A educação midiática inspira a sala de aula democrática - PORVIR
Crédito: Secretaria de Educação do Estado de São Paulo

Inovações em Educação

A educação midiática inspira a sala de aula democrática

O debate sobre questões políticas e cidadãs ganha força quando amparado por materiais confiáveis. Esse é o foco do e-book recém-lançado pelo EducaMídia, que reúne sugestões para falar de democracia dentro da escola

Parceria com EducaMídia

por Ana Luísa D'Maschio ilustração relógio 16 de setembro de 2021

Nas eleições presidenciais de 2018, o acirrado debate entre direita e esquerda ganhou as aulas do professor Edemilson Gomes de Souza. Professor de educomunicação para crianças e adolescentes de alta vulnerabilidade no contraturno do Marista Escola Social de São José (SC), ele notou dois estudantes com ânimos exaltados ao defender seus candidatos. A provocação acabou por inspirar práticas educativas: uma conversa coletiva sobre respeito aos diferentes pontos de vista, o reconhecimento do lado vencedor e o papel da população – e da cobertura da imprensa – na fiscalização dos políticos vencedores.

O episódio se transformou em um programa de rádio feito pelos próprios alunos dentro do Projeto Jornada Ampliada. E rendeu, inclusive, uma campanha que elegeu um representante dos alunos comunicadores para levar sugestões dos colegas, voltadas a melhorias na escola, diretamente à gestão. “Notamos que o conflito se transformou em diálogo e na valorização da democracia. Foi um momento bem legal, pois conversamos muito. Vimos o resultado juntos, quando entendemos que podemos lidar com as diferenças de uma maneira bem sensata, ouvindo e trabalhando em conjunto”, conta Edemilson.

A educação midiática promove a análise crítica das notícias. E seus subsídios para a formação cidadã são o foco do novo e-book do EducaMídia, do Instituto Palavra Aberta. Intitulada “5 contribuições da educação midiática à democracia”, a publicação acaba de ser lançada em comemoração ao mês da democracia – o Dia Internacional da Democracia, 15 de setembro, foi instituído pela ONU (Organização das Nações Unidas), em 2007. No guia, além das sugestões, estão reunidas propostas de atividades pedagógicas para diferentes ciclos, da educação infantil ao ensino médio, a fim de apoiar os professores a desenvolver competências relacionadas ao valor do direito à informação.

“O material é destinado a professores da educação básica, mas também apoia o trabalho da educação não formal, na formação cidadã. O objetivo central é incentivar a prática da educação midiática para desenvolver competências cidadãs em diálogo com as demandas curriculares”, explica o assessor pedagógico do EducaMídia, Bruno Ferreira. Confira as sugestões ao final da matéria.

Ética e criatividade

Cidadania e democracia devem fazer parte do repertório das crianças desde cedo, defende Bruno. Ele relembra um conceito de Jesús Martín-Barbero (1937-2021), intelectual espanhol que viveu na Colômbia, quando questionado sobre os benefícios do aprendizado crítico. “Martín-Barbero afirmava que não se aprende democracia em cursos sobre democracia, mas em ambientes que a exercitam no dia a dia: lares e escolas que tratam as diferenças e dissidências como valor.”

As experiências relacionadas ao fazer político, como a realizada pelo professor Edemilson, têm sido cada vez mais comuns nos projetos pedagógicos, de acordo com o assessor pedagógico do EducaMídia. “Quando utilizamos as mídias de modo educativo, sofisticamos esse direito de falar e ser ouvido, pois ele ganha uma forte camada de criticidade, ética e criatividade”, explica Bruno.

Edemilson também vê o direito ao protagonismo juvenil como uma exigência contemporânea. “Seja em uma entrevista, em uma reportagem ou em um documentário, o foco é a expansão, o empoderamento desses educandos, que passam a ouvir e planejar em conjunto”, afirma. “Eles pegam o microfone, fazem a pauta, produzem os quadros de TV e da rádio. Nós, professores, vamos fazendo a mediação e repensando as aulas na perspectiva da emancipação desses sujeitos”, conta.

As terminologias educação midiática e educomunicação – conceito que acaba de ser reconhecido pela Academia Brasileira de Letras e inserido na 6ª edição do Volp (Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa) – se encontram em muitos aspectos: em resumo, a educação midiática trata do processo de ensino e aprendizagem sobre mídias (impressa e digital) já existentes. Já na educomunicação, os estudantes (ou a comunidade) são protagonistas e criam seus conteúdos educativos baseados em plataformas de comunicação (rádio, TV, jornal, site, podcast, etc.). Ambas as atividades permitem o trabalho com competências e habilidades previstas na BNCC (Base Nacional Comum Curricular) e no novo ensino médio.

Voz ativa

Confira, abaixo, as linhas gerais das cinco colaborações da educação midiática à democracia listadas pelo guia da EducaMídia (clique aqui para acessar o documento completo).

1. Exercício do direito à informação plural

A educação midiática estimula o acesso a fontes plurais de informação, para que estudantes analisem os fatos da realidade sob diversas perspectivas.

2. Qualificação da liberdade de expressão 

A educação midiática reforça a necessidade de construir argumentações fundamentadas em dados da realidade, incentivando a apuração e a checagem para a construção de conhecimento por parte dos estudantes.

3. Inclusão digital, justiça social e direito à comunicação

A educação midiática entende a tecnologia como linguagem e território. Ao estimular o uso de recursos digitais e midiáticos nos contextos educacionais de forma crítica, reconhece que este é um direito sem o qual o acesso à informação, a livre expressão e a participação social ficam comprometidas.

4. Combate à desinformação e às fake news

No contexto das práticas de educação midiática, estudantes desenvolvem não apenas a habilidade de reconhecer desinformação em processos de levantamento de informações em atividades de pesquisa, por exemplo, mas também passam a se posicionar criticamente diante dela.

5. Engajamento e participação 

Algumas atividades da educação midiática podem envolver a elaboração de conteúdo para informar, sensibilizar e engajar pessoas para questões sociais e ambientais globais, mas também presentes na realidade local do estudante, no entorno de sua escola.

Quer saber mais sobre educação midiática?
Clique e acesse

EducaMídia

TAGS

educação midiática, ensino fundamental, ensino médio

Deixe um comentário

avatar
500
  Acompanhar a discussão  
Tipo de notificação
X