Projeto mapeia brincadeiras infantis de todo Brasil - PORVIR

Inovações em Educação

Projeto mapeia brincadeiras infantis de todo Brasil

Durante dois anos, educadora e documentarista vão percorrer o país para registrar diferentes brinquedos e formas de brincar

por Vagner de Alencar ilustração relógio 18 de setembro de 2012

Na era dos videogames com sensores de movimento, as crianças ainda brincam de bolinha de gude, soltam pipa com rabiola feita com papel de bala, pulam amarelinha e elástico. Em muitas regiões do país, as brincadeiras tradicionais continuam bastante vivas. E para mapeá-las e difundi-las, uma dupla está percorrendo os cinco cantos do Brasil para dar vida ao projeto Territórios do Brincar, iniciativa que pretende escutar, trocar saberes e registrar a cultura infantil brasileira.

A educadora Renata Meirelles e o documentarista David Reeks são os responsáveis pelo projeto que iniciou em abril deste ano. Ao todo, a dupla vai percorrer sete regiões diferentes até dezembro de 2013. Após a viagem, a jornada vai se tornar um longa-metragem, um livro e uma série para a TV, além de exposições, cursos e palestras. A iniciativa é apoiada pelo Instituto Alana, ONG que desenvolve projetos voltados à infância.

O primeiro destino do roteiro foram as comunidades pomeranas (que formam uma etnia descendente de tribos eslavas e germânica), no Espírito Santo, onde acompanharam a forte tradição dos casamentos. Desde pequenas, uma das brincadeiras favoritas das crianças é simular as cerimônias. Eles organizam toda a festa, desde a compra e preparo dos alimentos até as danças e rituais.

crédito Território do Brincar / Divulgação

 

Nesta semana, o casal se despede da comunidade de Acupe, subdistrito de Santo Amaro da Purificação, no Recôncavo Baiano, onde estão desde o começo de julho. A região foi escolhida por conta das manifestações populares que têm a participação ativa das crianças e que acontecem durante todo o mês de julho como é o caso do Nego Fugido, a Careta de Papelão e a Careta de Borracha. Durante os festejos, as crianças criam máscaras e brincam capturar uns aos outros.

O próximo destino será uma aldeia indígena no Mato Grosso, no Xingu, onde ficarão um mês. Segundo Renata, o foco do trabalho é entender as brincadeiras e manifestações culturais sempre sob o olhar das crianças. “O bacana é ver como as crianças fazem as releituras daquilo que acontece na brincadeira tradicional, que não necessariamente vêm em forma de amarelinha, de pipa, de pular elástico, mas que pode vir também de outras coisas”, afirma.

“Os professores precisam traduzir as relações que estão por trás das brincadeiras e entender o potencial humano que o brincar tem.”

De acordo com ela, a maior preocupação do projeto é traduzir o brincar para o universo da educação. “O que percebo que é as escolas, de uma forma geral, não aproveitam do que já é das crianças. Muitas vezes, elas não se atem a forma como as crianças apreendem as coisas, como lidam com os seus fazeres e brincadeiras. Isso ainda é desconhecido no universo da educação”, diz. “Os professores precisam traduzir as relações que estão por trás das brincadeiras e entender o potencial humano que o brincar tem e como as crianças podem criar essa linguagem para si como forma de aprendizado também.”

O primeiro contato nas regiões acontecem por meio das escolas, onde eles apresentam aos educadores e às crianças o intuito do projeto. Nesses encontros, são expostos vídeos de trabalhos anteriores e então oficializado o convite para  o intercâmbio de saberes, que acontecem de acordo com o roteiro proposto pelas crianças: na escola, rua, praças e outros espaços.

Ao final de cada itinerário, Renata e Reeks voltam às escolas e às secretarias para mostrar, por meio de fotos e filmagens, o recorte que fizeram durante a estadia no local. A ideia é valorizar a cultura do lugar, muitas vezes, desapercebida pelos moradores. “Às vezes, as escolas não veem aquilo que está fora do mundo delas. Nossa mensagem é que o aprender não acontece apenas dentro das unidades de ensino”, revela Renata.

Cursos e oficinas

Como forma de contrapartida à estadia em cada município, Renata organiza ainda cursos, oficinas e palestras para os moradores locais. No Espírito Santo, organizou uma exposição de brinquedos. Já no Recôncavo Baiano, Renata ministrou palestras sobre a cultura do brincar para todas os diretoras e coordenadores do município de Santo Amaro e também uma palestra e oficina na secretaria de ação social com 20 coordenadoras do PET (Programa de Erradicação do Trabalho Infantil).

