5 infográficos para entender a BNCC e o Novo Ensino Médio - PORVIR
Crédito: iStockPhoto

Inovações em Educação

5 infográficos para entender a BNCC e o Novo Ensino Médio

O que muda na prática? Entenda como estão organizadas as novas diretrizes nacionais para a educação

por Redação ilustração relógio 29 de outubro de 2020

A implementação da BNCC (Base Nacional Comum Curricular) e do Novo Ensino Médio traz novos desafios e oportunidades para redes e escolas. Mas o que muda na prática? Quais são os elementos centrais que devem nortear a construção e a adaptação dos currículos? Pensando nessas questões, o Porvir fez uma seleção de cinco infográficos que ajudam você a entender as novas diretrizes nacionais.

Confira a lista:

?? Competências Gerais da BNCC
Com foco na formação humana integral e na construção de uma sociedade justa, democrática e inclusiva, a BNCC define um conjunto de 10 competências gerais que devem ser desenvolvidas de forma integrada aos componentes curriculares durante toda a educação básica. Elas foram definidas a partir dos direitos éticos, estéticos e políticos assegurados pelas Diretrizes Curriculares Nacionais e de conhecimentos, habilidades, atitudes e valores essenciais para a vida.

No infográfico, trazemos uma síntese de cada competência, incluindo uma descrição dos conhecimentos, habilidades, atitudes e valores que devem ser trabalhados e a indicação do que se espera que os estudantes realizem com as competências desenvolvidas.

? Visão Geral do Novo Ensino Médio
A proposta do Novo Ensino Médio define que 60% da grade curricular deve ser organizada em torno de disciplinas comuns e 40% em itinerários itinerários formativos de aprofundamento, que devem ser escolhidos pelos estudantes conforme os seus interesses e necessidades.

Dentro das novas diretrizes, é comum surgirem algumas dúvidas. Como será dividida a carga horária? O que será comum a todos os estudantes e o que eles poderão escolher? Que abordagens pedagógicas estão previstas? Como será o Enem? Entre outros pontos, o infográfico produzido pelo Porvir, com apoio do grupo de trabalho do ensino médio do Movimento pela Base, traz algumas respostas e destaca oportunidades para proporcionar maior engajamento, autonomia, protagonismo e aprendizagem aos estudantes.

?️ Itinerários Formativos
Como parte flexível do currículo, os itinerários formativos permitem que os estudantes aprofundem conhecimentos conforme o seu interesse. Eles estão organizados em áreas do conhecimento (linguagens e suas tecnologias, matemática e suas tecnologias, ciências da natureza e suas tecnologias, ciências humanas e sociais aplicadas), na formação técnica e profissional ou de forma integrada, combinando mais de uma área, com a possibilidade de inclusão da formação profissional.

Os currículos da parte flexível devem ser elaborados a partir de quatro eixos estruturantes: investigação científica, processos criativos e mediação, intervenção sociocultural e empreendedorismo. No infográfico, divulgado pelo Porvir, com o apoio do grupo de trabalho do ensino médio do Movimento pela Base, mostramos como o estudante pode fazer suas escolhas e o que redes e escolas vão precisar levar em consideração na hora de elaborar seus itinerários formativos.

? O Novo Ensino Médio e o Empreendedorismo Social
Ao colocar o projeto de vida, o protagonismo e o impacto positivo na sociedade como alguns dos elementos centrais do Novo Ensino Médio, as novas diretrizes trazem oportunidades para trabalhar empreendedorismo social com os jovens. Além de desenvolver competências essenciais para a vida, como empatia, resolução de problemas e autoconhecimento, essa abordagem possibilita a construção de práticas pedagógicas que favorecem a inovação e o compromisso com a transformação social e ambiental.

Desenvolvido especialmente para o guia Empreendedorismo Social na Educação, lançado em parceria com Oi Futuro, British Council, o infográfico apresenta oportunidades para trabalhar impacto social na Formação Geral Básica, nos Itinerários Formativos, nas Disciplinas Eletivas, nas Trilhas de Aprofundamento e no Projeto de Vida.

⚒️ Implementação
Como redes e escolas deverão se organizar para colocar em prática as mudanças estabelecidas pelas novas diretrizes nacionais? A implementação é um ponto fundamental para garantir o sucesso de qualquer política educacionais.

No infográfico, resultado de uma leitura propositiva e de um esforço coletivo para destacar propostas trazidas em textos oficiais, com apoio do Movimento pela Base, mostramos as principais etapas que devem ser levadas em consideração durante a implementação do Novo Ensino Médio, incluindo pontos como escuta, diagnóstico e estudo de possibilidades.


TAGS

base nacional comum curricular, competências para o século 21, ensino fundamental, ensino médio

2
Deixe um comentário

avatar
500
2 Comentários ao conteúdo
0 Respostas a comentários
0 Seguidores
 
Comentário com mais reações
Comentário em alta
2 Autores
ValesksMaria da Penha dos Santos Souza Quem acabou de comentar
  Acompanhar a discussão  
Mais recentes Mais antigos Mais votados
Tipo de notificação
Maria da Penha dos Santos Souza
Visitante
Maria da Penha dos Santos Souza

Bom dia, Na minha opinião, esta nova proposta de mudança no Ensino Médio, demorou para ser elaborada, uma vez que teríamos há tempo que preparar nossos estudantes do Ensino Médio para ingressar na Universidade, com avanços tecnológicos , que já estavam sendo usados pelos mesmos e sentiam-se despreparados e desmotivados , diante do aprendizado arcaico e obsoleto que os educadores viam apresentando ainda nas salas de aula , usando somente os livros didáticos, como ferramenta… Ler mais »

Valesks
Visitante
Valesks

Olá. Tenho dúvida na grade curricular. De como devemos organizar já que 60% é comum o todos.( Quais são essas disciplinas e qual a carga horária mínima?).
Outra coisa quando se fala vc pode fechar parcerias com escolas técnicas. Como fazer essa fusão?
Ainda com muitas dúvidas.
E as pessoas sempre querem que o ensino médio prepare para Enem e escolas navais.
Obrigada pela atenção.