Programa leva fabricação digital a escolas do Brasil - PORVIR
crédito James Thew / Fotolia.com

Inovações em Educação

Programa leva fabricação digital a escolas do Brasil

Fab Educação vai dar suporte e promover formação de docentes para disseminar a cultura maker em instituições de ensino

por Fernanda Kalena ilustração relógio 21 de maio de 2014

Um espaço aberto, equipado com máquinas de fabricação digital, onde se aprende fazendo, experimentando e criando. Essa é a descrição de um Fab Lab, mas se depender do programa Fab Educação agora poderá ser também de escolas brasileiras. A iniciativa do We Fab em parceria com Garagem Fab Lab, lançada este mês, pretende levar o conceito dos laboratórios de fabricação e criar uma cultura maker para instituições de ensino.

“As escolas estão querendo que seus alunos trabalhem cada vez mais com a mão na massa. O programa é uma forma de fazer isso acontecer, de levar o fazer para dentro das instituições, de sair da teoria e ir para a prática”, diz Heloisa Neves, arquiteta e diretora do Fab Lab Brasil.

Os Fab Labs são uma rede global de laboratórios que reúne pessoas para compartilhar e aprimorar ideias, onde a inovação é estimulada e o acesso a equipamentos de fabricação digital, como impressoras 3D e cortadores a laser, é livre. O programa voltado para a educação pretende criar dentro das escolas uma cultura maker, de fazedores. “O foco é mudar a cultura não apenas propondo atividades, mas fazendo com que os professores e a parte administrativa da escola entendam e se apropriem dos conceitos para que os repliquem”, afirma Neves.

Para isso acontecer uma das etapas mas importantes do programa é a capacitação da equipe de educadores que conduzirá as atividades. Essa formação pode contar com visitas guiadas a Fab Labs, cursos para os mentores (como são chamados os professores) sobre a metodologia educacional e cursos técnicos voltados para gestão. 

Para Heloisa Neves, o mais importante é fazer os educadores experimentarem e entrarem no papel dos estudantes. “Pensamos o curso de capacitação como algo divertido, assim como é para quem participa dos labs. E quem coloca a mão na massa, com certeza gosta, independentemente da idade, da matéria que leciona e de seu país de origem”.

É desse modo que a diretora espera que toda equipe de educadores das instituições que passarem pela capacitação consigam criar atividades adaptadas ao contexto de sua escola, e com isso fazer que aulas que usufruam dos benefícios do lab sejam incorporadas aos currículos escolares.

O Fab Educação também está aberto para realizar projetos educacionais em museus, centros culturais e bibliotecas.


TAGS

educação mão na massa, tecnologia

2
Deixe um comentário

avatar
500
2 Comentários ao conteúdo
0 Respostas a comentários
0 Seguidores
 
Comentário com mais reações
Comentário em alta
2 Autores
Juliana RagusaJamile Coelho Quem acabou de comentar
  Acompanhar a discussão  
Mais recentes Mais antigos Mais votados
Tipo de notificação
Jamile Coelho
Visitante
Jamile Coelho

Adorei a ideia e sempre acreditei que qualquer proposta deve ser levada ate o professor colocando-o no lugar do aluno, experimentando, sentindo as dificuldades, tirando duvidas e curtindo muito. Somente desta forma levará a proposta para a sala de aula, pois ja vivenciou e estará confiante e motivado. Acredito e vivencio isto no Espaço Educacional, pois esta é a nossa forma de trabalhar e aprender.

Juliana Ragusa
Visitante
Juliana Ragusa

Muito interessante seu comentário, Jamile Coelho! Nós do WeFab acreditamos que os professores podem se apropriar do universo maker e curtir muito esse movimento – fazendo grande diferença e inovando as práticas Educacionais.