Bem-vindo (a) ao site do Porvir

Aqui, mapeamos, difundimos e promovemos a troca de práticas educacionais inovadoras

Boas inspirações!

Crédito: Toniflap / Fotolia.com

Nossa Escola em (Re)Construção

Como mobilizar os alunos em projetos de transformação da escola

Com base na pesquisa "Nossa Escola em (Re)Construção", professores autores do Diário de Inovações sugerem elaboração de projetos que buscam soluções para desafios identificados pelos jovens

por Adriana Gandin / Thiago Ribeiro de Carvalho 24 de junho de 2016

Como mobilizar estudantes para gerar transformações dentro da escola? Ouvir o que eles têm a dizer pode ser o primeiro passo. As demandas e percepções dos jovens podem ser o ponto de partida para a construção de um projeto educacional, que trabalha com questões significativas para eles e integra diferentes áreas de conhecimento.

A partir da reflexão gerada pela pesquisa Nossa Escola em (Re)Construção, que até 31 de julho vai ouvir jovens de 13 a 21 anos de todo o país, os professores Adriana Gandin e Thiago Ribeiro, autores de relatos na seção Diário de Inovações, sugerem que os educadores proponham aos estudantes a elaboração de um projeto de intervenção dentro da escola.

Realizada pelo Porvir e a Rede Conhecimento Social, a pesquisa tem o objetivo de promover a reflexão sobre como conectar a educação com a realidade do jovem do século 21. Os resultados gerais serão divulgados no final de agosto, mas as instituições com pelo menos 50 participantes também poderão pedir o seu resultado segmentado em setembro, o que pode servir de base para a construção dos projetos.

Por meio da análise das respostas, os estudantes podem ser desafiados a encontrarem soluções reais para as principais demandas apresentadas pelos colegas. Confira um roteiro para orientar a construção de projetos com base na pesquisa:

Concepção
A definição de um problema ou tema é o primeiro passo para construir um projeto. Nesse caso, a partir dos resultados da pesquisa, estudantes e professores podem analisar os dados da escola para identificarem os desafios que irão tentar solucionar. Eles podem observar quais são as demandas mais apresentadas pelos colegas para criarem propostas de intervenção.

Planejamento
A definição das atividades a serem desenvolvidas deve ser feita de forma coletiva. Neste momento podem ser pensadas quais ações e etapas serão necessárias durante o projeto, além apontar os recursos utilizados. O professor também deve auxiliar os alunos na identificação de quais propostas poderiam ser realizadas em curto, médio e longo prazo.

Cronograma
Durante o planejamento também deve ser elaborado um cronograma, que considera o tempo necessário para o desenvolvimento do projeto e estabelece prazos para cada atividade. Vale lembrar que o cronograma deve prever a chegada dos resultados segmentados da pesquisa após setembro.

Execução
A execução é momento em que os alunos começam a fazer pesquisas e trabalham em grupos para desenvolverem suas propostas de intervenção na escola. O professor deve incentivar a turma e estar disponível para dar orientações.

Monitoramento e avaliação
Antes de iniciar o projeto, o professor deve pensar sobre a avaliação e construir critérios em conjunto com os alunos. É importante que a avaliação deve acontecer durante todo o processo, e não apenas no encerramento.

Encerramento
Após o término do projeto, o educador pode organizar uma roda de conversa com a turma para refletir sobre as propostas de intervenção realizadas. Pode ser levantado um debate sobre como acontecem processos de mudança dento da escola, identificando quais propostas podem começar a ser realizadas em âmbito local e quais devem envolver o diálogo com órgãos públicos municipais, estaduais e federais.

 

TAGS

aprendizagem baseada em projetos, ensino fundamental, ensino médio