Curso de verão ensina adolescente a abrir empresa - PORVIR
Crédito: Halfpoint / Fotolia.com

Inovações em Educação

Curso de verão ensina adolescente a abrir empresa

Leangap, programa criado por empreendedor de apenas 17 anos, quer preparar jovens a tirar ideias do papel

por Vinícius de Oliveira ilustração relógio 17 de março de 2015

Eddy Zhong seria apenas mais um personagem a contar que decidiu jogar tudo para o alto e trilhar uma história no empreendedorismo americano não fosse um detalhe: ele tem só 17 anos e já colocou empresa para funcionar. Antes que você comece a se perguntar como, por que e o que fez de errado com sua própria carreira, ele já decidiu largar o ensino médio para se dedicar à Leangap, sua mais nova empreitada que promete ajudar adolescentes de 14 a 18 anos a criar um negócio próprio.

A disposição de Zhong para ensinar mais jovens a buscar um caminho além da receita tradicional de escola-faculdade-emprego (supostamente) estável veio com sua experiência bem-sucedida com a Blanc, empresa que fabrica um relógio inteligente (smartwatch, em inglês) que detecta os movimentos do corpo e vibra para te acordar caso você esteja cochilando. Seu público alvo? Estudantes à beira de um ataque de nervos durante provas (como o próprio irmão de Zhong, que sucumbiu ao cansaço durante o Gao Kao, equivalente chinês ao Enem brasileiro), médicos, equipes de segurança ou qualquer um que precise de concentração máxima no trabalho.

“Eu não sou uma pessoa conformada em obedecer regras dentro ou fora da escola”, diz Zhong em entrevista ao Porvir. Mais do que um mantra, suas palavras encontram respostas na realidade e, desde dezembro, Zhong se juntou a outros dois sócios e dedicar 100% tempo à formatação do programa que tem como regra principal o “faça você mesmo”.

Os 40 selecionados para participar do Leangap, que custa US$ 5.985 (incluindo alimentação e moradia), vão aprender ao longo de seis semanas a tirar ideias do papel, desenvolvê-las e apresentá-las de modo convincente a investidores. Além de trazer conceitos de artes e design, a imersão que começa no final de junho, em pleno verão americano, também ensina a programar para a web e dispositivos móveis. Inglês fluente é pré-requisito, enquanto levar na bagagem algum conhecimento de programação é apenas “desejável”.

Segundo o fundador da Leangap, a intenção não é compactar o conteúdo visto em escolas de negócios. “O ensino nas faculdades é baseado na teoria e em cases. Nosso programa é diferente por ser todo mão na massa, não ter sala de aula e livros”. Zhong explica que um integrante da comunidade de startups de Boston ficará responsável por comandar cada um dos 42 dias de curso e mentores vão acompanhar o desenvolvimento dos projetos. “Sempre haverá alguém para tirar dúvida ou dar algum conselho”.

Mas 14 anos não é muito cedo para já pensar em empreender? Zhong diz que os requisitos para quem decide por esse rumo não são os mesmos ditados pelo ensino tradicional. No evento TEDx Beacon Street (clique para ver o vídeo, em inglês), ele confessa ser “o primeiro asiático a não entender matemática” e, mesmo assim, decidiu seguir em frente. “É diferente de um problema de matemática ou de física porque não requer resolução de problemas, mas bom senso e trabalho duro. Se você tiver isso, consegue criar uma empresa”.


TAGS

empreendedorismo, programação

1
Deixe um comentário

avatar
500
0 Comentários ao conteúdo
0 Respostas a comentários
0 Seguidores
 
Comentário com mais reações
Comentário em alta
0 Autores
Quem acabou de comentar
  Acompanhar a discussão  
Mais recentes Mais antigos Mais votados
Tipo de notificação
X