Aplicativo usa inteligência artificial para ajudar alfabetização de crianças surdas - PORVIR
Crédito: Porvir

Inovações em Educação

Aplicativo usa inteligência artificial para ajudar alfabetização de crianças surdas

Disponível na versão iOS e Android, StorySign faz a tradução simultânea de português para Libras

por Beatriz Cavallin ilustração relógio 26 de janeiro de 2021

De acordo com dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) no último censo, 5% da população brasileira é surda, ou seja, mais de 10 milhões de pessoas. Apesar dos números, o Brasil ainda precisa superar desafios para promover uma educação de qualidade e inclusiva. A primeira barreira enfrentada por crianças com essa deficiência começa no início da trajetória escolar, ainda na fase de alfabetização.

Para Antonio Campos, presidente da Feneis (Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos), a educação inclusiva ainda é um tema que merece maior atenção dentro das escolas. “Os profissionais muitas vezes não querem promover brincadeiras porque estão acostumados com ouvintes, o que é muito mais simples. Com crianças surdas o trabalho é diferente, é mais difícil. O educador precisa estar atento a essa questão e se dedicar a isso, para que as crianças surdas possam se desenvolver da mesma forma que crianças ouvintes.”

É neste cenário que surge o StorySign. Presente em 15 línguas diferentes ao redor do mundo, o aplicativo foi lançado no Brasil em novembro de 2020, após uma parceria entre a Huawei, empresa de tecnologia chinesa, e a Feneis. Com um celular com sistema iOS ou Android, a criança só precisa apontar a câmera para o livro em texto. A partir daí, recursos de inteligência artificial e realidade aumentada fazem a tradução simultânea do português para Libras, dando vida às histórias infantis. De acordo com Antonio, o aplicativo tem grande potencial de ajudar na integração e na inclusão de crianças. “Ainda estamos conhecendo o aplicativo, apresentando ele para a comunidade surda, mas já está sendo muito bem aceito. Acredito que tecnologias como o StorySign sejam essenciais para promover uma educação mais inclusiva”.

Leia mais
Tecnologia é aliada na criação de aulas acessíveis a todos
Série Educação Inclusiva do Porvir
Sem divisão por séries, escola de Florianópolis promove inclusão
Inclusão demanda avaliação cada vez mais personalizada

Atílio Rulli, diretor de relações públicas e institucionais da Huawei, ainda acrescenta que hoje “A tecnologia é o ar necessário para educação”, e reitera a importância desses aplicativos em um momento de rápido avanço tecnológico “A tecnologia, desde a parte de acesso à informação, conectividade, uso de inteligência artificial, teleducação é a principal ferramenta responsável pela melhoria da educação em todos os segmentos”.

O diretor comenta sobre o sucesso do aplicativo, que foi lançado em 2019 na Europa e no mesmo ano conquistou dois prêmios na Marketing Week Awards: Clio Award for Branded Entertainment e Clio Award: Digital/Mobile. Na versão brasileira, dois livros infantis estão disponíveis no StorySign: “Gildo”, de Silvana Rando e “A Festa Encrencada”, de Sônia Junqueira. A biblioteca deve ganhar novos títulos nos próximos anos, mas, como explica Atílio, o aplicativo ainda está em uma primeira fase, que tem como objetivo atingir a maior quantidade possível de crianças surdas. A iniciativa pretende ainda doar 2.000 exemplares das obras, que estão sendo distribuídas pelo Brasil sob coordenação da Feneis e outras instituições que vão fazer o uso para áreas educacionais. De qualquer forma, ambos os títulos são encontrados em livrarias.

Atílio explica ainda que o aplicativo faz parte da Tech4all da Huawei, um plano de inclusão digital que desenvolve projetos em quatro principais esferas: educação, meio ambiente, saúde e desenvolvimento.

Como Funciona o Aplicativo
Disponível em todas as lojas (Huawei AppGallery, App Store, Google Play store), o aplicativo funciona em smartphones ou tablets com suporte para iOS ou Android.

Após baixar o app, a criança seleciona a obra que deseja ler e aponta a câmera do celular para o livro. A partir daí, quem fica responsável pela tradução é a Star, avatar que dá rosto ao projeto.


TAGS

aplicativos, inclusão, inteligência artificial, tecnologia

1
Deixe um comentário

avatar
500
1 Comentários ao conteúdo
0 Respostas a comentários
0 Seguidores
 
Comentário com mais reações
Comentário em alta
1 Autores
Neusa Quem acabou de comentar
  Acompanhar a discussão  
Mais recentes Mais antigos Mais votados
Tipo de notificação
Neusa
Visitante
Neusa

Como pode abaixar