Educação integral é debatida em São Paulo - PORVIR

Blog

Educação integral é debatida em São Paulo

por Redação na Rua ilustração relógio 30 de agosto de 2013

Envolvimento da comunidade, orçamento público, reorganização da escola. Esses e outros temas foram debatidos nesta quinta-feira (29/8), em São Paulo, em mais uma edição da Série de Diálogos – O Futuro se Aprende, do Instituto Inspirare/Porvir em parceria com o Instituto Natura. Reunindo cerca de 60 pessoas – entre gestores, diretores de escola e educadores –, o evento celebrou o lançamento do Centro de Referências em Educação Integral, uma plataforma com informações que visam apoiar o desenvolvimento e a implementação de programas ligados à educação integral.

“A educação integral é uma saída contemporânea.  É a articulação da escola com o seu território”                        Maria do Pilar Lacerda

Na parte da manhã, o público pode conhecer quatro experiências de educação integral que vêm sendo desenvolvidas em São Paulo e no Rio de Janeiro. Bárbara Portilho falou sobre o papel dos gestores e coordenadores pedagógicos a partir do Ginásio Experimental Carioca (GEC) Rivadavia Corrêa. Em sua fala, ela ressaltou a importância de a comunidade escolar se dedicar a ajudar os alunos a desenvolverem seu projeto de vida. Ana Elisa Siqueira narrou a trajetória de dez anos da Escola Municipal de Ensino Fundamental Amorim Lima, destacando o papel das mães que começaram a estreitar os laços entre escola e comunidade; Rosângela Alves, coordenadora do projeto piloto “Orientador Familiar” discutiu a importância das famílias na educação dos filhos; e Braz Nogueira, do Bairro Educador de Heliópolis, ressaltou a necessidade de processos de aprendizagem integrados à comunidade, narrando o que fez para derrubar as paredes da escola – as físicas e as que chama de invisíveis: as que separavam escola de comunidade, professor de aluno, homens de mulheres, gays e heterossexuais.

Evento de lançamento do Centro de Referências discute educação integralcrédito Porvir

Rosângela Alves, coordenadora do projeto Orientador Familiar

 

“Quando implantamos o Bairro-escola em Nova Iguaçu, apostamos na intersetorialidade, no estímulo ao conflito e na flexibilidade”   Maria Antônia Goulart

Na parte da tarde, Ana Emília Gonçalves de Castro, da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco), apresentou os resultados do “Múltiplos Saberes”, o primeiro curso de extensão voltado para a formação de agentes que trabalham com educação integral. A secretária de educação de São Bernardo (SP) e presidenta da Undime (União Nacional de Dirigentes Municipais de Educação), Cleuza Repulho, descreveu a criação e implementação do programa Tempo de Escola em sua cidade. Maria do Pilar Lacerda, da Fundação SM, ressaltou a necessidade de ampliação dos investimentos em educação. E Maria Antônia Goulart, da Flacso, elencou as dificuldades encontradas na articulação intersetorial realizada em Nova Iguaçu (RJ) quando esteve à frente do projeto de educação integral do município.

Após as palestras, os participantes foram convidados a participar de rodadas de discussões sobre os temas trazidos pelos palestrantes. Os debates serão transformados em recomendações, que serão disponibilizadas pelo Porvir e pelo Centro de Referências, plataforma lançada ontem.

Participantes discutem dimensões da educação integralcrédito Porvir

Os materiais divulgados no site têm como objetivo estruturar e qualificar as atividades de gestores e educadores engajados em transformar o processo de ensino-aprendizagem em suas escolas. O próximo passo da ferramenta é oferecer formações presenciais e a distância.

Parceiros

O Centro de Referências é uma iniciativa de organizações governamentais e não governamentais de diversas regiões brasileiras. Entre elas está o Ministério da Educação, representado pela Secretaria de Educação Básica e a Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade.

A gestão operacional é realizada pela Associação Cidade Escola Aprendiz e tem como parceiros envolvidos e propositores de sua estrutura e gestão, Institutos como o Inspirare e o Natura e a Fundação Itaú Social, que também atuam como financiadores, e a Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), a Flacso (Fundação SM, a Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais), o Cenpec, o Cieds (Centro Integrados de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável) e o escritório Cenários Pedagógicos.


TAGS

educação integral, infraestrutura, série de diálogos

3
Deixe um comentário

avatar
500
1 Comentários ao conteúdo
1 Respostas a comentários
0 Seguidores
 
Comentário com mais reações
Comentário em alta
2 Autores
Neuci Ramalho LevekLourdes Quem acabou de comentar
  Acompanhar a discussão  
Mais recentes Mais antigos Mais votados
Tipo de notificação
Lourdes
Visitante
Lourdes

Achei ótima a matéria. Estou atuando na função de Pedagoga de Tempo Integral do CEIER DE BOA ESPERANÇA -ES, gostaria de receber matérias sobre escolas de tempo integral.

Neuci Ramalho Levek
Visitante
Neuci Ramalho Levek

Gostei muito da matéria.Estou atuando na função pedagógico da escola em tempo integral EEFM.Santo EStevão,SC,gostaria de receber atividades para escola de tempo integral,preciso de mais informação!!
Grata