ComKids anuncia lista de filmes para crianças e adolescentes vencedores do festival 2021 - PORVIR
Crédito: Cena da animação Napo/Divulgação

Inovações em Educação

ComKids anuncia lista de filmes para crianças e adolescentes vencedores do festival 2021

Competição reuniu 270 produções de 11 países de língua espanhola e portuguesa, entre séries, programas feitos para a TV, web e outras plataformas

por Ana Luísa D'Maschio ilustração relógio 1 de setembro de 2021

De um lado está João, menino que encontra em um álbum de fotografias as memórias de seu avô. Do outro, crianças maranhenses brincam de telefone sem fio com latas penduradas nas pontas de um barbante e conversam sobre a cultura local. Ambas as histórias estão entre as produções audiovisuais brasileiras premiadas pelo Festival comKids – Prix Jeunesse Iberoamericano 2021.

Voltada ao público infantojuvenil, a edição deste ano reuniu mais de 270 produções de 11 países de língua espanhola e portuguesa, entre séries, programas feitos para a TV, web e outras plataformas. Além de um júri especializado, crianças e adolescentes também escolheram suas obras prediletas.

“As crianças, hoje mais dependentes das telas para se relacionar, expressar, conhecer, aprender e até brincar, seguem precisando saber escolher e poder acessar os bons conteúdos”, escreve Beth Carmona, diretora geral do comKids, no catálogo do Festival. “Essas são obras que os encantam, os divertem, que lhes ensinam coisas novas, que os emocionam e devem valorizar a diversidade das infâncias”, completa.

Conheça os vencedores em cada uma das categorias (e as sinopses do catálogo):

Categoria conteúdos curtos
Raone (Escafandra Transmedia, Brasil)

Raone tem quatro anos e gosta de fantasiar, correr, brincar de boneca e fazer bolhas de sabão. Enquanto cria suas histórias e descobre o mundo, vai traçando uma infância alegre e livre de estereótipos.

Prêmio do Júri infantil Brasil, Prêmio TV Cultura e Prêmio Prix Jeunesse Internacional
Napo (Miralumo Films, Brasil)

João, incapaz de entender a doença que leva seu avô entre o passado e o presente, tropeça em um velho álbum cheio de fotografias e deixa as imagens guiarem sua imaginação, transformando as memórias de seu avô em interpretações de desenhos. Desenhos que moldam sua relação em uma história de lembrança e construção de memória.

Categoria até 6 anos | ficção
Ailín en la luna (El Molinete Animación, Argentina)

Trabalhar, fazer compras, cozinhar, limpar, passar, cuidar de Ailín: essa é a rotina de Vilma, uma mãe de 40 anos, sobrecarregada pelo cansaço. Ailín quer apenas brincar e exige a atenção de uma menina inquieta. Um dia, ela provoca um rompante emocional de sua mãe. A rotina que as afastou deve ser quebrada para que elas voltem a se encontrar.

Categoria até 6 anos | não-ficção e Prêmio meninas protagonistas
Pichintún – Panchita, una niña circense (CNTV Infantil, Chile)

Série de ‘docuanimação’ que conta, por meio de seus protagonistas, a vida de meninos e meninas que vivem em diferentes partes do Chile. Este capítulo apresenta Panchita, uma menina que trabalha com a família no circo. Ela vai nos contar como é a vida itinerante, as diferentes atividades no circo e a forma especial com que frequenta a escola.

Categoria 7 a 10 anos | ficção
La Asombrosa Excursión de Zamba y Nina (El Perro en la Luna, Argentina)

Série de animação transmídia que aborda os principais acontecimentos da história, da ciência e da cultura latino-americana e mundial, vistos sob o olhar de um menino que viaja no tempo. Neste episódio, Nina viaja com seu amigo Zamba em busca de seu pai perdido, que foi vendido como escravo na infância.

Categoria 7 a 10 anos | não-ficção
Me Liga Na Lata – Maranhão (Maria Farinha Filmes, Brasil)

Série que traz um diálogo entre crianças de nove estados brasileiros que, por meio de um telefone de lata, nos contam sobre seus modos de vida. O episódio do Maranhão traz a força da cultura do Bumba-meu-Boi, além de construções de brinquedos como barquinhos catamarãs, carrinhos de bois e cataventos feitos a partir de raízes e folhas da Floresta Amazônica.

Categoria 11 a 15 anos | ficção
Oráculo das borboletas amarelas – a borboleta negra (Castelo de Proa, Brasil)

Série infantojuvenil que conta a história de Gabriela, uma menina de 13 anos que se muda do interior para a capital com a família, no meio do ano letivo, na tentativa de tratar o câncer do avô. Ela tem de se adaptar à nova escola, aos novos amigos e à luta contra a doença. No episódio, Gabriela e a família são orientados sobre os cuidados paliativos.

Categoria 11 a 15 anos | não-ficção
Sueños Latinoamericanos – Daniela (Mi Chica Producciones, coprodução de Consejo Nacional de Televisión de Chile y Televisión Nacional de Chile)

Série documental protagonizada por meninos e meninas da América Latina. Na segunda temporada, as histórias são da Costa Rica, México, Brasil, Equador, Bolívia, Colômbia, Panamá, Peru e Chile. No episódio, Daniela tem 11 anos e mora com a família em Iquitos, no Peru. Sem água potável, ela luta contra a contaminação dos rios em sua comunidade.

Prêmio diversidade
Outras Infâncias – Uma complexa Maré (Lua Cheia Filmes e Produções Artísticas, 3 Tabela Filmes)

Curta-documentário que acompanha a experiência de infância de crianças na Favela do Complexo da Maré, no Rio de Janeiro. São crianças que, mesmo em situação de vulnerabilidade, experimentam um sentido lúdico infantil com suas brincadeiras, a convivência com outras crianças, a criação de suas histórias e fantasias.

Prêmio SESCTV
Kuxlejal (Vientos Culturales, México)

“Kuxlejal” significa “Vida” no idioma tsotsil. A vida e como se sentir vivo para não morrer são os temas do documentário que torna visíveis os elevados índices de suicídio entre jovens indígenas. Mostra sua luta para encontrar identidade, para falar sua própria língua e para começar a sentir que está tudo bem.

Prêmio TV Rá-Tim-Bum
El Pajarocubo, La Valiente (Estudio y Cintadhesiva Comunicaciones, Colômbia)

Pedro é um pássaro que vive numa gaiola e anseia por ser livre desde que era um ovo. Um dia ele sonha com uma coruja que o incentiva a romper suas amarras. Pedro pressiona sua jaula e a quebra, mas agora seu corpo é geométrico. Transformado em um pássaro-cubo, ele voa para ajudar seus amigos e se torna o herói de Villapajarito.

Prêmio do Júri Adolescente
Gilson (Brasil)

Desigualdade social e concentração de renda vistos por meio da trajetória de um entregador de aplicativo de delivery que precisa trabalhar durante a pandemia no Brasil. História baseada em pesquisas e entrevistas com jovens trabalhadores de áreas periféricas de São Paulo. O filme foi produzido de maneira remota, durante a quarentena.

O filme está disponível no Portal Curtas. Clique aqui para assistir


TAGS

cinema, educação infantil, ensino fundamental, ensino médio, prêmios

Deixe um comentário

avatar
500
  Acompanhar a discussão  
Tipo de notificação
X