Outra parceria acontece também com seis escolas privadas de São Paulo, Bragança Paulista, Cotia e Florianópolis. A educadora, a partir do trabalho que vem desenvolvendo, se reúne, mensalmente, com os colégios para trocar experiências e identificar novos olhares e propostas quanto à cultura do brincar. “Quando a gente fala de brincadeiras, não estamos falando do novo, mas de algo que já é do homem. O novo é como a gente olha para isso, como a enxerga relação da criança com o brincar”, afirma.

É possível acompanhar a jornada do casal através do site do projeto, com atualizações quase em tempo real com fotos, textos, vídeos e áudios.

Assista ao vídeo de estreia do projeto:


TAGS

brincadeiras, cinema, ensino infantil

31
Deixe um comentário

avatar
500
30 Comentários ao conteúdo
1 Respostas a comentários
0 Seguidores
 
Comentário com mais reações
Comentário em alta
30 Autores
francisca alves da silvaGisela TapiocaDircelene Aparecida Ferraz AloAna Maria ChristensenSimone Poletto Quem acabou de comentar
  Acompanhar a discussão  
Mais recentes Mais antigos Mais votados
Tipo de notificação
gal Braga
Visitante
gal Braga

Ameiiiiiiiiii ter conhecimento desse projeto, eu e meu marido que somos pedagogos e poetas, muito escrevemos sobre isso. Aqui em salvador tem uma pessoa Nairzinha que tem um projeto semelhante, que é resgatar as brincadeiras de infância.
Parabenizo a vocês e ficamos sentidos em saber que vieram em Acupe (BA) e não soubemos.

francisca alves da silva
Visitante
francisca alves da silva

bom dia eu tenho 69 anos sou uma contadora de historias na minha cidade naõ tenho formação academica,tenho o titulo de Mestre Griô,achei seus projeto por acaso aqui e encantei com ele concordo plenamente com voces gostaria de receber mais coisa de voces,tenho um trbalho de circulo de leituracom recuperandos da Apac de Viçosa(presos)trabalho prestando serviõ a Prefeitura a 18 anos muitos jovens escutaram minha contaçõ hoje levam os seus filhos para me ouvir agradeço… Ler mais »

francisca alves da silva
Visitante
francisca alves da silva

bom dia eu tenho 69 anos sou uma contadora de historias na minha cidade naõ tenho formação academica,tenho o titulo de Mestre Griô,achei seus projeto por acaso aqui e encantei com ele concordo plenamente com voces gostaria de receber mais coisa de voces,tenho um trbalho de circulo de leituracom recuperandos da Apac de Viçosa(presos)trabalho prestando serviõ a Prefeitura a 18 anos muitos jovens escutaram minha contaçõ hoje levam os seus filhos para me ouvir agradeço… Ler mais »

Ana Maria Christensen
Visitante
Ana Maria Christensen

A algum tempo venho tentando achar quem saiba jogar 3 Marias (inteiro), só consegui poucos lances, nem em Joinville onde era brincadeira constante, consegui.
Jogar bola na parede – ordem, seu lugar, sem rir,……..cadê? não vejo mais. Amarelinha, caracol, então nem pensar.
Por favor, quero ensinar 3 Marias para a minha netinha, assim que conseguirem, divulguem!
Parabéns pelo projeto!

Ana Maria Christensen
Visitante
Ana Maria Christensen

A algum tempo venho tentando achar quem saiba jogar 3 Marias (inteiro), só consegui poucos lances, nem em Joinville onde era brincadeira constante, consegui.
Jogar bola na parede – ordem, seu lugar, sem rir,……..cadê? não vejo mais. Amarelinha, caracol, então nem pensar.
Por favor, quero ensinar 3 Marias para a minha netinha, assim que conseguirem, divulguem!
Parabéns pelo projeto!

Márcia Ribeiro
Visitante
Márcia Ribeiro

Fantástica a iniciativa. Parabéns aos idealizadores, apoiadores e toda equipe envolvida. Me emocionei com o vídeo e fui levada em uma viagem de volta a minha infância. Maravilhoso!! Vou mostrar aos meus filhos, que infelizmente, fazem parte apenas da geração “video game e internet”. Sinto muitissimo por eles não terem contato com as brincadeiras que tanto nos fizerem bem, e me sinto culpada por não porporcionar isso a eles. Vou torcer para que o projeto… Ler mais »

Stella Maris Albertoni
Visitante
Stella Maris Albertoni

As escolas não aproveitam, mas também uma grande maioria de pais, não preocupam muito com isto, e assim, não estimulam as escolas a fazê-lo. Bom….isto é o que eu acho!

