Alunos de escola pública lançam satélite em órbita - PORVIR

Inovações em Educação

Alunos de escola pública lançam satélite em órbita

Estimulados por professor de matemática, estudantes de 12 anos desenvolvem peça aeroespacial capaz de mandar mensagem

por Patrícia Gomes ilustração relógio 18 de junho de 2012

Eles não são doutores do MIT, não trabalham para a Nasa, nem fazem pós graduação em um programa milionário de alguma das agências espaciais espalhadas pelo mundo. A turma, que há quase dois anos estuda técnicas para construir uma peça aeroespacial e maneja tecnologia específica para lançar um satélite em órbita, o Tancredo I, é formada por meninos e meninas de 12 anos da Escola Municipal Presidente Tancredo Neves em Ubatuba, São Paulo. Sim, 12 anos. Estão no oitavo ano do ensino fundamental e vêm, principalmente, da comunidade de baixa renda vizinha à escola.

Sem que soubessem, porém, um mundo de oportunidades iria se abrir a partir de fevereiro de 2010, quando uma notinha publicada em uma revista de ciências caiu nas mãos do professor de matemática Candido de Moura. O texto falava que uma empresa na Califórnia estava vendendo kits que permitiam a construção de satélites de pequenas dimensões e que, depois de pronta, a peça poderia ser lançada no espaço.

crédito Pablo Kaulins / Fotolia.com

 

Moura resolveu tentar comprar o kit para construir o satélite com os alunos. “Eu gosto dessa parte prática. Não queria fazer esses exercícios de sala de aula que vêm prontos, com número preparado para a resposta não dar valor quebrado”, afirma o professor. Ele telefonou para a empresa, disse que queria comprar. A recepção foi calorosa, mas veio com um aviso. “Eles ficaram empolgados com a perspectiva de ter meninos de 10 anos construindo o satélite, mas avisaram que precisaríamos de ajuda técnica para colocar o projeto em prática”.

Moura tinha então três problemas para resolver: reunir gente que tivesse vontade de tocar o projeto, conseguir financiamento de US$ 8.000 para comprar o kit e, por fim, ter a ajuda de quem entendia do assunto para o desenvolvimento do conhecimento específico. O primeiro, diz o professor, foi o mais fácil, afinal não era difícil juntar pessoas interessadas em construir um satélite. O segundo, que era verba, também se resolveu com o contato com patrocinadores. Para vencer o terceiro desafio, bateu à porta do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), foi recebido com entusiasmo e fechou a parceria.

crédito Divulgação

Desse ponto até o início do trabalho com os alunos, foram meses lidando com o ir e vir de papeis para firmar convênios e trazer o que os EUA chamavam de “tecnologia sensível” para a América Latina. Enquanto resolvia a parte burocrática, Moura começou a sensibilizar os alunos com filmes sobre missões aeroespaciais bem e mal sucedidas, para despertar na turma o interesse pelo assunto. Com todo o projeto devidamente autorizado e regulamentado, revelou o plano para os meninos, que aceitaram o desafio. Começaram, então, os treinamentos para transformar o kit em um satélite. “É preciso ajustar o projeto, soldar os componentes que vêm no kit, comprar algumas peças no mercado”, afirma o professor.

“Quando você coloca um satélite em órbita aos 12 anos, você lida com muito mais tranquilidade com os problemas da vida”

Os meninos foram apresentados à função de cada componente, aos conceitos de eletrônica, de eletricidade estática e aprenderam a soldar segundo as especificações da Nasa – no espaço, a variação de temperatura e a radiação são fatores que exigem cuidados a mais no processo. Com a construção do satélite em andamento, nove dos alunos participantes foram aos EUA, no mês passado, conhecer a empresa fornecedora do kit e a Nasa.

“O projeto mudou a vida deles. A gente tem aluno querendo ser engenheiro eletrônico, astronauta”, afirma o professor. Além do aprendizado específico, incomum para a faixa etária, Moura acredita que construir um satélite e lançar em órbita tem ajudado em outras dimensões da vida, tornando-os mais autoconfiantes, comunicativos e interessados nos estudos de uma maneira geral. “Quando você coloca um satélite em órbita aos 12 anos, você lida com muito mais tranquilidade com os problemas da vida”, brinca o professor, que planeja escrever com os meninos um artigo científico sobre o impacto que o projeto tem tido na vida deles.

