‘O educador é quase um neurocirurgião’ - PORVIR
Crédito: baluchis / Fotolia.com

Inovações em Educação

‘O educador é quase um neurocirurgião’

Leonor Guerra, professora da UFMG e coordenadora do projeto NeuroEduca, fala sobre a importância das emoções na aprendizagem

por Marina Lopes ilustração relógio 29 de setembro de 2015

A aquisição de novas habilidades, conhecimentos e competências é resultado de processos que acontecem no cérebro. A memória, atenção, percepção e até mesmo emoção são funções que estão em jogo na hora de aprender um novo conteúdo. Se o cérebro é o órgão responsável pela aprendizagem, compreender melhor o seu funcionamento pode ser útil para o dia a dia do professor.

“O educador é quase um neurocirurgião que, sem abrir o cérebro, consegue mudar conexões por meio dos órgãos do sentido”, compara a professora Leonor Guerra, do departamento de morfologia da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais).

Na última segunda-feira (28), em São Paulo, durante o lançamento da quarta edição da Revista Neuroeducação, publicação da Editora Segmento em parceria com o Instituto Ayrton Senna, a médica e especialista em neuropsicologia mencionou importância de o professor compreender como acontece aprendizagem no cérebro e a influência que as emoções exercem nesse processo.

A base da aprendizagem está na reorganização dos neurônios. A professora da UFMG afirma que nosso cérebro se desenvolveu ao longo da evolução para garantir a sobrevivência, e não necessariamente para ter sucesso na escola. “Eu só vou aprender novas coisas se aquilo fizer diferença para minha possibilidade de adaptação”, explica.

Quando um aluno compreende que o seu mecanismo de sobrevivência na escola é conseguir nota, a especialista afirma que ele começa a criar uma série de estratégias para atingir o seu objetivo, ainda que isso não resulte em aprendizagem, como a famosa tática de estudar às vésperas da prova. “Se a avaliação permite que ele seja bem-sucedido com essa estratégia, ele vai permanecer nela.”

A emoção é o carro-chefe da aprendizagem

Para uma criança ou adolescente adquirir novas competências, Leonor defende que o conteúdo deve ser significativo e relevante. ‘‘A emoção é o carro-chefe da aprendizagem”, afirma. Em entrevista ao Porvir após o evento, a professora defendeu que uma das maiores tarefas do educador é encantar o aluno com o conteúdo.

“O professor tem que saber que a emoção que ele desencadeia no aluno, positiva ou negativa, vai ter um efeito”, aponta a professora da UFMG, que também é coordenadora do projeto NeuroEduca, iniciativa de extensão da universidade voltada para divulgação de informações para orientar profissionais da área de educação sobre conceitos básicos de neurociência.

Durante as formações com educadores, que acontecem em de cursos de atualização ou palestras de sensibilização, a médica e especialista em neuropsicologia conta que muitos professores ainda apresentam dificuldades ao estabelecer relações entre pesquisas da neurociência e a prática de sala de aula. Segundo ela, isso pode ser um resultado da falta de contato com esse conteúdo no período da formação inicial.

De acordo com Leonor, a interação com essa área de conhecimento confere maior autonomia e criatividade para o professor. “Ele fica menos atrelado à receitas e consegue flexibilizar melhor a sua estratégia pedagógica, atendendo especificidades do aluno em sala de aula”, aponta.

Embora seja útil conhecer como o sistema nervoso processa informações e estímulos, a professora ainda adverte: “não quer dizer que ele [o educador] vai conseguir resolver todos os problemas da aprendizagem, mas ele vai entender porque uma aula tem um resultado melhor do que outra, ou porque alguns alunos são melhor sucedidos do que outros.”


TAGS

formação continuada, formação inicial, instituto ayrton senna, neurociência

31
Deixe um comentário

avatar
500
27 Comentários ao conteúdo
4 Respostas a comentários
0 Seguidores
 
Comentário com mais reações
Comentário em alta
30 Autores
Renata da Cunha tostesMarcos FabrícioPablo Cruz SpinelliIzabelaMiriam Quem acabou de comentar
  Acompanhar a discussão  
Mais recentes Mais antigos Mais votados
Tipo de notificação
Eduardo Magrone
Visitante
Eduardo Magrone

De maneira quase imperceptível, a população e os educadores estão sendo convencidos de que boas condições de trabalho escolar, alunado com condições sociais de possibilidade para uma boa aprendizagem e ideais educacionais democráticos e republicanos por parte do professorado podem ser tranquilamente deslocados por técnicas de ensino-aprendizagem com base na “nova neurociência”. E isso tudo com a chancela do Instituto Ayrton Senna. Claro que não é isso que a professora Eleonor Guerra disse, e eu… Ler mais »

Pablo Cruz Spinelli
Visitante
Pablo Cruz Spinelli

Concordo que há interesses mercadológicos nesse debate. A medicina, infelizmente ainda é muito fechada para dialogar com a área da educação. O cognitivismo está tomando conta do debate educacional. Conteudismo e metodologias ativas são a nova tônica. Infelizmente esse debate carece de qualificação.

