Estudantes criam jogo de xadrez com personagens da Grécia e Roma antiga - PORVIR
Crédito: Arquivo Pessoal /Jordan Santos Mendes

Diário de Inovações

Estudantes criam jogo de xadrez com personagens da Grécia e Roma antiga

Professor de Salvador (BA) conta como trabalhou humanidades, linguagens e matemática a partir da construção do jogo de tabuleiro

por Jordan Santos Mendes ilustração relógio 19 de fevereiro de 2020

Atuo na Escola Concept, unidade Salvador (BA), mediando processos de aprendizagem baseada em projetos desde 2017. No terceiro trimestre de 2018, ainda como educador da área de humanidades, eu desenvolvi com os estudantes do 6º ano o projeto “Xadrez do Mundo Antigo”.

Na época, nós precisávamos estudar sobre o Ocidente Clássico, mais especificamente a formação da Grécia Antiga e Roma Antiga. Como trabalhamos com metodologias ativas, nossos estudantes sempre participam ativamente do processo de planejamento de cada projeto e da escolha do produto final que precisa ser desenvolvido e apresentado por eles ao final do trimestre. Foi assim que eles decidiram construir um xadrez temático, no qual as peças do jogo representariam personagens históricos da Grécia Antiga e Roma Antiga.

Crédito: Arquivo Pessoal /Jordan Santos Mendes

Depois de pesquisarem sobre a Antiguidade Clássica, a turma foi dividida em três equipes que semanalmente se revezavam em três frentes de trabalho:

– Personagens da Roma Antiga: definir, por meio de um processo de pesquisa, os personagens históricos da Roma Antiga que seriam representados nas peças do jogo;

– Personagens da Grécia Antiga: definir, por meio de um processo de pesquisa, os personagens históricos da Grécia Antiga que seriam representados nas peças do jogo;

– O xadrez: definir as regras, projetar e produzir as peças e o tabuleiro do “Xadrez do Mundo Antigo” no nosso FabLab.

Depois de dois meses de muito trabalho, o “Xadrez do Mundo Antigo” ganhou vida. Além do tabuleiro e das peças criadas, os estudantes decidiram fazer cards biográficos acessíveis por QR Codes para cada um dos personagens históricos presentes no jogo.

Crédito: Arquivo Pessoal /Jordan Santos Mendes

O motivo? Não satisfeitos em utilizar apenas as regras tradicionais do xadrez, eles criaram uma regra específica que possibilita ao jogador que capturar uma peça do adversário ganhar uma jogada extra. Para isso, o jogador precisa dizer ao adversário quem foi personagem histórico e para se certificar da veracidade das informações, o adversário pode conferir a resposta acessando cartas biográficas do personagem comum leitor de QR Code. O objetivo é fazer com que as pessoas que jogarem o “Xadrez do Mundo Antigo”, não só se divirtam, mas também aprendam sobre a Grécia Antiga e Roma Antiga.

O projeto não só desenvolveu conteúdos e habilidades da área de humanidades, mas também de linguagem (português e inglês), a partir da elaboração das cartas biográficas, e de matemática no processo de construção do tabuleiro e das peças.

Em março de 2019, o “Xadrez do Mundo Antigo” foi selecionado para a Mostra Interativa do Festival de Invenção e Criatividade (FIC Maker 2019) e três estudantes viajaram para São Paulo para representar a turma no evento que foi realizado durante FEBRACE (Feira Brasileira de Ciências e Engenharia) na USP (Universidade de São Paulo).


Jordan Santos Mendes

Bacharel em comunicação social com habilitação em Jornalismo (UNIJORGE/2010), licenciado em história (UNOPAR/2019) e especialista em docência no ensino superior (2012) pelo Centro Universitário Jorge Amado (UNIJORGE), é mestre em gestão e tecnologias aplicadas à educação (2015) pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB) e tem experiência comprovada na área de educação, atuando como docente nas áreas de inglês, comunicação social e humanidades. Produziu os documentários "Gualin do Riocontra - A Língua Secreta do Bairro da Lapinha" (2010) e "Casulo" (2015). "Gualin do Riocontra" foi o seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) de graduação e vencedor do prêmio de Melhor Filme na votação do júri popular do 1º Festival de Cinema Universitário da Bahia. "Casulo" foi o Trabalho de Conclusão Final de Curso (TCFC) da sua pesquisa de Mestrado Profissional em Educação. Participa do grupo de geotecnologias, educação e contemporaneidade (GEOTEC) da Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Desde 2011, colabora com o projeto "A Rádio da Escola na Escola da Rádio", que é desenvolvido pelo GEOTEC em escolas da Rede Pública de Ensino do Estado da Bahia. Atualmente é Coordenador de Tecnologia Aplicada da Escola Concept (Salvador-BA).

TAGS

aprendizagem baseada em projetos, ensino fundamental, mão na massa

Deixe um comentário

avatar
500
  Acompanhar a discussão  
Tipo de notificação