Escolas se autoavaliam quanto ao uso de tecnologias - PORVIR

Inovações em Educação

Escolas se autoavaliam quanto ao uso de tecnologias

Indicadores criados pela Fundação Telefônica/Vivo e OEI permitem avaliar a sustentabilidade das TIC

por Vagner de Alencar ilustração relógio 18 de maio de 2012

Como as escolas utilizam as novas tecnologias? O projeto pedagógico foi realmente alterado? Os professores se adaptaram às novidades? Perguntas como estas fazem parte de um método internacional que avalia o uso e a sustentabilidade das TIC (Tecnologias da Informação e Comunicação) em sala de aula. O processo foi desenvolvido pela Fundação Telefônica/Vivo em parceria com a OEI (Organização dos Estados Ibero-americanos).

No Brasil, escolas públicas de São Bernardo do Campo, em São Paulo, são as primeiras a usar o sistema. Cerca de 100 escolas do ensino fundamental estão utilizando um questionário com uma série de indicadores qualitativos para verificar como as tecnologias são disponibilizadas nas escolas, como o espaço físico se reorganiza, como se dá a formação de professores e diretores e que usos fazem desses novos recursos.

São Bernardo do Campo foi escolhida pela tradição em investir em tecnologias educacionais. Segundo Nanci Folena, encarregada de serviço na Secretaria Municipal de Educação, as escolas selecionadas são aquelas que utilizam laboratórios de informática há, no mínimo, dois anos. “O uso das tecnologias no cotidiano das escolas do município acontece há doze anos, quando foram montados os primeiros laboratórios de informática na rede de ensino. Atualmente, estamos capacitando os professores para melhor aplicar os recursos tecnológicos ao ensino”, afirma.

OEI e Fundação Telefônica lançam estudo sobre integração de TIC às escolascrédito: queidea - Fotolia.com

A avaliação é realizada por meio de um questionário com 33 perguntas, sendo uma parte delas dirigida aos professores e outra aos diretores. A ideia é que ele seja aplicado em uma reunião coletiva, com apoio de um mediador – no caso um professor capacitado especialmente para a aplicação da pesquisa.

Um livro e videoaulas foram produzidos para facilitar a capacitação desses mediadores. Segundo Solange Feitoza Reis, especialista em planejamento e avaliações públicas da OEI, a aplicação da ferramenta é “rápida, barata e certeira”, pois dispensa a presença de especialistas.

Para Reis, a inovação da ferramenta está no fato de ela não ser apenas uma mera coleta de dados. Ela permite que a escola seja ouvida e subsidie o planejamento e a implementação de políticas públicas. “É preciso saber ouvir quem implementa as políticas na ponta, para se tornar um bom tomador de decisão”, afirma.

“A gente tinha macro-indicadores, muito universais e que visavam medir, sobretudo, a inclusão digital. Agora conseguimos focar mais na qualidade do uso”

A aplicação do questionário nas escolas de São Bernardo do Campo está acontecendo neste mês. Os resultados serão enviados virtualmente para a OEI, que fará o tratamento da base de dados através de um software inteligente capaz de detectar possíveis inconsistências geradas durante o preenchimento dos questionários.

A segunda etapa será a apresentação da análise dos resultados para a Secretaria de Educação e a sua divulgação para todas as escolas que participaram da avaliação.

Estudo de indicadores

Os indicadores qualitativos nos quais a ferramenta está baseada fazem parte do estudo A integração das TIC na escola: Indicadores qualitativos e metodologia de investigação, também realizado por meio de parceria entre OEI e Fundação Telefônica/Vivo.  Ao longo de três anos, a pesquisa ouviu ministros, especialistas e professores de 22 países da América Latina.

De acordo com a coordenadora do estudo, Márcia Padilha, a ideia surgiu a partir da demanda por indicadores mais precisos para avaliar a integração das tecnologias à dinâmica das escolas. “A gente tinha macro-indicadores, como a razão aluno-computador, por exemplo. Eles eram muito universais e visavam medir, sobretudo, a inclusão digital. Agora conseguimos focar mais na qualidade do uso”, afirma Padilha.

A publicação já está disponível para download gratuito em português e espanhol. A versão espanhola chegou a ter 10 mil downloads em um só dia. De acordo com Milada Gonçalves, gerente de educação e aprendizagem da Fundação Telefônica/Vivo, a parceria com a OEI aconteceu num momento em que a introdução das TIC nas escolas passou a ser uma realidade crescente. “Temos certeza de que esse conjunto de indicadores será uma ferramenta essencial para se conhecer as distintas realidades e para se pensar na integração das tecnologias no ambiente escolar”.

*Atualizado no dia 24/05/2012 às 17h27


TAGS

tecnologia

2
Deixe um comentário

avatar
500
0 Comentários ao conteúdo
0 Respostas a comentários
0 Seguidores
 
Comentário com mais reações
Comentário em alta
0 Autores
Quem acabou de comentar
  Acompanhar a discussão  
Mais recentes Mais antigos Mais votados
Tipo de notificação