5 projetos de arte transformadores nascidos em escolas públicas - PORVIR
Reprodução

Inovações em Educação

5 projetos de arte transformadores nascidos em escolas públicas

Assista aos documentários sobre o trabalho de professores da rede pública de Jandira (SP), Americana (SP), Jacundá (PA), Bento Gonçalves (RS) e Caicó (RN) que foram reconhecidos no 20º Prêmio Arte na Escola Cidadã

por Redação ilustração relógio 6 de dezembro de 2019

O Instituto Arte na Escola divulgou minidocumentários das escolas vencedoras do 20º Prêmio Arte na Escola Cidadã, iniciativa para incentivar e reconhecer o ensino da arte nas escolas brasileiras. Entre os vencedores da edição de 2019, estão professores da rede pública de Jandira (SP), Americana (SP), Jacundá (PA), Bento Gonçalves (RS) e Caicó (RN). Eles concorreram com mais mil projetos em cinco categorias de premiação: educação infantil, ensino fundamental 1, ensino fundamental 2, ensino médio e educação de jovens e adultos. Os projetos premiados este ano passam por temas como cultura local, identidade afro-brasileira e fotografia.

Leia mais: STEM ou STEAM: Para que serve o ensino de Arte? 

Os professores homenageados em cada uma das categorias recebem R$ 10 mil, certificado e participam de uma semana de formações culturais na cidade de São Paulo. As escolas nas quais os projetos foram desenvolvidos ganham equipamentos. Conheça:

Educação infantil – CEI Brayan Biguinat Jardim
“Universo Fotográfico Infantil” – Professora Grécia Oliveira (Jandira/SP)

A educadora convidou seus alunos a usar a tecnologia em favor do fazer e do olhar artístico enfatizando a importância do faz de conta para que se revele o protagonismo de cada uma das crianças. Os celulares foram utilizados como instrumento para humanização com a participação dos pais e da comunidade.

Ensino fundamental 1 – CIEP Prof. Octávio César Borgui
“Ubuntu – Sou Porque nós somos” – Professor Antonio Roberto da Silva (Americana/SP)

A arte contemporânea foi utilizada como estímulo para a reflexão sobre a identidade afro-brasileira e a história do Brasil. Um projeto que realiza uma forte interação entre o individual e o coletivo que resultou em uma exposição.

Ensino fundamental 2 – EMEF Maria da Gloria Rodrigues Paixão
“Cores do Açaí” – Professora Elsamar Emerique (Jacundá/PA)

O fruto do açaí e suas tonalidades de cores foram o ponto de partida para uma imersão na arte e a cultura paraense. Cada uma das turmas da escola focaram em um movimento da história da arte de modo a abranger um amplo painel que, de outro modo, poderia não constar no cotidiano dos alunos.

Ensino médio – Escola Municipal de Ensino Médio Alfredo Vicente
“Cildo Meireles – Nosso Circuito Ideológico 2018” – Professora Milene Petró (Bento Gonçalves/RS)

A partir das obras de Cildo Meireles, a professora convidou os alunos a uma reflexão sobre a sociedade contemporânea por meio da arte conceitual. Fundamentos de longo alcance e profundidade a partir das escolhas do artista mostraram com ênfase que nem tudo é mercadoria. Temas principais da atualidade, chegou em resultados artísticos que se sustentam como crítica ao modelo de organização do mundo.

Ensino de Jovens e Adultos – CEJA Senador Guerra
“A reinvenção de si: reconstruindo histórias de vida na EJA por meio da palavra e da imagem” – Professor Jailson dos Santos (Caicó/RN)

A partir da arte, o projeto busca expandir a percepção que os alunos têm de si e do mundo, a partir de autorretratos nos quais os alunos são os autores da própria imagem, fazendo uso da língua portuguesa redigindo o painel “Autobiografia Visual”, no qual acontece a interação entre arte, cultura local e emancipação social por intermédio do olhar subjetivo que move uma experiência estética.


TAGS

aprendizagem baseada em projetos, competências para o século 21, educação infantil, educação integral, educação mão na massa, ensino fundamental, ensino médio, prêmios

Deixe um comentário

avatar
500
  Acompanhar a discussão  
Tipo de notificação