Movimento político vai acompanhar candidatos e projetos com foco em educação - PORVIR
Crédito:Guschenkova/iStock

Inovações em Educação

Movimento político vai acompanhar candidatos e projetos com foco em educação

Bancada da Educação quer reunir ativistas, professores, empreendedores, pesquisadores, políticos e estudantes para influenciar projetos de lei

por Marina Lopes ilustração relógio 23 de agosto de 2019

Como uma alusão às bancadas do Congresso Nacional, organizadas em torno de agendas temáticas como as do agronegócio e de grupos religiosos, um grupo de educadores se reuniu para criar a Bancada da Educação, um movimento cívico e suprapartidário que pretende acompanhar legislaturas e candidaturas com foco em educação.

Nesta sexta-feira (23), durante evento na Câmara Municipal de São Paulo, o lançamento oficial da Bancada da Educação foi marcado por debates sobre políticas públicas, territórios e educação. Em um auditório com cerca de 170 pessoas, integrantes do grupo apresentaram a proposta como um convite para reunir ativistas, professores, empreendedores, pesquisadores, políticos, estudantes e interessados em acompanhar, formar e eleger vereadores, deputados e senadores empenhados na educação de qualidade para todos.

“É fundamental colocar todo mundo para conversar. O próprio retrocesso que estamos vendo na educação é resultado do trabalho de várias outras bancadas que se juntaram para defender os seus interesses”, destaca o jornalista Caio Dib, criador do Caindo no Brasil e integrante da bancada. De acordo com ele, além de dialogar com o legislativo municipal, estadual e federal, a proposta é mobilizar a sociedade para discutir sobre educação. “A educação tem grupos muito fortes, incluindo professores, famílias e os próprios estudantes, mas é preciso juntar essas pessoas.”

Crédito: Marina Lopes/P

A articulação teve início há mais de um ano, a partir de conversas entre um grupo de educadores que entendem educação como parte da democracia participativa. “Não temos a tradição no Brasil de participação cotidiana. A própria política educacional está sendo articulada por institutos e técnicos, mas a sociedade entende pouco das políticas educacionais”, menciona o professor Miguel Thompson, membro fundador da Bancada da Educação. “O nosso sonho é construir uma nação que tem a educação como eixo principal, mas para isso precisamos atuar nas instituições políticas e organizações não governamentais”, reforça.

Como um movimento cívico, o grupo está aberta a qualquer legislador, candidato ou até mesmo governo disposto a assumir um compromisso com os princípios defendidos pela bancada. Entre algumas das principais pautas, estão a discussão e aprovação do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação), políticas voltadas para o cuidado com a primeira infância, os conceitos de educação integral e cidades educadoras e também a valorização dos professores. “Defendemos a educação pública, laica, gratuita e de qualidade como um direito de todos os cidadãos”, destaca o texto do manifesto presente no site da Bancada da Educação.

Entre suas atividades, a Bancada da Educação irá promover encontros para debater pautas relevantes do campo, organizar formações com legisladores, apoiar jovens que desejam dar início a uma candidatura com foco na educação e realizar ações presenciais e online para engajar a sociedade. “Nós sabemos que para formar um adolescente e um jovem que tenha possibilidade de se desenvolver como cidadão, temos que estar comprometidos com a democracia. Não é possível deixar essa tarefa para a escola”, diz Mônica S. Gouvêa, diretora educacional do JOCA e integrante da bancada.

Para participar ou acompanhar o movimento, o interessado pode acessar o site da Bancada da Educação.


TAGS

educação infantil, ensino fundamental, ensino médio

Deixe um comentário

avatar
500
  Acompanhar a discussão  
Tipo de notificação