Capitu Nascimento
Visitante
Capitu Nascimento

“O professor tem que saber que a emoção que ele desencadeia no aluno, positiva ou negativa, vai ter uma efeito”.Vejamos os vídeos de alunos batendo em professores,entre outras possibilidades…

Marcos Fabrício
Visitante
Marcos Fabrício

Cada pessoa com a sua opinião. Eu mesmo, sempre no meu primeiro dia de aula, coloco todos os “acentos, no seu lugar, e vírgulas..” explico bem direitinho como vou trabalhar no primeiro dia de aula ao último dia de aula. Fica a dica!!!

Geovália
Visitante
Geovália

O professor tem o poder de mudar as percepções dos estudantes e consequentemente, provocar mudanças na sua forma de pensar e até mesmo de agir.

ELIZANGELA CARVALHO DA FONSECA
Visitante
ELIZANGELA CARVALHO DA FONSECA

“Ele fica menos atrelado à receitas e consegue flexibilizar melhor a sua estratégia pedagógica, atendendo especificidades do aluno em sala de aula”… autonomia em sala de aula, usar não somente uma metodologia, mas a (as) que melhor se aplica ao perfil daquela turma. E vamos caminhando para que o alunado obtenha uma aprendizagem significativa, faz-se necessário conhecê-lo (sua história, seu contexto, seus interesses);

Livia Rocha
Visitante
Livia Rocha

O professor tem a capacidade e o privilégio de proporcionar e levar a emoção ao seu aluno desde que ele também tenha! Juntos serão capazes de fazer, transmitir, promover e estabelecer relações extraordinárias.

Alex
Visitante
Alex

O professor é quem motiva o estudante a aprender. Normalmente o uso de artigo em grupo e debates empolgam os estudantes.

Andréa
Visitante
Andréa

muito bom!

Kely Cristina dos Santos Mendonça.
Visitante
Kely Cristina dos Santos Mendonça.

Sabemos que inovar é necessário, criar estratégias práticas para o aprendizado dos alunos é essencial .Eu particularmente amei as ricas e criativas idéias para desenvolver um trabalho, eficiente para alcançar excelentes resultados.

Raimunda
Visitante
Raimunda

O professor deixa marcas no corpo do aluno
Boas ou ruins
É preciso compreender o lado emocional do aluno, as etapas e ritmos de aprendizagem e suas potencialidades diferenciadas

conceição dos santos
Visitante
conceição dos santos

a calibragem e modulação da emoção, pode resultar em excelentes resultados de aprendizagem

Carmensita Ribeiro de Faria Vidal
Visitante
Carmensita Ribeiro de Faria Vidal

Para que a aprendizagem aconteça de modo efetivo, é preciso que ela desperte no aluno alguma emoção ou significado, pois quanto maior for o interesse e a motivação por determinado assunto, melhor ele será aprendido. Se as emoções forem trabalhadas de forma positiva, a aprendizagem se dará favoravelmente, de modo agradável.

Christiano Fagundes
Visitante
Christiano Fagundes

Na realidade, a emoção deve ser o carro-chefe de “tudo” na vida, sob pena de o pulso não pulsar.

Iara Regina dos Santos Azevedo
Visitante
Iara Regina dos Santos Azevedo

O aluno só aprende se tiver significado pra ele e se ele se sentir acolhido no ambiente escolar. Sabemos que a afetividade e um fator de grande importância para criar laços de confiança, parceria e cumplicidade.

Eliana
Visitante
Eliana

Seria bom ter liberdade de poder aplicar isso em algumas escolas públicas. Pena que alguns diretores não fornecem o material e as vezes não permitem que o professor seja professor renovador na sala. Trabalhei numa escola pública que o diretor não permitia que eu colocasse as mesas de forma circular.

Cassiane Couto
Visitante
Cassiane Couto

A Prática da sala de aula deve ser bem planejada para que o aluno seja tocado, de forma significativa, propiciando um aprendizado com sentido e prazeroso.

