Aulas de yoga acalmam e desenvolvem a autoestima das crianças - PORVIR
Crédito: Patrícia Jardim Protti / Arquivo Pessoal

Diário de Inovações

Aulas de yoga acalmam e desenvolvem a autoestima das crianças

Professora conta como a prática tem sido utilizada para trabalhar consciência corporal, noções de espaço, coordenação motora, foco e atenção

por Patrícia Jardim Protti ilustração relógio 3 de março de 2020

O Yoga vem sendo cada vez mais conhecido e se tornou uma prática muito encontrada em estúdios por todo o Brasil, sobretudo para jovens e adultos em busca de um melhor condicionamento físico, flexibilidade, relaxamento e consciência espiritual. Dentro desse contexto, estudos científicos sobre os benefícios da prática começaram a surgir, e algumas escolas passaram a introduzir o yoga como atividade pedagógica para seus alunos.

Minha experiência profissional na inclusão dessa prática durante as atividades escolares teve início pouco após o término de meu curso de formação de instrutores de yoga. Venho oferecendo aulas para crianças a partir de 2 anos de idade e observo muitos benefícios. As crianças da educação infantil do Elvira Plus, o período integral da Escola Elvira Brandão, em São Paulo (SP), praticam yoga comigo uma vez por semana, durante cerca de 20 minutos. Esse contato tem se mostrado suficiente para notar uma maior consciência corporal, noções de espaço, coordenação motora, maior foco e atenção no momento presente.

Leia mais:
Com técnicas de respiração e exercícios simples, professora ensina yoga para crianças de 3 e 4 anos
Educadores usam histórias e yoga para melhorar concentração das crianças
Com yoga e meditação, creche estimula desenvolvimento integral das crianças

Nas primeiras aulas decidi conversar com os pequenos sobre esse “exercício” para o corpo e para a mente, ensinar uma palavra nova, “namastê”, e explicar que seu significado é o desejo de paz e luz para si e para todos. A partir daí passei a propor algumas posturas que imitam animais, ensinando seus nomes em inglês e executando seus pequenos movimentos — dog (cachorro) levantando as pernas, butterfly (borboleta) batendo as asas, frog (sapo) e seus pulos, etc. Por fim, observei que o uso de música (também em língua inglesa) durante as aulas complementa o estímulo e direciona a criança durante cada momento da prática.

Crédito: Patrícia Jardim Protti / Arquivo Pessoal

A aceitação pelos grupos, tanto o de 2018 quanto o de 2019, foi maravilhosa; todos se divertem bastante durante as aulas, cantam músicas e até pedem para fazer as suas posturas favoritas. A introdução de pequenas técnicas meditativas, em conjunto com posturas associadas aos animais e suas vocalizações, traz resultados no bem-estar e aprendizado das crianças de forma muito eficiente.

Atualmente, os pais estão atentos aos desafios da modernidade, como, por exemplo, a falta de atenção por conta dos mais variados estímulos tecnológicos. Assim, pais e profissionais da educação estão buscando alternativas para trazer atividades que, além de beneficiarem o corpo físico das crianças, as acalmem e desenvolvam a autoestima, paciência e confiança.

A técnica é benéfica também no auxílio com as questões emocionais que as crianças estão aprendendo a lidar. Realizando posturas combinadas com curtas explicações sobre a filosofia do yoga, bem como realizando exercícios de respiração e pequenas meditações, os pequenos conseguem acalmar e preparar a mente para todos os desafios envolvendo seu crescimento.

De acordo com Dalai Lama, “Se todas as crianças de 8 anos aprenderem meditação, nós eliminaremos a violência do mundo dentro de uma geração”. Nesse sentido, o caminho que um indivíduo em desenvolvimento percorre através da prática continuada do yoga passa inicialmente pela pacificação interna, atuando na consciência de si, de seu corpo e suas capacidades, espalhando-se então nas relações externas que a criança possui e possuirá no futuro.

Crianças e adolescentes que se desenvolverem aprendendo yoga provavelmente se tornarão grandes aliados na formação de comunidades mais tranquilas, inclusivas e compassivas.


Patrícia Jardim Protti

Formada em Direito pela Universidade Mackenzie, buscou uma transição de carreira por demonstrar uma paixão pela educação infantil. Atualmente cursa Pedagogia na Faculdade Claretiano-SP e é professora de Yoga formada pelo curso com Camila Reitz, certificada pela Aliança do Yoga no Brasil.

TAGS

educação infantil, educação integral

1
Deixe um comentário

avatar
500
1 Comentários ao conteúdo
0 Respostas a comentários
0 Seguidores
 
Comentário com mais reações
Comentário em alta
1 Autores
Maria Inêz Quem acabou de comentar
  Acompanhar a discussão  
Mais recentes Mais antigos Mais votados
Tipo de notificação
Maria Inêz
Visitante
Maria Inêz

Amei seu Trabalho.
Também faço isso com minhas turmas de 8º e 9º anos, mas percebo que uma parte tem vergonha de praticar os exercícios e pior ainda quando coloco música (instrumental) para pratica da respiração. Mas tenho certeza que com essa prática que minhas turmas acalmaram e adquiriram mais confiança.
Parabéns!