Brasileiro é anunciado entre os 10 melhores estudantes do mundo - PORVIR
Crédito: Arquivo pessoal

Inovações em Educação

Brasileiro é anunciado entre os 10 melhores estudantes do mundo

Único brasileiro da lista de 2022, Lucas Tejedor está na final do Global Student Prize. O vencedor será anunciado no final de setembro, em Nova York

por Ana Luísa D'Maschio ilustração relógio 1 de setembro de 2022

Em agosto deste ano, o Porvir contou como o estudante Lucas Tejedor, de 18 anos, chegou aos 50 selecionados do Global Student Prize 2022. Figurar entre a seleta lista de classificados finais era uma de suas expectativas, que acabou se tornando realidade. Lucas é o único brasileiro entre os 10 classificados do prêmio que seleciona os “melhores estudantes do mundo”, promovido pela Varkey Foundation – instituição filantrópica com sede em Londres – em parceria com a Chegg.org. O vencedor deve ser anunciado no final do mês, durante a semana da Assembleia Geral da ONU (Organização das Nações Unidas), em Nova York, e ganhará US$ 100 mil. 

Aluno do Centro Federal de Educação Tecnológica do Rio de Janeiro, Lucas foi selecionado entre mais de 7 mil indicações e inscrições de 150 países ao redor do mundo. O estudante, que mantém um site com atualizações frequentes, está envolvido em diversos projetos: desde o uso de inteligência artificial para detectar derramamento de óleo e para combater incêndios a um aplicativo sobre reciclagem de lixo eletrônico. 

“Eu estendo meus mais calorosos parabéns ao Lucas.  Sua história é uma prova do papel crucial que a educação desempenha na construção de um amanhã melhor para todos nós. É a chave para resolver os maiores desafios da humanidade, desde a guerra e o conflito até as mudanças climáticas até a crescente desigualdade”, afirma Sunny Varkey, fundadora da Fundação Varkey. “À medida que o tempo se esgota para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, é mais importante do que nunca priorizar a educação para que possamos enfrentar o futuro com confiança.”

Conheça os demais finalistas:

Alesyah Asa (Malásia)

Estudante do Keningau Vocational College,  Alesyah trabalha com STEM (acrônimo formado pelas iniciais das palavras ciência, tecnologia, engenharia e matemática, em inglês) para promover inovação e inclusão em sua comunidade. 

Anagha Rajesh (Índia)

Fundadora da organização sem fins lucrativos Yours Mindfully, Anagha é estudante do Birla Institute of Technology and Science. Pesquisadora, contadora de histórias e líder comunitária, trabalhou em diversos projetos, da nutrição à tecnologia nuclear. 

Gitanjali Rao (Estados Unidos) 

Em parceria com o Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), Gitanjali criou um aplicativo antibullying. É estudante de STEM na School Highlands Ranch. 

Igor Klymenko (Ucrânia)

Estudante de ciências físicas e matemáticas no Instituto Politécnico de Kyiv, Igor pretende resolver o problema global das minas terrestres. Ele desenvolveu um aplicativo para detectá-las e recebeu duas patentes oficiais do governo da Ucrânia. 

Kenisha Arora (Canadá)

Criadora da HopeSisters, organização sem fins lucrativos dedicada à população vulnerável reconhecida pelo Google e ONU (Organização das Nações Unidas), Kenisha estuda ciências médicas na Western University.

Mathias Charles Yabe (Gana) 

Empreendedor social, Mathias cofundou a AkoFresh, startup que oferece a pequenos agricultores serviços sustentáveis ​ para reduzir a questão das perdas pós-colheita. É estudante de comunicação e design da Kwame Nkrumah University of Science and Technology.

Maya Bridgman (Emirados Árabes Unidos)

Focada em projetos de inteligência artificial (IA), Maya fundou a The Dubai AI, que realiza aulas semanais ao vivo e on-line para capacitar estudantes a ter confiança em suas habilidades de IA. Ela colabora com escolas, ONGs e com o Ministério de Inteligência Artificial.

Nathan Nguyen (Austrália)

Criador da Sciencious, organização sem fins lucrativos que fornece recursos STEM para estudantes com poucos recursos em todo o mundo, Nathan é estudante do ensino médio na Cavendish Road State High School.

Nicolás Alberto Monzón (Argentina)  

Estudante de ciências da computação da Universidad Argentina de la Empresa (UADE), Nicolás é um defensor do voluntariado. Ele trabalhou com instituições voltadas para auxiliar moradores em situação de rua e apoiar comunidades vulneráveis no país. 


TAGS

Global Student Prize, protagonismo jovem

Cadastre-se para receber notificações
Tipo de notificação
guest
0 Comentários
Comentários dentro do conteúdo
Ver todos comentários
Conheça os professores homenageados na exposição do Porvir no Museu Catavento (SP)Saiba mais
0
É a sua vez de comentar!x
()
x