Desafio Aprendizagem Criativa Brasil 2019 divulga selecionados - PORVIR
Crédito: Sergey Nivens / Fotolia.com

Inovações em Educação

Desafio Aprendizagem Criativa Brasil 2019 divulga selecionados

Com apoio da Fundação Lemann e do MIT Media Lab, foram selecionadas 7 iniciativas nas cinco regiões do país

por Redação ilustração relógio 25 de fevereiro de 2019

Na sua quarta edição, o Desafio Aprendizagem Criativa Brasil anunciou os projetos selecionados para participar do seu programa de mentoria, que conta com apoio da Fundação Lemann e do MIT Media Lab. Entre as 326 propostas recebidas, foram selecionadas 7 iniciativas nas cinco regiões do país.

Com a proposta de fomentar à implementação de soluções inovadoras para tornar a educação mais criativa, prazerosa, relevante, colaborativa e inclusiva, o programa oferece apoio técnico educacional e logístico para implementar os projetos.

Leia mais: 
Especial Educação Mão na Massa 
– Professora brasileira é Top 10 do Global Teacher Prize 

Durante o processo de mentoria, os selecionados irão participar de reuniões com equipes do MIT Media Lab, trocar experiências com outros pesquisadores e ingressar em uma comunidade de adeptos da Aprendizagem Criativa no Brasil e no mundo. Eles ainda serão contemplados com uma visita a instituições e programas educacionais referência na região de Boston e receberão US$ 3 mil para desenvolverem o seu projeto.

Além de contar com a equipe do MIT Media Lab e da Fundação Lemann, o processo envolveu 31 avaliadores. Foram considerados critérios como diversidade geográfica, relevância, alinhamento com a aprendizagem criativa.

Conheça os selecionados:

Minha Escola Criativa (Carla Priscila Antunes dos Santos – AP)
A iniciativa tem o objetivo de estimular o uso de metodologias ativas para transformar a escola em um laboratório de educação criativa. Por meio de trocas, vivências, desafios e compartilhamento de saberes, será criada a Rede de Educação Criativa do Amapá.

Makerspace Itinerante: inspirar, criar, recriar, inovar e compartilhar (Sandreliza Pereira Mota e Silvia Fernanda Gonçalves Serra – MA)
Desenvolvido pelo Núcleo de Enriquecimento para Estudantes com Características de Altas Habilidades/Superdoção, o projeto conta com a participação de professores e estudantes do ensino fundamental para buscar soluções inovadoras para problemas reais. A proposta é implementar um makerspace itinerante que irá disseminar a cultura da aprendizagem criativa em escolas da rede municipal de São Luís (MA).

Façamos nós Mesmos (Soraya Lacerda e Daniela Lyra – DF)
O projeto busca criar ambientes para educadores vivenciarem atividades e experimentarem metodologias que favorecem a aprendizagem criativa . Além de disponibilizar uma plataforma gratuita que ajuda a transformar bibliotecas escolares em espaços de aprendizagem, a iniciativa apoia educadores que desejam planejar suas próprias atividades.

Aprender fazendo Programação e Robótica (Thiago Ferreira da Silva e Alberto Henrique Ferreira Cunha – MG)
Coordenado pela Secretaria Municipal de Educação e pela Empresa de Informática e Informação do Município de Belo Horizonte-Prodabel, o projeto tem o objetivo de promover o pensamento computacional no fazer pedagógico em escolas municipais de Belo Horizonte. Ele envolve atividades colaborativas entre educadores, estudantes e seus familiares por meio de metodologias ativas, lúdicas e interativas.

Imprensa Jovem – Agências de Notícias na Escola (Carlos Alberto Mendes de Lima – SP)
Desenvolvido por mais de 200 escolas em São Paulo, o projeto incentiva a produção jornalística multimídia entre estudantes da rede, ampliando canais de comunicação da escola com a sua comunidade. Com agências de notícias formadas pelos alunos, são trabalhadas competências, como autonomia e criatividade, além de estimular o fortalecimento da comunicação livre e democrática.

Robótica com Sucata, promovendo a Sustentabilidade (Débora Denise Dias Garofalo – SP)
Com a construção de protótipos com sucata, o projeto impacta a vida de 2 mil estudantes da rede pública na periferia de São Paulo. A partir da integração entre conteúdos curriculares e robótica, o projeto traz a aprendizagem criativa para a sala de aula e estimula a experimentação de ideias, além de fortalecer a criação de soluções para desafios locais.

Clubes de Computação Criativa – Cultura, Arte, Tecnologia e Inovação (Tiago Thompsen Primo e Kelen Silveira Bernardi – RS)
Por meio de uma iniciativa da Universidade Federal de Pelotas, da Secretaria Municipal de Educação e do Núcleo Pelotas da Rede Brasileira de Aprendizagem Criativa, o projeto incorpora atividades mão na massa alinhadas à Base Nacional Comum Curricular e o currículo das escolas usando tecnologias de baixo custo. .


TAGS

aprendizagem baseada em projetos, aprendizagem criativa, competências para o século 21, educação mão na massa

Deixe um comentário

avatar
500
  Acompanhar a discussão  
Tipo de notificação