Filme apoia debates sobre Projeto de Vida no ensino médio - PORVIR
Cena do filme "As vantagens de ser invisível"/Divulgação

Diário de Inovações

Filme apoia debates sobre Projeto de Vida no ensino médio

Exibição de "As vantagens de ser invisível", para alunos de Santana de Parnaíba (SP), estimula reflexões sobre o papel da escola e da vida social

por Sérgio Campelo ilustração relógio 15 de setembro de 2022

O componente Projeto de Vida incluído na BNCC (Base Nacional Comum Curricular) traz para a sala de aula temas que são bastante apropriados para os alunos que estão no ensino médio. Ele deve, conforme a LDB (Lei de Diretrizes e Bases), considerar a formação integral do aluno, sua preparação para o mercado de trabalho, seus direitos e deveres como cidadão e sua formação como pessoa humana, envolvendo valores éticos para a boa convivência social. Temas que são norteados por três pilares: pessoais, profissionais e sociais.

Em relação aos aspectos sociais, resolvi conversar com os alunos do primeiro ano do ensino médio do Colégio Municipal Manoel Jacob Cremm, de Santana de Parnaíba (SP), realizando uma sessão de cinema na sala de aula. Escolhi exibir o filme “As vantagens de ser invisível”, de 2012, escrito e dirigido por Stephen Chbosky. O filme, disponível na Netflix, trata das dificuldades de relacionamento do tímido protagonista Charlie, interpretado por Logan Lerman, e sua busca por novas amizades quando ingressa, também, no equivalente ao primeiro ano do ensino médio nos Estados Unidos. Charlie, apesar da conquista de novos amigos, possui traumas que são apresentados e revelados durante o filme.

A exibição trouxe reflexões e debates, fomentados por meio de questões para a análise do longa-metragem. A proposta era incentivar a turma a pensar sobre sua própria existência na escola e na vida social, com familiares e amigos, colaborando com a busca de sua identidade e limitações. As perguntas elaboradas envolvem a análise simples do filme e estímulos para que tentem compreender a vida do próximo e a sua própria.


As questões propostas sobre o filme “As vantagens de ser invisível” foram as seguintes:

1) Relacione o título “As vantagens de ser invisível” com o enredo do filme. Quais foram as vantagens da “invisibilidade” para o protagonista?

2) Qual a principal dificuldade do protagonista Charlie nos seus primeiros dias no ensino médio?

3) Durante o filme, a obra de Harper Lee, “O Sol é para todos”, de 1960, é citada. Explique essa metáfora relacionando-a ao filme.

4) Cite um dos traumas na vida do protagonista Charlie.

5) Qual a personagem do filme mais te agradou? Por quê?

A participação na atividade envolveu quase a totalidade da turma. Foi um resultado gratificante, pois este componente não exige notas e avaliações. 


Com a participação, é possível notar que os alunos desejam manifestar suas opiniões sobre si mesmos e sobre os outros. Possuir um canal de expressão para os seus sentimentos pode ser um bom estímulo na própria sala de aula.


Abaixo, descrevo algumas respostas, colocando apenas as iniciais dos nomes dos alunos por questões de privacidade, suas idades, e sem alterações na escrita das respostas:

1) “Charlie, por ter dificuldade em socializar, teve que aprender sobre o amor e as amizades. Como alguém ‘invisível’, ele se tornou observador e passou a entender as pessoas”. M. E., 15 anos

“Por ser ‘invisível’ ele podia ficar observando tudo que acontecia”. G. B., 14 anos

2) “Socializar, se envolver com as pessoas e também a timidez, e também o pessoal via ele como um ‘nerdão’”. N. L., 14 anos

“Socializar e fazer amizades”. G. O., 15 anos

3) “Os amigos de Charlie, assim como ele, eram deslocados, pessoas fora do padrão daquela época, que queriam ser tratadas como pessoas comuns sem os preconceitos da época”. M. E., 15 anos

“Que há solução para todos os problemas”. H. M., 15 anos

“Que tudo é possível para todos”. G. B., 14 anos

4)” O garoto tenta seguir sua vida superando a depressão, depois que seu melhor amigo se matou com um tiro na cabeça”. M. E., 15 anos

“O trauma que ele foi abusado foi um trauma da infância”. H. M., 15 anos

5) “Patrick, ele conhece a si mesmo e sabe quem é e não esconde isso, se importa muito com a família e as pessoas que ama. Mesmo triste, ele ainda quer que as pessoas a sua volta estejam felizes, por isso sempre disfarça um sorriso e faz as pessoas sorrirem”. G. O. 15 anos

“Charlie, ele supera os traumas no final e isso me agradou”. N. S., 14 anos

“Charlie, pois ele conseguiu superar os seus traumas mesmo nas horas mais difíceis”. H. F., 15 anos

“A Sam, pois ela entendeu o Charlie”. G. B., 14 anos


Talvez as respostas para a última questão foram as que mais trouxeram informações sobre a personalidade dos alunos e seu momento emocional atual: a identificação com as personagens pode ser uma tradução de seus anseios e desejos. As outras questões foram para auxiliar no desenvolvimento de suas habilidades de análise de narrativas e escrita.

Além das questões acima mencionadas, também foi solicitada a eles a pesquisa de ícones citados durante “As vantagens de ser invisível”, como Charles Dickens, Morrissey, David Bowie e Shakespeare, para que conheçam o que há de melhor na literatura, na música e no pop style.

Podemos concluir que exibir filmes com uma intencionalidade pedagógica pode ser uma boa estratégia para ouvir o que os alunos têm a dizer, fomentar reflexões e desenvolver outras de suas diversas habilidades.


Sérgio Campelo

Formado em letras e pedagogia com especialização em gestão da comunicação pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo, atualmente é professor de educação básica da rede municipal de Santana de Parnaíba (SP). Possui experiência na capacitação de jovens e professores em cursos de formação inicial e continuada.

TAGS

cultura, ensino médio, projeto de vida

Cadastre-se para receber notificações
Tipo de notificação
guest
0 Comentários
Comentários dentro do conteúdo
Ver todos comentários
0
É a sua vez de comentar!x
()
x
X