Software melhora a nota de escolas rurais na China - PORVIR

Inovações em Educação

Software melhora a nota de escolas rurais na China

Com apenas 20 horas de prática, estudantes de matemática aumentam sua pontuação e também a autoconfiança

por Patrícia Gomes ilustração relógio 6 de maio de 2012

Uma equipe de Stanford conseguiu melhorar significativamente o desempenho em matemática de alunos de escolas rurais chinesas com apenas 20 horas-aula. Para tanto, levaram às escolas apenas computadores, um software e treinamento aos professores.

Durante três meses, os pesquisadores acompanharam 72 escolas rurais da província de Shaanxi, local pobre no centro do país. Metade delas foi submetida ao experimento e a outra metade serviu de grupo de controle. A intenção era mostrar que programas de aprendizagem assistida por computador (livre tradução de CAL, computer assisted learning) poderiam ajudar a diminuir a lacuna que as escolas rurais têm em relação às urbanas na China.

Os alunos foram testados antes e depois do experimento, e os que participaram do programa viram sua nota pular, em média, do conceito C para B. Ao todo, 4.320 crianças de terceira e quinta séries foram avaliadas. E a maioria quase nunca ou nunca havia tido acesso a computadores.

“Nós tivemos um resultado muito encorajador com o programa. Os estudantes melhoram sua performance em quase ‘um conceito’ inteiro, de C+ para B. Esse progresso acadêmico é de se esperar em três meses, mas nós conseguimos em apenas 20 horas-aula!”, diz James Chu, gerente de projetos do Reap (centro de Stanford responsável pelas ações na China).

“Nossa intervenção se baseou na premissa de que games educacionais bem feitos podem despertar interesse e curiosidade em um ambiente não propício a isso”

Cada escola recebeu entre seis e oito computadores com um software de matemática instalado. O programa foi desenvolvido com base no currículo nacional de matemática e apresentava os conteúdos de maneira lúdica e interativa. Em seguida, o software propunha problemas de matemática em formato de game.

“Nossa intervenção se baseou na premissa de que games educacionais bem feitos podem despertar interesse e curiosidade em um ambiente não propício a isso”, disseram os pesquisadores em um dos relatórios do programa.

Os alunos tiveram duas sessões de aulas práticas por semana, e os professores fizeram um treinamento para serem capazes de ajudá-los com o uso do software. Depois de passar as instruções, a equipe de Stanford não ficou nas escolas; eles acompanharam o processo por visitas periódicas e por telefone. A ideia era que os próprios professores e alunos conseguissem caminhar sozinhos. Uma linha telefônica foi colocada à disposição para que os problemas técnicos pudessem ser prontamente resolvidos.

A pesquisa tentou ainda medir questões subjetivas sobre o impacto que teve nos alunos. O resultado mostrou que 98% tiveram melhora na autoconfiança, sendo que em 52% dos casos a melhora foi muito significativa. Além disso, 63% dos alunos que participaram do programa tiveram um aumento no interesse pelos estudos. Neste ano, a pesquisa terá sua segunda edição e, devido aos resultados que já lacançou, será replicada com estrutura três vezes maior.

Cidade X Campo

No sistema educacional chinês, a maioria das escolas é rural. Cerca de 80% dos alunos de áreas urbanas têm acesso à internet em casa. Nas áreas rurais, esse número é de apenas 2%. Nas escolas do campo, os computadores, quando existem, são obsoletos.

Enquanto isso, do outro lado do mundo, o Brasil também enfrenta disparidades educacionais entre escolas nas áreas rurais e urbanas. No campo brasileiro, há 76 mil escolas com 6,3 milhões de estudantes, o que corresponde a pouco mais de 12% das matrículas no país. Desse contingente, 15% nem sequer têm luz elétrica, mas outros 10% já contam com internet via satélite.

Para melhorar a qualidade da educação oferecida em áreas rurais, o governo federal divulgou em março deste ano o Pronacampo, um programa nacional de investimento nas escolas rurais brasileiras. O programa vai agir em três frentes: construir e reformar escolas, melhorar condições de transporte e formar professores. A meta do governo é implantar laboratórios de informática em 20.000 escolas e garantir o acesso à internet para 10.000 escolas.


TAGS

aplicativos, escolas rurais, tecnologia

Deixe um comentário

avatar
500
  Acompanhar a discussão  
Tipo de notificação