Jovens de Sergipe realizam sabatina na escola com candidatos ao governo do estado - PORVIR
Crédito: Alice Vergueiro/Jeduca

Inovações em Educação

Jovens de Sergipe realizam sabatina na escola com candidatos ao governo do estado

Projeto Atheneu POP, criado pelo professor Yuri Norberto, aproxima discussão sobre política e dá voz para a juventude

por Mariana Rossi ilustração relógio 13 de setembro de 2022

No início do ano, uma campanha lançada pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) estimulava jovens de 16 e 17 anos a tirarem o título de eleitor para participar do pleito em outubro. Nessa idade, o voto é facultativo.

A preocupação do TSE era por conta da mais baixa procura do público jovem pelo documento já registrada em três décadas, desde que os dados começaram a ser computados pela Justiça Eleitoral. Cantores, atores e outros membros da sociedade civil se juntaram na campanha, que tomou conta do Twitter, e deu resultados: apenas em março, mais de 445 mil jovens de 15 a 18 anos tiraram seu título de eleitor, “um recorde de cadastramento”, de acordo com Edson Fachin, então presidente do TSE.

No Colégio Estadual Atheneu Sergipense, em Aracaju (SE), não foi diferente. Durante três dias, os alunos se mobilizaram espontaneamente para incentivar seus colegas a votarem nas eleições de 2022. “As pessoas acham que o jovem não gosta de política, mas isso é a maior mentira que eu já ouvi”, conta Yuri Norberto, professor de sociologia no Atheneu.

Ao lado de sua aluna, Renata Aragão, de 17 anos, o educador esteve presente no segundo dia do Congresso Internacional de Jornalismo de Educação, promovido pela Jeduca, para apresentar seu projeto Atheneu Políticas Públicas (POP), em que estudantes realizaram sabatinas com candidatos no colégio.

Mesa Política na Escola - Jeduca
A estudante Renata Aragão (esquerda) e professor Yuri Norberto contam como tem sido a organização de sabatinas com candidatos dentro do colégio / Crédito: Alice Vergueiro/Jeduca

O projeto

Com o objetivo de discutir políticas públicas dentro da escola, o POP é dividido em três fases, totalizando nove meses de processo de aprendizagem: POP descomplica, POP debate e POP sabatina. A sigla “pop”, se refere a “popular”, pois o professor quer aproximar as políticas públicas dos jovens de 14 a 17 anos.

Na primeira fase, os alunos estudaram o que são políticas públicas e como avaliá-las, além da definição de estado e da compreensão da função de cada um dos três poderes. Na segunda fase, os alunos entrevistaram convidados para falar sobre saúde, primeira infância e educação. As entrevistas serão postadas no canal do YouTube do colégio. Você pode conferir o primeiro episódio no vídeo abaixo:

https://youtu.be/BZdAi_Rc0KE

Na terceira fase, os estudantes sabatinaram os quatro principais candidatos ao governo de Sergipe na escola, na forma de roda de conversa, para que todos ficassem no mesmo nível. “A recepção dos candidatos, a cobertura nas redes sociais da escola, a logística do evento, tudo foi coordenado pelos alunos”, conta Renata.

Para se preparar para a sabatina, os estudantes se dividiram em grupos, cada um representando um ministério, e elaboraram perguntas a respeito do plano de governo dos candidatos para cada setor. Yuri ressalta que, antes de serem publicados, o plano de governo de cada candidato foi enviado para os alunos avaliarem as políticas de educação. “Qualquer um dos quatro candidatos que ganhe, as políticas de educação vão ter passado pelas mãos dos jovens”, disse o professor, emocionado.

O projeto ultrapassou os muros da escola e agora, em uma nova fase chamada POP Prática, os estudantes estão conhecendo os comitês dos candidatos. Também foram convidados para falar sobre a importância do primeiro voto e de debater política com os jovens na Câmara de Vereadores de Aracaju e no Tribunal de Justiça, onde Renata foi convidada para ser embaixadora.

Resistência

Yuri relata que o projeto não sofre resistência dentro da escola, mas fora dela. Isso porque as pessoas confundem a iniciativa com fazer campanha para algum determinado partido. “O objetivo é discutir política”, explica o professor.

Renata, que não gostava de política, agora entende a importância de falar sobre o assunto. “Se não se interessar por política, isso vai refletir no futuro, principalmente dos jovens que estão votando pela primeira vez agora”, defende.

“Se tem alguém que é capaz de transformar a sociedade é a escola pública”, comenta o professor, por isso “ouçam e entendam a juventude”, pede.


TAGS

eleições

Cadastre-se para receber notificações
Tipo de notificação
guest
0 Comentários
Comentários dentro do conteúdo
Ver todos comentários
Conheça os professores homenageados na exposição do Porvir no Museu Catavento (SP)Saiba mais
0
É a sua vez de comentar!x
()
x