Metodologia monta roteiro de viagem para aprender - PORVIR
Crédito: danmir12 / Fotolia.com

Inovações em Educação

Metodologia monta roteiro de viagem para aprender

Whatever School, lançada pela Perestroika, promove espaço de aprendizagem e vivências a partir do movimento

por Marina Lopes ilustração relógio 24 de julho de 2015

Imagine embarcar em uma jornada para aprender com o movimento por diferentes espaços. Essa é a proposta da nova metodologia experimental de aprendizagem da escola de atividades criativas Perestroika. Na Whatever School, não existem cursos. O que acontecem são viagens, onde as aulas se transformam em escalas. A proposta é sair da rotina para se mexer, pensar e sentir.

“A gente percebe que as pessoas estão cada vez mais paradas. Mesmo praticando exercícios físicos, muitas atividades estão concentradas na frente do computador. A ideia é exatamente levar as pessoas para lugares que elas não frequentam muito”, diz Fernanda Baffa, gestora da Perestroika São Paulo e do projeto Whatever School. De acordo com ela, essa nova didática busca incentivar que os participantes aprendam se movimentando e tenham vivências imersivas pelos lugares por onde passarem.

O modelo experimental foi elaborado a partir de diversas tendências em educação observadas pela equipe da Perestroika nos últimos anos. Ao invés de práticas expositivas, a Whatever School irá promover atividades dinâmicas. “O que a gente propõe é que as pessoas entrem em um tour para saírem com uma visão diferente das coisas”, conta Fernanda, ao comparar a nova metodologia com um roteiro de viagem.

O tema para a primeira jornada da Whatever School está associado à espiritualidade e ao autoconhecimento, levando o participante a uma interação com foco no eu, no outro, no nós e no todo . Em suas escalas, eles terão contato com diversas experiências de imersão: nas danças circulares experimentam a multiplicidade de músicas e danças de diversas partes do mundo; em uma vivência cósmica observam o céu e as estrelas para aprenderem os conceitos fundamentais da astronomia; a partir do sociodrama fazem exercícios de interação e reconhecimento do outro; na vivência do renascimento praticam meditação guiada e participam de uma chamada caminhada do silêncio.

O aprendizado construído a partir das vivências está conectado em sessões chamadas de “Roda de Registro” e “Roda de Reflexão”, onde profissionais especializados em fluxos de conversação vão estimular o participante a processar as experiências, interagir com os outros e ter momentos de descobertas. O local de cada encontro só será revelado poucos dias antes da atividade, criando um clima de surpresa e incentivando que os participantes conheçam novos espaços. “A gente quer ativar uma chave para que as pessoas olhem para as coisas de uma forma diferente”, define a gestora da Perestroika São Paulo.

A jornada tem início dia 1 de outubro e termina dia 15 de novembro. No total, serão oito encontros que acontecem em dias variados da semana para quebrar a rotina. Existem 15 vagas disponíveis e o investimento é de R$ 2.868, divido em seis parcelas. As inscrições podem ser feitas aqui.


TAGS

educação mão na massa, meditação, novos espaços, perestroika

Deixe um comentário

avatar
500
  Acompanhar a discussão  
Tipo de notificação