Maurilio
Visitante
Maurilio

Já que a emoção é o carro-chefe da aprendizagem, então, os processos que lidam com a autonomia e criatividade do aluno devem ser estimulados na escola, para que os conteúdos ensinados tenham algum significado e sirvam de estímulo para novos aprendizados.

Vania Gonçalves
Visitante
Vania Gonçalves

Tanto a emoção do aluno como a do professor é o carro chefe da aprendizagem. Se o professor estiver motivado e bem, ele com certeza levará estratégias diferenciadas e diversificadas para o aluno e assim marcará a vida do mesmo. É preciso encantamento e protagonismo.

Inês Cristina Cardoso Dantas Varela dos Santos
Visitante
Inês Cristina Cardoso Dantas Varela dos Santos

Precisamos ter a convicção de que somos os responsáveis por todo o caminho a ser trilhado pelos nossos alunos de maneira satisfatória e encantadora. O professor precisa ter paixão pelo que deseja fazer, ensinar.

JUÇARA GONÇALVES LIMA BEDIM
Visitante
JUÇARA GONÇALVES LIMA BEDIM

Apreciei imensamente as reflexões da Drª Leonor, com relação à “emoção” como fator primordial para a aprendizagem, sobremaneira, sob o olhar da Neuroeducação. Terminei recentemente uma pós-graduação em Neuropsicopedagogia e muito me apaixonei pelo campo. Médicos e professores como a Drª Leonor muito têm a contribuir para o campo das Neurociências na Educação. Parabéns!

Bruna
Visitante
Bruna

Saber lidar com as emoções pode ter um papel fundamental na aprendizagem e desenvolvimento da criança.O professor pode marcar positivamente ou negativamente um aluno.

Elizabeth Rabello de Amorim
Visitante
Elizabeth Rabello de Amorim

Penso que quando um indivíduo se encontra transmitindo conhecimento, ele pode alcançar ou não seu objetivo, pois é necessário ficar atento às diversidades da plenária. E como cita nossa Professora Leonor Guerra, O Educador é quase um Neurocirurgião que sem abrir o cérebro consegue mudar conexões por meio dos órgãos do sentido, verdadeiro malabarismo para de forma enfática penetrar em vários cérebros ao mesmo tempo.

Priscila
Visitante
Priscila

Aprendemos quando nos sentimos bem consigo mesmo, somos seres dotados de sentimentos, emoções, pensamentos,…

Débora Bertoloto
Visitante
Débora Bertoloto

As emoções, enquanto uma característica peculiar humana, está intimamente ligada a cognição, desse modo, são indissociáveis no processo de ensino e aprendizagem.

Monique Rosa de Carvalho Andrade
Visitante
Monique Rosa de Carvalho Andrade

Uma aula motivadora levará o aluno a alcançar resultados positivos em sua aprendizagem.

Fabiola Pereira Cordon
Visitante
Fabiola Pereira Cordon

Penso que ao ser respeitado, orientado e considerado parte do aprendizado, o aluno fica emocionalmente seguro e aprende com mais facilidade.

Miriam
Visitante
Miriam

Quando há significado o aluno e o estudante trocam conhecimento, mas quando o assunto é não se faz interessante o aprendizado se torna desinteressante, o que traz dificuldade para a relação entre os sujeitos.

Izabela
Visitante
Izabela

A aprendizagem é um mistério maravilhoso, assim como o cérebro. Entender melhor o funcionamento do cérebro e das emoções que ele gera, nos aproxima muito da compreensão sobre a aprendizagem. E sobre como ela pode ser tão singular em cada indivíduo. Paulo Freire já falava das emoções, do vínculo, da compreensão na promoção da aprendizagem, e as reflexões da doutora Leonor enriqueceram ainda mais este debate. Maravilhoso!

Marcos Fabrício
Visitante
Marcos Fabrício

Bem interessante esses assuntos com direcionamento na qualificação e preparação do mediado com os educandos, ainda mais utilizando essas ferramentas tecnológicas educacionais. E assim, proporcionando ao orientadores educacionais, novas formas de ensino aprendizagem. Estou encantado com tanta novidade na preparação ao corpo Docente profissional tecnológico, EPT.

Renata da Cunha tostes
Visitante
Renata da Cunha tostes

É importante o equilíbrio emocional docente para lidarmos com a diversidade cotidiana no espaço escolar. Acredito que melhores condições de trabalho viabilizariam tal condição.

X