O satélite deve ser lançado no ano que vem e está sendo projetado para conseguir enviar uma mensagem captável por qualquer radioamador do planeta. Segundo Moura, essa é uma função simples que foi escolhida propositalmente para não criar muitas dificuldades. Mas no segundo satélite que a escola quer lançar, com a próxima turma de sexto ano do fundamental, a intenção é que os alunos menores façam a parte operacional de montagem e os maiores e mais experientes, com idade entre 13 ou 15 anos, desenvolvam uma função mais complexa para o satélite.


TAGS

ciências

34
Deixe um comentário

avatar
500
29 Comentários ao conteúdo
5 Respostas a comentários
0 Seguidores
 
Comentário com mais reações
Comentário em alta
33 Autores
Sônia AvelarMoacir Candido da Silvajoaquim franciscoSandro Silvaluke Quem acabou de comentar
  Acompanhar a discussão  
Mais recentes Mais antigos Mais votados
Tipo de notificação
joaquim francisco
Visitante
joaquim francisco

fiquei muito emocionado com a iniciativa deste professor. Com certeza ja mudou a vida destas criancas. Nao devemos esquecer de parabenizar tambem a direcao da escola que apoio este mestre. PARABENS CRIANCAS, SUCESSO….

Jose Carlos Bicudo
Visitante
Jose Carlos Bicudo

Simples assim, espetacular…parabéns mestre Prof. Candido de Moura.

Moacir Candido da Silva
Visitante
Moacir Candido da Silva

Adorei a matéria! Parabéns ao Prof. Candido de Moura pela iniciativa! Parabéns à Patrícia Gomes pela publicação, parabéns ao Gilberto Dimenstain pela divulgação da matéria na rádio CBN! A união e colaboração de todos é que produzem o sucesso! É fantástico saber que iniciativas tão simples (?) podem mudar a vida de tantos adolescentes/jovenzinhos, agora futuros cientistas, com um ideal tão nobre! É maravilhoso saber que estes pequenos cidadãos brasileiros não estarão à mercê de… Ler mais »

luke
Visitante
luke

Essa é a escolha que o Brasil deveria fazer, criar mentes brilhantes, que miram o futuro olhando para cima.
Pena que a grande maioria dos brasileiros dão mais valor aos pés.

Sandro Silva
Visitante
Sandro Silva

É gratificante saber que iniciativas como esta mudará o futuro de alguns jovens, que talvez nem imaginassem do são capazes. Importante ressaltar que uma atitude desta magnitude veio de onde seria menos provável dentro do universo da educação nacional, pois não vemos este feito se quer nas universidades deste pais. Gostaria de ver o Prof. Candido de Moura Ministro da Educação, pois este tem o que falta no ocupante do cargo atualmente… INICIATIVA E COMPETÊNCIA.

Carlos Belem
Visitante
Carlos Belem

Quem sabe um dia, alunos de escola publicas, vão fazer um lançador que não exploda no chão e mate a todos. Não contado a historia deste acontecimento na integra. Neste caso temos que fazer, e não esperar que um governo colonia de um grito de independência e lance um foguete tripulado ao espaço, ou naves com outras tecnologias. LMC Avante jovens, sucesso nesta missão. O mais difícil aconteceu. Vontade e ação. Chega de se iludir… Ler mais »

Roberto A Damasceno
Visitante
Roberto A Damasceno

Parabéns ao professor Candido de Moura pela brilhante iniciativa! Parabéns também ao Gilberto Dimenstain pela divulgação através da rádio CBN O Brasil precisa de mais iniciativas como esta.

joaquim francisco
Visitante
joaquim francisco

fiquei muito emocionado com a iniciativa deste professor. Com certeza ja mudou a vida destas criancas. Nao devemos esquecer de parabenizar tambem a direcao da escola que apoio este mestre. PARABENS CRIANCAS, SUCESSO….