Stella Maris Albertoni
Visitante
Stella Maris Albertoni

Quando meus filhos eram pequenos, tínhamos uma preocupação muito grande com o brincar, e em passar para eles as brincadeiras que tivemos na infância, e que foram se perdendo na insegurança e correria das grandes cidades. Hoje com minha neta está pior, mas mesmo assim procuramos resgatar algumas brincadeiras. Ela adora peão por exemplo, pois, desde que ela tinha 1 ano( hoje está com 8 anos) eu assentava com ela no chão e iamos brincar… Ler mais »

Simone Poletto
Visitante
Simone Poletto

amei conhecer esse projeto …parabéns!!!!!! quero saber qdo estarão por florianópolis para que possamos nos conhecer e para que eu possa participar de alguma oficia oferecida! vou acompanhar pelo site!

grata!

cristiane guimarães
Visitante
cristiane guimarães

Temos que resgatar nossos valores.
Brincadeiras não são apenas coisas de crianças. Vivem na memória dos que um dia brincaram… Parabéns projeto maravilhoso.
Vamos retirar as crianças da sala de TV.

Simone Poletto
Visitante
Simone Poletto

amei conhecer esse projeto …parabéns!!!!!! quero saber qdo estarão por florianópolis para que possamos nos conhecer e para que eu possa participar de alguma oficia oferecida! vou acompanhar pelo site!

grata!

Dircelene Aparecida Ferraz Alonso Rocha.
Visitante
Dircelene Aparecida Ferraz Alonso Rocha.

Como Educadora Infantil tenho tido oportunidades de conhecer vários projetos referentes ao Brincar, esse é mais um que vem me trazer aprendizado. Parabéns, espero receber emails com novidades. Desde já agradeço.

Dircelene Aparecida Ferraz Alo
Visitante
Dircelene Aparecida Ferraz Alo

Como Educadora Infantil tenho tido oportunidades de conhecer vários projetos referentes ao Brincar, esse é mais um que vem me trazer aprendizado. Parabéns, espero receber emails com novidades. Desde já agradeço.

Rosane Romanini
Visitante
Rosane Romanini

Esse trabalho é um tesouro para a história do nosso país. É uma forma muito mágica de mostrar ao mundo o nosso patrimônio lúdico cultural. Agradeço imensamente a oportunidade de acompanhar as crianças de hoje em suas descobertas e seus processo contínuos de diálogo com o velho e o novo. Rosane Romanini

Rosane Romanini
Visitante
Rosane Romanini

Esse trabalho é um tesouro para a história do nosso país. É uma forma muito mágica de mostrar ao mundo o nosso patrimônio lúdico cultural. Agradeço imensamente a oportunidade de acompanhar as crianças de hoje em suas descobertas e seus processo contínuos de diálogo com o velho e o novo. Rosane Romanini

Gisela Tapioca
Visitante
Gisela Tapioca

Olá,
Indico o projeto memórias do futuro que também mapeia as brincadeiras, oferece oficinas de audiovisual(mídia móvel) para crianças e jovens. Na equipe Lídia Hortélio, Lia Mattos, Alexandre Basso e muito mais gente boa.
http://www.memoriasdofuturo.com.br

ALAIDE EMILIA
Visitante
ALAIDE EMILIA

Ótimo projeto, bela iniciativa, resgatar brincadeiras antigas, mas que ainda está presente no dia-a-dia de nossas crianças é uma forma de não deixar morrer esta preciosidade da cotidiano da criança, vivemos em um mundo onde as novas mídias tem invadido o universo infantil e escravisado nossas ccrianças, e a beleza do brincar livre, o faz de conta, o criar e recreiar da infância está seriamente comprometido.

Gisela Tapioca
Visitante
Gisela Tapioca

Olá,
Indico o projeto memórias do futuro que também mapeia as brincadeiras, oferece oficinas de audiovisual(mídia móvel) para crianças e jovens. Na equipe Lídia Hortélio, Lia Mattos, Alexandre Basso e muito mais gente boa.
http://www.memoriasdofuturo.com.br

Maria adilma
Visitante
Maria adilma

Gente que legal! Parabens pela iniciativa . Sou pedagoga numa ONG , lá implantamos uma brinquedoteca e fluiu muitos brinquedos e brincadeiras populares, Histórias e cantigas de rodas.Quando vão passar na nossa região? Cariri Cearense. Aguardo voces.

