Conheça os projetos semifinalistas do prêmio ‘Respostas para o Amanhã’ - PORVIR
Crédito: sorbetto / iStock

Inovações em Educação

Conheça os projetos semifinalistas do prêmio ‘Respostas para o Amanhã’

Desafio reconhece iniciativas de investigação e experimentação científica e tecnológica feitos por estudantes do ensino médio público

por Redação ilustração relógio 20 de agosto de 2019

Iniciativas de empreendedorismo e sustentabilidade, programação a serviço da saúde e tecnologias para a inclusão. Essas são algumas das propostas selecionadas para a semifinal do prêmio “Respostas para o Amanhã”, que reconhece projetos de investigação e experimentação científica e/ou tecnológica feitos por estudantes do ensino médio público, com a orientação de seus professores.

Com a proposta de destacar iniciativas que usam a ciência e a tecnologia para melhorar a vida de comunidades, o desafio incentiva o olhar dos estudantes para questões sociais que estão presentes no seu cotidiano. Organizado pela Samsung, com a coordenação do CENPEC Educação, o prêmio está na sua 6ª edição.

Desde 2014, o prêmio totaliza mais de 18 mil projetos, 4 mil escolas participantes, 10,2 mil professores e 153 mil estudantes envolvidos. Neste ano, o professor orientador e até dois professores de cada um dos projetos semifinalistas serão premiados com um tablet.

Na fase atual do “Respostas para o Amanhã”, vinte semifinalistas foram reconhecidos. A próxima etapa será anunciada no dia 28 de agosto, quando serão divulgados os dez finalistas. Os três vencedores nacionais serão conhecidos no dia 30 de setembro, e a melhor equipe classificada irá apresentar o seu projeto na etapa regional, em São Paulo, junto com os vencedores dos demais países da América Latina.

De 23 a 29 de setembro, também acontece a votação pelo Júri Popular no site do prêmio, momento em que serão escolhidos 3 dentre os dez projetos finalistas para premiação nessa categoria.

Confira os vinte projetos semifinalistas da 6ª edição do Prêmio ‘Respostas para o Amanhã’:

CEDUP Abílio Paulo – Criciúma (SC)
Eletrocardiograma de baixo custo baseado na plataforma microcontrolada Arduino.

CEFET-RJ/Unidade Maracanã – Rio de Janeiro (RJ)
BioArm: construção de uma próteses (antebraço e mão) devidamente dimensionada para permitir movimentos e a retenção de objetos.

Centro de Ensino de Tempo Integral Poeta Antônio José – Santa Inês (MA)
Empreendedorismo sustentável: produção de folhas esqueletizadas para confecção de biojóias na comunidade do Jardim Brasília.

Colégio Estadual Dom Veloso – Itumbiara (GO)
Engenharia sustentável: uso de resíduos na fabricação de tijolos ecológicos.

EE Angelo Scarabucci – Franca (SP)
Proteção dos pés para a cabeça: reutilização de resíduos produzidos na indústria calçadista na produção de um capacete sustentável para ciclistas.

EE Centro Estadual de Educação Profissional do Campo Milton Santos – Arataca (BA)
Banana verde: uma alternativa para reduzir o uso e o descarte do plástico convencional na natureza.

Escola Estadual Nossa Senhora de Nazaré – Manacapuru (AM)
Transformação das escamas de peixe em fibras algodonosas com aplicabilidades nas áreas da saúde e industrial, com sustentabilidade.

EE Professor Sebastião de Oliveira Rocha – São Carlos (SP)
Estudo de óleos essenciais que possuam propriedades antifúngicas, antibacterianas e repelente.

Escola Estadual Profª Maria das Dores Brasil – Boa Vista (RR)
Biolarvicida: Senna alata l. no combate às larvas dos mosquitos Aedes aegypti, Culex quinquefasciatus.

EEM Ronaldo Caminha Barbosa – Cascavel (CE)
AGRI+: Combatendo a escassez de água e melhorando a agricultura com polímeros sustentáveis.

EEEM Rui Barbosa – Tucuruí (PA)
Uso de resíduos de peixe na agricultura familiar no município de Tucuruí (PA).

Escola Estadual de Ensino Médio em Tempo Integral Tristão de Barros – Currais Novos (RN)
Cocopack: trata-se de um projeto que visa desenvolver uma bandeja biodegradável para substituir as de isopor utilizadas em supermercado a partir de cascas de coco seco e cola orgânica.

EEEP Guilherme Teles Gouveia – Granja (CE)
Filtro Biorremediador: Utilização de microrganismos eficientes (EM’S) no beneficiamento de águas residuais em comunidades sem saneamento básico.

Escola de Referencia em Ensino Médio Odorico Melo – Parnamirim (PE)
Potencial de clarificação e potabilização de água em estação móvel de tratamento de água com sementes de Moringa oleifera Lam, como agente coagulante.

EEMTI Marconi Coelho Reis – Cascavel (CE)
Desenvolvimento de biofilme a partir da Psidium guajava para aplicações diversas.

ETEC Polivalente de Americana – Americana (SP)
Reupilhagem: recuperação e reciclagem dos componentes de pilhas alcalinas.

IEE Guilherme Clemente Koehler – Ijuí (RS)
Fabricação de pavimentos intertravados utilizando resíduos da reciclagem de postes de concreto em substituição parcial do agregado miúdo (areia).

IFPA – Campus Belém – Belém (PA)
Construção de banco de filtração de água de rio em 3 estágios fabricado em cerâmica extrativa de carvão ativado oriundo de caroço de açaí.

IFPI – Campus Campo Maior – Campo Maior (PI)
Assento móvel de acessibilidade para o passageiro com limitações de movimentos das pernas em automóveis de pequeno e médio porte.

IFPI – Campus Teresina Central – Teresina (PI)
Ben Hero: incluindo e reabilitando de forma lúdica!


TAGS

aprendizagem baseada em projetos, ensino médio, prêmio, tecnologia

Deixe um comentário

avatar
500
  Acompanhar a discussão  
Tipo de notificação