Problemas reais são base de curso de especialização - PORVIR
crédito Stauke / Fotolia.com

Inovações em Educação

Problemas reais são base de curso de especialização

Novo programa do Singularidades vai buscar soluções inovadoras para os desafios enfrentados por projetos de educação

por Fernanda Kalena ilustração relógio 11 de setembro de 2014

Um novo curso de especialização, do Instituto Singularidades, de São Paulo, pretende solucionar problemas reais na área de educação. Chamada de Educação Inovadora: Didáticas, Tecnologias, Design e Autoria, a formação vai usar a metodologia de aprendizagem baseada em problemas (ou PBL, do inglês problem based learning) durante 16 meses do curso que foi concebido em parceria com o  Instituto C.E.S.A.R., centro de inovação de engenharia avançada em Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs), do Recife (PE).

Na prática, vai funcionar assim: instituições da área de educação vão levar para a universidade problemas e desafios que gostariam que a academia os ajudassem a resolver. O instituto, então, vai selecionar quais deles serão estudados, levando em conta afinidades e interesses dos estudantes, que deverão analisar esses desafios, identificar o real problema e propor possíveis soluções.

Segundo Adriana Martinelli, coordenadora de Inovação Acadêmica do Singularidades, o instituto vai capitanear parceiros que podem ser escolas, organizações, institutos, empresas e startups que estejam enfrentando algum desafio. E esses parceiros vão acompanhar o trabalho desenvolvido pelos estudantes. “É o mercado e a sociedade entrando na universidade para trabalhar conjuntamente na busca por soluções”. O que vai ser pesquisado e proposto de soluções pelos cursistas não terá como base situações hipotéticas ou fictícias, nem serão cases de simulação ou de senso comum, segundo Martinelli.

Para dar embasamento a essa abordagem, o curso vai usar a metodologia do design thinking para educação. “O design vai nos ajudar a mudar o olhar, a ver qualquer processo que se queira implementar em educação a partir do usuário e não a partir de achismos”, argumenta a coordenadora de Inovação. “Vamos olhar para esse usuário, fazer o processo de ideação a partir de seus problemas, buscar soluções, prototipar e fazer a implementação”. Assim, o curso passa por todas as etapas do design thinking e as mescla com o PBL.

O Instituto C.E.S.A.R. entra no curso para dar suporte ao desenvolvimento desses projetos tanto na parte de design quanto de engenharia. “Atuamos com o tripé de inovação, tecnologia e educação. Neste curso é isso que pretendemos fazer, trazer características do design e da engenharia para dentro da educação”, conta Walquiria Castelo Branco Lins, consultora educacional do instituto e uma das coordenadoras do curso.

Qualquer demanda dos estudantes em relação a esta área, como a criação de aplicativos, desenvolvimento de softwares e ferramentas, terá o apoio de profissionais do C.E.S.A.R..

“Nosso desafio é integrar a área de educação e a de novos negócios no sentido de uma economia criativa e baseada em cultura digital”

Para garantir o andamento do programa, o curso contará com três coachs que farão a mentoria dos grupos. “Eles que vão questionar e instigar os cursistas. Vão fazer a gestão dos processos, das pessoas e das equipes, vão ajudar na identificação das habilidades individuais”, explica Adriana Martinelli.

Ao final dos 16 meses, o objetivo é que o trabalho desenvolvido pelos estudantes seja apresentado tanto para as empresas envolvidas quanto para possíveis investidores. “É uma especialização, não é apenas para criar soluções, não é uma Startup Weekend gigante. Queremos que as pessoas saiam entendendo de didática e negócios e é esse nosso desafio, integrar a área de educação e a de novos negócios no sentido de uma economia criativa e baseada em cultura digital”, complementa Martinelli.

Estrutura e serviço

Os interessados em cursar a especialização podem fazer a inscrição a partir de hoje pelo site do Singularidades. O curso, que tem inicio dia 24 de outubro, é voltado para toda a gama de profissionais ligados a educação e será presencial, com encontros às sextas (19h às 22h30) e aos sábados (9h às 17h30). O custo pode ser parcelado em até 24 parcelas de R$ 660.

Para as instituições ligadas a área de educação que tenham interesse em ser parceiras do programa ou apresentar seus desafios para serem debatidos no curso, o instituto realizará um evento no dia 1o de outubro, quando mais detalhes serão explicados. O contato pode ser feito através do email: inovacao@singularidades.com.br.


TAGS

aprendizagem baseada em problemas, design, ensino superior, tecnologia

2
Deixe um comentário

avatar
500
0 Comentários ao conteúdo
0 Respostas a comentários
0 Seguidores
 
Comentário com mais reações
Comentário em alta
0 Autores
Quem acabou de comentar
  Acompanhar a discussão  
Mais recentes Mais antigos Mais votados
Tipo de notificação