Maria adilma
Visitante
Maria adilma

Gente que legal! Parabens pela iniciativa . Sou pedagoga numa ONG , lá implantamos uma brinquedoteca e fluiu muitos brinquedos e brincadeiras populares, Histórias e cantigas de rodas.Quando vão passar na nossa região? Cariri Cearense. Aguardo voces.

Maria Inês Saba
Visitante
Maria Inês Saba

Em Campinas / SP, há uma ONG, Ponto de Cultura, sediada no Parque Ecológico Monsenhor Salim, que trabalha com brinquedos ( inclusive com sucatas) e brincadeiras de todo mundo. Vale a pena visitá-los

Claudia Politano da Silveira Santos
Visitante
Claudia Politano da Silveira Santos

Como acredito que BRINCAR é coisa séria, adorei ! Agora deixa eu brincar.

Claudia Politano da Silveira S
Visitante
Claudia Politano da Silveira S

Como acredito que BRINCAR é coisa séria, adorei ! Agora deixa eu brincar.

Cleusa Ferreira Lopes Rodigues
Visitante
Cleusa Ferreira Lopes Rodigues

Parabéns a todos que está fazendo acontecer a voltar as tão sonhadas bricadeiras de nossas infâncias, precisamos sim encinar a nossas crianças ném que seja um pouco é que esse pouco conceteza vai ser o muito! Lindo é o projeto território do brincar, ainda bém que têm pessoas maravilhosas que se preocupa c/ as nossas criança, a minha felicidade é imesa, ñ tenho ném palavra, o que digo e do fundo do coração que o… Ler mais »

MARIA ARMINDA MOREIRA NUNES
Visitante
MARIA ARMINDA MOREIRA NUNES

Achei esse projeto FANTÁSTICO. Pelo menos alguem se preocupou em trazer de volta as brincadeiras saudáveis, que faziam com que as crianças fossem criativas e se divertissem mais, interagindo umas com as outras. Hoje com essa tecnologia toda, fizeram com que as crianças não tenham iniciativas, fiquem isoladas em seus quartos na frente de um computador, não tenham criatividade alguma, pois ja vem tudo pronto. Parabéns! Espero que desperte mais interesse nos professores, para que… Ler mais »

MARIA ARMINDA MOREIRA NUNES
Visitante
MARIA ARMINDA MOREIRA NUNES

Achei esse projeto FANTÁSTICO. Pelo menos alguem se preocupou em trazer de volta as brincadeiras saudáveis, que faziam com que as crianças fossem criativas e se divertissem mais, interagindo umas com as outras. Hoje com essa tecnologia toda, fizeram com que as crianças não tenham iniciativas, fiquem isoladas em seus quartos na frente de um computador, não tenham criatividade alguma, pois ja vem tudo pronto. Parabéns! Espero que desperte mais interesse nos professores, para que… Ler mais »

Delza da Paz Silva Pacheco
Visitante
Delza da Paz Silva Pacheco

Gostei ,acho muito interessante continuar mantendo essas brincadeiras com as crianças.
Nos dias de tudo está relacionado a vídeo game e computador e as crianças de hoje muitas delas já não conhecem mais brincadeiras. Sou a favor de que é preciso evoluir mas também que certos sejam mantidos.

Delza da Paz Silva Pacheco
Visitante
Delza da Paz Silva Pacheco

Gostei ,acho muito interessante continuar mantendo essas brincadeiras com as crianças.
Nos dias de tudo está relacionado a vídeo game e computador e as crianças de hoje muitas delas já não conhecem mais brincadeiras. Sou a favor de que é preciso evoluir mas também que certos sejam mantidos.

renata tavares dias
Visitante
renata tavares dias

bom dia

Marta Corrêa
Visitante
Marta Corrêa

Boa noite, sou estudante de pedagogia, e seu trabalho esta auxiliando-me nos estudos para o meu TCC. Se tiver mais material por favor envie-me. obrigado.

SILVIA GOMES DA SILVA
Visitante
SILVIA GOMES DA SILVA

Olha fiquei encantada pelo projeto, sou educadora e me vi na minha infância. Sou grata por ser sido uma criança de baixa renda que foi feliz com aquilo que a gente tinha e o que inventava para brincar. Na escola que trabalho percebo que as crianças não são crianças , ou por que não proporcionam a serem crianças feliz, uma geração do tablet, celular e internet, uma pena . Mas assistindo o vídeo tive grande… Ler mais »