocínio lógico pra ter uma visão empreendedora independente da área que segue ela vai ser dar bem.

Bernadete Auxiliadora Maciel do Nascimento
Visitante
Bernadete Auxiliadora Maciel do Nascimento

É de grande importância valorizar a vida, este projeto tem mostrado isto.

eliete
Visitante
eliete

É interessante ver como que a escola está buscando essa parceria com a comunidade escolar. Quando vemos os alunos interagindo, participando ativamente dos projetos da escola, é motivo de orgulho, porque assim percebe-se a importância de não desistirmos da educação. É possível sim, uma aprendizagem significativa, com a participação efetiva de todos, de forma natural, sem cobranças, sem forçar o empenho dos alunos, sem ameaçar com notas vermelhas… A educação precisava mesmo de se inovar.

SANDRA MARA BARBOSA DE SOUSA
Visitante
SANDRA MARA BARBOSA DE SOUSA

O PROJETO É DE GRANDE VALIA, POIS CONTRIBUI PARA MINHA FORMAÇÃO E PRÁTICA PEDAGÓGICA, GOSTO DE PARTICIPAR DAS ATIVIDADE EMPREENDEDORAS DESENVOLVIDAS NAS ESCOLAS DA MINHA CIDADE.

Diliana Márcia de Barros Lisboa
Visitante
Diliana Márcia de Barros Lisboa

Adorei a proposta de trabalhar com empreendedorismo na escola. Ensina a ter empatia e valorizando o dinheiro prorcionando oportunidade para o mercado de trabalho. Fazendo com que os jovens se sintam responsáveis e capazes.

DIVA ANTUNES REQUENHA OLIVEIRA
Visitante
DIVA ANTUNES REQUENHA OLIVEIRA

Parabéns aos executores e participantes do projeto. Um projeto de crescimento individual e coletivo, um projeto para a vida. Excelente trabalho!

Elenise Bernadete Hansen
Visitante
Elenise Bernadete Hansen

Nós professores somos mesmo maravilhosos, além de poderosos. Quem deseja fazer arruma um jeito, quem não desejo encontra uma desculpa… dito popular que ilustra a iniciativa relatada acima, desta escola que decidiu encontrar as dificuldades e não apontar culpados e sim mover a energia em busca de soluções.

Orgulho de ser professora!

Enice Teixeira Lima Gonçalves
Visitante
Enice Teixeira Lima Gonçalves

Gostei valeu muito esse conteúdo

fabiola
Visitante
fabiola

muito pertinente

Maria Núbia Alves da Silva Nascimento
Visitante
Maria Núbia Alves da Silva Nascimento

Muito bom os alunos se interagir assim aprendendo e ao mesmo tempo ensinando.

JUSSARA SANTANA DIAS PASSOS
Visitante
JUSSARA SANTANA DIAS PASSOS

Adorei toda as aulas,dicas,conteúdos, obrigada!

Livia
Visitante
Livia

Excelente explanação , creio que teremos muito a colocar em prática.

Gi
Visitante
Gi

O conteúdo foi de grande importância, cada vez mais abre e orienta as direções nas formas de educar e ensinar

Denilia Barbosa dos Santos Ferraz
Visitante
Denilia Barbosa dos Santos Ferraz

Como é bom fazer com que os alunos tenha a oportunidade de conhecer uns aos outros, para que com isto aja respeito. A escola por sua vez contribui para está melhoria nas relações entre eles.

X