Moacir Candido da Silva
Visitante
Moacir Candido da Silva

Adorei a matéria! Parabéns ao Prof. Candido de Moura pela iniciativa! Parabéns à Patrícia Gomes pela publicação, parabéns ao Gilberto Dimenstain pela divulgação da matéria na rádio CBN! A união e colaboração de todos é que produzem o sucesso! É fantástico saber que iniciativas tão simples (?) podem mudar a vida de tantos adolescentes/jovenzinhos, agora futuros cientistas, com um ideal tão nobre! É maravilhoso saber que estes pequenos cidadãos brasileiros não estarão à mercê de… Ler mais »

luke
Visitante
luke

Essa é a escolha que o Brasil deveria fazer, criar mentes brilhantes, que miram o futuro olhando para cima.
Pena que a grande maioria dos brasileiros dão mais valor aos pés.

Sandro Silva
Visitante
Sandro Silva

É gratificante saber que iniciativas como esta mudará o futuro de alguns jovens, que talvez nem imaginassem do são capazes. Importante ressaltar que uma atitude desta magnitude veio de onde seria menos provável dentro do universo da educação nacional, pois não vemos este feito se quer nas universidades deste pais. Gostaria de ver o Prof. Candido de Moura Ministro da Educação, pois este tem o que falta no ocupante do cargo atualmente… INICIATIVA E COMPETÊNCIA.

Celso L Pasta
Visitante
Celso L Pasta

Maravilhoso! Esse é o caminho para o ensino! Participação e criatividade! Temos que buscar isso!

Alvaro Pereira de Souza
Visitante
Alvaro Pereira de Souza

É impossível não se emocionar com a visão profissional deste professor. A vida dos alunos, dos colaboradores e a instituição de ensino está mudada para sempre.

RAIMUNDO NONATO CAVALCANTE
Visitante
RAIMUNDO NONATO CAVALCANTE

Essa matéria deixa-me aos 61 anos de de idade com um brilho nos olhos desses garotos envolvidos nesse projeto. Esse é o Brasil que eu sonho ainda pra mim, mas principalmente para meus filhos e mais ainda para os meus netos. Que lindo!. Esse país maravilhoso que se chama Brasil, muito me orgulha de nele ter nascido, crescido e vivido até aqui. Este país multicor, multi raça, multi credo é o ponto de encontro de… Ler mais »

Márcio Maltarolli
Visitante
Márcio Maltarolli

Considerando que este professor ganha uma miséria que alguns insistem em chamar de salário, começo a retomar a minha crença nas pessoas e nas instituições!

Celso L Pasta
Visitante
Celso L Pasta

Maravilhoso! Esse é o caminho para o ensino! Participação e criatividade! Temos que buscar isso!

Alvaro Pereira de Souza
Visitante
Alvaro Pereira de Souza

É impossível não se emocionar com a visão profissional deste professor. A vida dos alunos, dos colaboradores e a instituição de ensino está mudada para sempre.

RAIMUNDO NONATO CAVALCANTE
Visitante
RAIMUNDO NONATO CAVALCANTE

Essa matéria deixa-me aos 61 anos de de idade com um brilho nos olhos desses garotos envolvidos nesse projeto. Esse é o Brasil que eu sonho ainda pra mim, mas principalmente para meus filhos e mais ainda para os meus netos. Que lindo!. Esse país maravilhoso que se chama Brasil, muito me orgulha de nele ter nascido, crescido e vivido até aqui. Este país multicor, multi raça, multi credo é o ponto de encontro de… Ler mais »

Leandro de Moraes Medina
Visitante
Leandro de Moraes Medina

Este professor, sim, deveria ser Deputado Federal, Senador ou Presidente da República. Busca o desenvolvimento do país sem segundas intenções. Vamos seguir o seu exemplo e com certeza teremos um país melhor. Paz! Parabéns prof. Candido de Moura.

jose roberto
Visitante
jose roberto

simples não, sem politica governamental, sem apoio de partido politico, mas com decisão e coragem, assim se faz uma “nação”.
parabéns aos “engenheiros” ao Professor com “P” maiúsculo e ao Gilberto Dimenstein que sempre valoriza e nos mostra este lado pujante deste povo brasileiro.

Kaio Luz
Visitante
Kaio Luz

Depoimentos assim, mantêm a crença na esperança de que existe quem se esforça na formação de mente ao invés de dementes. Parabens ao professor e equipe.

Leandro de Moraes Medina
Visitante
Leandro de Moraes Medina

Este professor, sim, deveria ser Deputado Federal, Senador ou Presidente da República. Busca o desenvolvimento do país sem segundas intenções. Vamos seguir o seu exemplo e com certeza teremos um país melhor. Paz! Parabéns prof. Candido de Moura.

jose roberto
Visitante
jose roberto

simples não, sem politica governamental, sem apoio de partido politico, mas com decisão e coragem, assim se faz uma “nação”.
parabéns aos “engenheiros” ao Professor com “P” maiúsculo e ao Gilberto Dimenstein que sempre valoriza e nos mostra este lado pujante deste povo brasileiro.

Heloisa Igreja
Visitante
Heloisa Igreja

Prof. Cândido Moura A esperança não desiste, está sempre atenta ao trabalho de todos que acreditam na possibilidade de um mundo melhor. A esperança despontou e iluminou o trabalho de um Professor que honra a profissão e acredita que a Educação aplicada com vontade e confiança no futuro digno abre caminho igual para todos, deste modo cria ao invés de destruir como a corrupção, a violência e a falta de oportunidades. Parabéns Prof. Cândido Moura… Ler mais »

Heloisa Igreja
Visitante
Heloisa Igreja

Prof. Cândido Moura A esperança não desiste, está sempre atenta ao trabalho de todos que acreditam na possibilidade de um mundo melhor. A esperança despontou e iluminou o trabalho de um Professor que honra a profissão e acredita que a Educação aplicada com vontade e confiança no futuro digno abre caminho igual para todos, deste modo cria ao invés de destruir como a corrupção, a violência e a falta de oportunidades. Parabéns Prof. Cândido Moura… Ler mais »

Sônia Avelar
Visitante
Sônia Avelar

Adorei!

Sônia Avelar
Visitante
Sônia Avelar

Adorei!

Jacqueline
Visitante
Jacqueline

Achei otimo que o Brasil começou a fazer essas coisas para o espaço, tenho 13 anos e acho interessante isso, na minha escola não tem isso, e seria muito interesante se tivesse.

Candido de Moura
Visitante
Candido de Moura

Olá Jacqueline,

Que bom que você gostou, vocês alunos merecem isto, veja no site http://www.tancredoubatuba.com.br/ubatubasat/ mais detalhes do projeto e se um dia estiver passeando em Ubatuba venha conhecer nossa escola.

abraço

Candido

Jacqueline
Visitante
Jacqueline

Achei otimo que o Brasil começou a fazer essas coisas para o espaço, tenho 13 anos e acho interessante isso, na minha escola não tem isso, e seria muito interesante se tivesse.

Candido de Moura
Visitante
Candido de Moura

Agradeço em nome de toda a equipe do projeto Ubatubasat os elogios ao nosso trabalho, a Patricia Gomes, ao Gilberto Dimenstein e a Giuliana Miranda pela divulgação que deram a ele e aos leitores com seus comentários carinhosos. Sem dúvida esta atenção de vocês e o brilho no olho do aluno quando aprende algo novo são um enorme incentivo para a gente seguir adiante. Muito obrigado.

Candido

Candido de Moura
Visitante
Candido de Moura

Agradeço em nome de toda a equipe do projeto Ubatubasat os elogios ao nosso trabalho, a Patricia Gomes, ao Gilberto Dimenstein e a Giuliana Miranda pela divulgação que deram a ele e aos leitores com seus comentários carinhosos. Sem dúvida esta atenção de vocês e o brilho no olho do aluno quando aprende algo novo são um enorme incentivo para a gente seguir adiante. Muito obrigado.

Candido

Paulo Andrade
Visitante
Paulo Andrade

Este Candido merece uma estátua em praça pública.

Enquanto muitos dos nossos políticos roubam até verba de merenda escolar, um humilde professor prepara uma geração de técnicos.

Parabéns aos meninos, ao professor,ao INPE e a todos os que ressuscitam o orgulho do nosso povo.

Por onde será que anda o Marcos Pontes numa hora dessas?

mara
Visitante
mara

ler